Capa do Álbum: Antena 1
A Rádio Online mais ouvida do Brasil
Antena 1
Ícone seta para a esquerda Veja todas as Notícias.

Eletrobras privatizada tem desafio no mercado livre e deve reforçar comercialização

Placeholder - loading - Logo da Eletrobras em sede no Rio de Janeiro 09/06/2022 REUTERS/Pilar Olivares (REUTERS - Tags: BUSINESS POLITICS LOGO)
Logo da Eletrobras em sede no Rio de Janeiro 09/06/2022 REUTERS/Pilar Olivares (REUTERS - Tags: BUSINESS POLITICS LOGO)

Publicada em  

Por Letícia Fucuchima

SÃO PAULO (Reuters) - Passada a operação de privatização, a Eletrobras começa uma 'virada de chave' para a gestão privada que promete ser longa, mas com um desafio imediato e que deve ganhar atenção já no curtíssimo prazo: o reforço de sua área de comercialização, a fim de definir uma estratégia para a energia que ficará descontratada já em janeiro de 2023.

O processo de desestatização permitiu que a maior companhia elétrica da América Latina mudasse o regime de contratação de 22 usinas hidrelétricas, que somam 7,5 gigawatts (GW) médios de garantia física (parâmetro de quanta energia um empreendimento pode vender).

A partir da chamada 'descotização', a Eletrobras poderá negociar a energia dessas hidrelétricas no mercado livre, segmento que se tornou mais competitivo nos últimos anos, à medida que as grandes elétricas deixaram de focar sua estratégia no mercado regulado, que diminui de tamanho.

O processo de descotização será gradual: o volume de energia que a Eletrobras poderá vender no mercado livre aumentará 20% por ano, ao longo de cinco anos. Mas uma quantidade relevante, de cerca de 1,5 GW, já ficará disponível no início do próximo ano, podendo ser vendida a preços bem acima dos praticados no regime de cotas.

Embora a Eletrobras já comercialize uma parcela de sua energia no mercado livre, essa atividade não era relevante para a companhia no passado, afirmou o analista do UBS Giuliano Ajeje.

'Quando falamos de descotização, são cerca de 7 GW. O consumo brasileiro hoje é de 70 GW, a Eletrobras vai ter que criar uma expertise para negociar 10% da energia do país nos próximos cinco anos', disse.

O analista lembrou ainda que, com a privatização, a companhia também passou a ficar responsável pelo risco hidrológico das 22 hidrelétricas com novos contratos --antes, o ônus desse risco caía no colo do consumidor.

Com isso, a empresa precisará reforçar suas estratégias de 'hedge' de energia, ou deixando parte dela descontratada, ou acrescentando novas fontes de geração ao seu portfólio, como eólica e solar.

'Ou ela monta (uma área de comercialização), ou ela compra alguém. Eu acho que deveria ser rápido, porque já vai ter energia descontratada a partir de 2023 e em dezembro ela precisa declarar a curva de sazonalização para o ano que vem, já entra uma parte de inteligência', disse Ajeje.

Carlos Eduardo Alves, sócio da gestora Polo Capital e analista de utilities, avaliou que a comercialização de energia será a prioridade 'número 1' da Eletrobras nesse momento. O mercado livre vem se tornando cada vez mais competitivo e sofisticado, destacou Alves, de forma que a companhia terá que se reformular para acompanhar os outros players.

O volume de energia negociada no mercado livre, em transações fechadas diretamente entre um fornecedor (gerador ou comercializador) e o consumidor, soma cerca de 35% da energia total consumida no Brasil.

Segundo levantamento da Abraceel, associação que representa o segmento, o país tem hoje mais de 450 comercializadoras. São empresas que otimizam a gestão de energia, minimizando riscos às partes, e muitas vezes operam no 'trading', ganhando dinheiro a partir da compra e venda de contratos de energia elétrica.

A maioria das grandes geradoras tem reforçado seus braços de comercialização nos últimos anos. AES Brasil, Omega e Auren se lançaram no mercado 'varejista' do setor elétrico, mirando o nicho de consumidores de pequeno porte que deve se expandir nos próximos anos, com a abertura gradual do mercado.

Já a estatal Cemig, que tem uma das maiores comercializadoras do país, fez uma reestruturação interna para capturar melhores ganhos da operação.

Em relação a preços, o analista da Polo Capital afirma que o mercado tem projetado um preço de energia de longo prazo em torno de 160 a 170 reais por megawatt-hora --patamar acima dos cerca de 65 reais por megawatt-hora do regime de cotas--, o que pode trazer importantes ganhos de receita caso a companhia consiga boas condições para contratação de sua energia.

'A nova Eletrobras vai ter pouco tempo para endereçar isso... Se não conseguir comercializar, vai liquidar no PLD (preço de referência do mercado livre)', disse, apontando que há uma diferença importante, de cerca de 100 reais por megawatt-hora, entre o preço mínimo do PLD (60 reais) e os preços de longo prazo no mercado livre.

Uma fonte ligada à Eletrobras afirma que a companhia vem se preparando internamente há meses para fortalecer sua área de comercialização.

Segundo essa fonte, a elétrica está mapeando iniciativas e áreas de atuação no segmento para apresentar ao futuro conselho de administração.

A ideia é de que a companhia aposte não só nos clientes tradicionais para venda de energia, mas também entre no 'varejo' do setor elétrico.

Procurada, a Eletrobras não comentou o assunto imediatamente.O 'BOARD DA TRANSIÇÃO'

As mudanças de estratégia esperadas para a Eletrobras dependerão do novo conselho de administração, que já teve uma chapa indicada por acionistas representativos de mais de 5% do capital da companhia. A expectativa é de que o novo 'board' também mexa na composição da diretoria.

Na visão de analistas, a chapa anunciada traz nomes preparados para a transição da mentalidade e operação estatal para a privada.

Ilan Arbetman, analista de equity da Ativa Investimentos, ressalta as indicações de Ivan Monteiro, ex-CEO da Petrobras e co-CEO do Credit Suisse no Brasil, e de Marisete Pereira, ex-secretária executiva do Ministério de Minas e Energia, com larga experiência em assuntos regulatórios no setor.

Ajeje, do UBS, destaca os nomes de Carlos Piani e Octavio Lopes, ex-executivos da Equatorial Energia, considerada pelo mercado uma das elétricas mais eficientes, tendo entregado 'turnarounds' bem-sucedidos em várias empresas deficitárias.

Outro destaque, segundo analistas, é Vicente Falconi Campos, um dos especialistas mais renomados do país em gestão e controle de custos.

A assembleia geral extraordinária que deverá eleger os novos membros do conselho da Eletrobras está prevista para o dia 5 de agosto.

(Por Letícia Fucuchima)

Escrito por Reuters

Últimas Notícias

Placeholder - loading - Imagem da notícia Dia dos Pais: artigos de luxo para presentear

Dia dos Pais: artigos de luxo para presentear

No segundo domingo de agosto celebramos no Brasil o Dia dos Pais, com intuito de prestigiar e homenagear a figura paterna que é tão especial na vida de um filho. Com certeza é uma das datas comemorativas mais especiais.

Além de desfrutar da companhia de seu pai, um presente sempre é uma boa pedida. Porém são tantas opções, que selecionamos itens das marcas de luxo mais renomadas para te ajudar a escolher o presente perfeito. Afinal, seja qual for o estilo do seu pai, uma pessoa especial merece um presente especial.   

Bulgari

A Bulgari, traz muitas opções de relógios, anéis e pulseiras excêntricas. O Octo Finissimo, um relógio de design audacioso e alta precisão, sintetizando com sofisticação e simplicidade, reúne a criatividade do design italiano e o talento da relojoaria, perfeito para o pai amante dos relógios!

Já o anel da coleção B.Zero1, inspirado no anfiteatro mais famoso do mundo – o Coliseu – e a pulseira Serpenti Viper, ambos em ouro branco 18K, são ótimas opções para os mais modernos. 

  

Bottega Veneta

A seleção da Bottega Veneta conta com itens super descolados e práticos. A sandália Band é feita 100% em borracha, fazendo dela extremamente confortável.

A Padded Tech Cassette (versão mais esportiva da Padded Cassette) carrega o Intrecciato em uma versão macro em nylon, com o tamanho ideal para acomodar a carteira e as chaves de forma estilosa e segura.

Por fim, a capinha de AirPod em silicone, que também possui o padrão do Intrecciato da marca, é o item perfeito para os pais apaixonados por tecnologia. 

  

Salvatore Ferragamo

A marca italiana, Salvatore Ferragamo, possui peças para os mais variados estilos. Para o pai de negócios, uma pasta de trabalho em couro caramelo com o fecho Gancini prateado, um item elegante para acrescentar no dia a dia do seu pai.

Para o pai jovial, um High-top Sneaker, tênis de cano alto inspirado nos anos 90 com um padrão Gancini em 3D, branco, discreto e versátil.

E por fim, para o pai mais moderno, que adora seguir uma moda, um óculos de sol com armação modelo Navigator em aro de metal e detalhe colorido na ponte que confere um toque de estilo. 

  

TAG Heuer

A relojoaria suíça TAG Heuer apresenta opções luxuosas surpreendentes. O TAG Heuer Aquaracer Professional 300 Orange Diver, é robusto, recém-lançado e perfeito para os amantes do esporte.

O TAG Heuer Carrera é sofisticado, forte e contemporâneo, e representa a expressão mais elegante do Carrera.

Já o TAG Heuer Connected Golf Edition é o novo e redesenhado relógio da linha Connected. Feito para os golfistas e para oferecer o máximo em elegância e desempenho esportivo no Green, o relógio adiciona tecnologia a cada tacada. 

  

Christian Louboutin

Para finalizar essa lista com chave de ouro, nada mais especial do que presentear com opções de Christian Louboutin, grife francesa famosa por seus sapatos com sola em um luxuoso tom de vermelho.

O tênis em cano alto Louis Velour se sobressai com um tom vinho em textura de veludo, disponível por R$ 6.140. A bota Our Georges traz um solado tratorado com detalhe de fivela em CL – remetendo a Christian Louboutin - disponível por R$8.560.

Para os mais clássicos a o mocassim tradicional vem com um toque de uma das assinaturas de Louboutin, os spikes, disponível por R$6.510. 

 Dados retirados do release da assessoria de imprensa Suporte Comunicação.


Veja também: #TBT:JOHN LENNON GRAVAVA SEU ÚLTIMO ÁLBUM, “DOUBLE FANTASY”, EM 1980

AS 5 CAPAS DE ÁLBUM MAIS ICÔNICAS DA HISTÓRIA

1 D
  1. Home
  2. noticias
  3. eletrobras privatizada tem …

Este site usa cookies para garantir que você tenha a melhor experiência.