Capa do Álbum: Antena 1
A Rádio Online mais ouvida do Brasil
Antena 1
Ícone seta para a esquerda Veja todas as Notícias.

Saúde negocia compra de até 150 milhões de doses da Pfizer para vacinação em 2022

Placeholder - loading - 11/01/2021 REUTERS/Dado Ruvic
11/01/2021 REUTERS/Dado Ruvic

Publicada em  

Por Ricardo Brito

BRASÍLIA (Reuters) - O Ministério da Saúde tem negociações em andamento para firmar um novo contrato de compra de até 150 milhões de doses da vacina da Pfizer contra a Covid-19 para aplicação no próximo ano, informou a pasta em documento encaminhado à CPI da Covid do Senado nesta quinta-feira.

A comissão de inquérito, que deve encerrar os trabalhos em duas semanas, aprovou requerimento para obter detalhes sobre a campanha nacional de imunização contra o coronavírus para o próximo ano.

Na resposta encaminhada à CPI, o ministério informou que negocia inicialmente mais 100 milhões de doses do imunizante da Pfizer para 2022, que devem ser acrescidas a uma previsão de cerca de 134 milhões de doses remanescentes deste ano de todos os imunizantes já adquiridos pelo país. Além disso, há uma possibilidade de aquisição de mais 50 milhões de doses da Pfizer, segundo a pasta.

As vacinas da Pfizer e da AstraZeneca já possuem registro definitivo de uso no país pela Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) e serão as principais a serem usadas no país em 2022, uma vez que a CoronaVac não deve fazer parte do calendário em 2022.

Questionado sobre o imunizante da chinesa Sinovac pela CPI, o ministério disse que a razão da 'possível descontinuidade' está diretamente relacionada à avaliação pela Anvisa.

A pasta citou que, até o momento, a vacina só tem a autorização temporária de 'uso emergencial, concedida para minimizar, da forma mais rápida possível, os impactos da doença no território nacional'.

A pasta também destacou que há estudos que indicam a baixa eficácia do imunizante em determinada faixa etária da população como uma das razões para o não uso.

'Além do fato de estudos demonstrarem a baixa efetividade do imunizante em população acima de 80 anos... assim, no atual momento, só teria indicação como esquema vacinal primário em indivíduos acima de 18 anos. Há estudos em andamento que sinalizam que mesmo usando em esquema vacinal primário há que se considerar uma terceira dose', afirmou.

Procurada, a pasta não respondeu de imediato a pedido de comentário sobre as informações prestadas à CPI.

PLANO DE IMUNIZAÇÃO

No documento enviado à CPI, que é assinado por Rosana Leite de Melo, secretária extraordinária de Enfrentamento à Covid-19 do ministério, são traçados três cenários com diferentes quantitativos de doses necessárias para o próximo ano.

No primeiro deles, a pasta sugere a manutenção do esquema de vacina atual, que abrange a aplicação de duas doses de vacina em toda a população acima de 12 anos, além de uma terceira dose de reforço para quem tem mais de 60 anos. Nessa hipótese seriam necessárias quase 392 milhões de doses.

No segundo cenário, em que seria aplicada apenas uma dose de reforço para a população acima de 12 anos, a previsão seria de 179,6 milhões de doses.

O terceiro cenário, por sua vez, estabelece a aplicação da dose de reforço para a população de até 59 anos, assim como uma dose de reforço em cada semestre --duas em um único ano, portanto-- para a população acima de 60 anos. Para esse recorte, seriam necessárias 212 milhões de doses.

O Brasil, que demorou em avançar na imunização dos seus cidadãos, acelerou nos últimos meses o ritmo de vacinação, o que derrubou o número de internações e mortes por Covid.

Segundo dados da pasta, o país tem 60% da população maior de 18 anos com o ciclo vacinal completo contra a Covid-19, o que representa que 95,3 milhões de brasileiros já tomaram a segunda dose ou a vacina de dose única.

Escrito por Reuters

Últimas Notícias

Placeholder - loading - Imagem da notícia Remédios contra monkeypox, novo Conselho da Petrobras e mais desta sexta

Remédios contra monkeypox, novo Conselho da Petrobras e mais desta sexta

Confira um resumo das principais notícias do Brasil e do mundo!

Nacional

A Petrobras realiza nesta sexta-feira a Assembleia Geral de Acionistas para eleger um novo Conselho de Administração. O governo ficará com 6 das 11 cadeiras do colegiado. 2 dos indicados foram reprovados pelo Comitê de Elegibilidade por conflito de interesses.

Termina hoje o prazo para os candidatos selecionados no Fies do segundo semestre complementarem as informações da inscrição. O processo deve ser realizado no portal Acesso Único, do Ministério da Educação. As convocações da lista de espera devem começar na próxima segunda-feira.

A Anvisa liberou nesta sexta-feira a importação de medicamentos e vacinas contra a varíola dos macacos ainda sem registro no Brasil. A medida tem caráter excepcional e temporário. A autorização é válida para fórmulas aprovadas por determinadas autoridades internacionais e com boas práticas de fabricação.

Uma pesquisa da Fiocruz Minas mostrou que a vitamina B12 pode atenuar a infecção causada pela Covid. O estudo avaliou a capacidade da substância de regular o processo inflamatório desencadeado pelo vírus no organismo. Os pesquisadores compararam amostras de sangue de pessoas saudáveis e de pacientes hospitalizados com quadros graves e moderados da doença.

O Supremo Tribunal Federal formou maioria pela aplicação da nova Lei de Improbidade Administrada nos processos em que ainda cabe recurso. Com as mudanças feitas no ano passado, passou a ser exigida a comprovação de dolo, ou seja, a intenção do agente público de cometer a irregularidade. Pela decisão, a nova lei não pode ser aplicada em casos já encerrados.

2 H
  1. Home
  2. noticias
  3. saude negocia compra de ate …

Este site usa cookies para garantir que você tenha a melhor experiência.