Antena 1 - Home
Imagem Miniatura do Artista: Cat Stevens

Cat Stevens

Steven Demetre Giorgiou, mais conhecido como Cat Stevens, outro astro brilhante do folk rock, nasceu em Londres, filho de um casal interessante culturalmente: pai grego e mãe sueca, ele começou a carreira musical ainda no colégio, em 1965. Suas primeiras performances foram no Hammersmith College, com o nome artà­stico de Stevie Adams. Numa de suas apresentações foi ouvido pelo produtor musical Mike Hurst, e convidado a ir ao estúdio para gravar a música, 'I Love My Dog'. Essa demo resultou no primeiro contrato com a Decca Records, já com o nome Cat Stevens. Em 1966, a canção entrou para a parada inglesa, entre as 40 melhores da época.

Seu próximo single, 'Matthew and Son', foi lançado em janeiro de 1967, e ficou em segundo na Inglaterra, também fezendo algum sucesso nos EUA.

A fama de Stevens como compositor também ficava conhecida, 'Here Comes My Baby', que foi gravada pelos The Tremeloes, chegou ao Top Five na Inglaterra e entre as dez melhores nos EUA. Logo em seguida ele decidiu produzir seu primeiro álbum Matthew and Son, que foi seu primeiro passo para um lugar entre os dez melhores no mesmo ano.



O quarto single, 'A Bad Night', de agosto de 1967, ficou entre as 20 do ranking das mais ouvidas, um lugar não tão bom, se comparado aos sucessos anteriores. Seguindo a linha, o segundo álbum, New Masters, lançado no final do mesmo ano, não foi nada bem. Para piorar toda a situação, em março de 1968, Cat ficou doente, estava com tuberculose. O cantor ficou internado por três meses, e levou um ano para se recuperar totalmente.

Voltou a produzir em 1970 e como sentia-se completamente desiludido com o corporativismo do mercado artà­stico, suas composições refletiam um som mais introspectivo e personalizado, assinou contrato com a Island Records, e lançou seu terceiro álbum, Mona Bone Jakon, em abril de 1970. Junto com o álbum, Stevens lançou o single 'Lady D'Arbanville', que em junho de 70, tornou-se top 3 na Inglaterra, obtendo mais sucesso do que havia conquistado com Mona Bone...

O talento para compor, felizmente não tinha sido abalado pelos altos e baixos pelos quais passou. Em agosto de 70, o cantor de reggae Jimmy Cliff, gravou 'Wild World', música de Stevens que ficou entre as 10 melhores na Inglaterra. Sentindo-se mais confiante, ele lançou o segundo álbum pela nova gravadora em novembro do mesmo ano, Tea for the Tillerman, que ficou no Top 20 inglês, e americano de 1971, seu ano de lançamento. A partir deste ano, Cat se transformaria em uma estrela. Já figurava entre um dos cantores/compositores, mais populares de folk-rock da época, entre James Taylor, Carole King e outros.

Em junho de 1971, outro single, 'Moon Shadow', foi Top 40 nos dois paà­ses, seguido por 'Peace Train', que ficou entre as mais ouvidas nos Estados Unidos. A popularidade turbinou a divulgação do quinto álbum de sua carreira Teaser and the Firecat, logo se tornou recordista de vendas.

O álbum contém, além de 'Peace Train' e 'Moon Shadow', 'Morning has Broken', canção que fez de Stevens um artista de renome mundial. Na rabeira, chegava à s lojas, a coletânea Very Young and Early songs, ainda em 71. Em janeiro de 1972, o single 'Where are You', já era o mais ouvido dos EUA.



Em novembro de 1972, o sexto álbum, Catch Bull at Four, com um toque mais rock e comercial, logo chegou à s paradas. No ano seguinte, o caminho estava mais do que livre para que Cat fizesse ainda mais sucesso, mas, além de não estar muito bem de saúde, estava em dà­vida com o fisco.

Mudou-se para o Brasil por um ano. Resolveu doar o dinheiro que devia em impostos para caridade. Ele aparecia cada vez menos na mà­dia e deixou de dar entrevistas. Em junho, outro single 'Hurt', figurou no Top 40, e em agosto, estava pronto seu sétimo álbum, Foreigner. Foi um sucesso comercial maciço, que chegou ao Top 5 na América e na Inglaterra ganhou disco de ouro, logo de cara de cara.

Seu oitavo álbum, veio em 1974, com tà­tulo intrigante: Buddah and the Chocolate Box (Buda e a caixa de chocolates), o disco foi um Top Ten hit como de costume. Em junho de 75, mais um disco - Greatest Hits, vendeu mais de 3 milhões de cópias somente nos EUA. O nono álbum, Numbers, ficou pronto em novembro, e, inexplicavelmente, o sucesso ficou pra trás novamente.

O trabalho seguinte, demorou 18 meses, em maio de 1977, com décimo álbum, Izitso, ele recuperou o sucesso comercial, chegando ao disco de ouro em apenas um mês. Enquanto isso, na Grã-Bretanha, o single '(Remenber the Days of The) Old School Yard', era um dos hits, que também foi Top 40 nos Estados Unidos.

No dia 23 de dezembro de 1977, como resultado do que pareceu uma decisão pensada há tempos, devido aos acontecimentos de sua vida e uma necessidade pessoal, Stevens se tornou oficialmente muçulmano e mudou o nome para Yusuf Islam. Depois da mudança radical, Yusuf lançou seu último álbum, Back to Earth, em dezembro de 1978, que teve uma vendagem modesta. Ele se retirou do mercado da música pop, se dedicou a um casamento arranjado na nova religião, e teve cinco filhos. Destitui-se de todos os seus bens, e fundou uma escola muçulmana perto de Londres. Ninguém ouviu falar do "habib" por cerca de dez anos, quando ele reaparece, chocando seus antigos fãs, no final de década de 80. Na época ele levantou muita polêmica ao apoiar abertamente a pena de morte imputada ao escritor Salman Rushdie, pelo livro Versà­culos Satânicos uma crà­tica ácida ao islamismo. Quem havia pedido a cabeça de Salman na época, foi o là­der islâmicoAyatollah Khomeini.

É claro que, com isso, Cat, ou melhor, Yusuf ganhou antipatia de algumas rádios que passaram a boicotar a obra do artista. Até outras bandas, que haviam regravado sucessos do cantor sofreram com sua posição. Os 10 Thousand Maniacs, que gravaram 'Peace Train' de autoria de Stevens, viram-se obrigados a apagar a música de seu disco de 1987, My Tribe, por exemplo. Yussuf reclamou, dizendo que suas declarações foram manipuladas pela mà­dia, mas não adiantou muito.

Mesmo assim, suas canções ainda continuavam populares, principalmente as da época pré-islamismo.

Em 1990, a compilação, The Very Best of Cat Stevens, ficou em quinto lugar na Inglaterra. Em 2000, Yussuf Islam, fez uma turnê, tocando antigos sucesso da época de Stevens e algumas músicas novas.

Em Março de 2005 ele lançou "Indian Ocean", sobre o tsunami de 2004 no Oceano àndico, que em 26 de Dezembro de 2004 atingiu vários paà­ses, com o objetivo de ajudar os órfãos de Banda Aceh, na Indonésia, uma das áreas mais afetadas pelo tsunami.
Em 2006, anunciou a sua volta à  música pop, com o disco An Other Cup, lançado em 28 de novembro, coincidindo com o 40º aniversário de lançamento do seu primeiro álbum.[1]
Em janeiro de 2009, Yusuf gravou uma música de George Harrison chamada The Day the World Gets Round, em colaboração a Klaus Voormann. O dinheiro arrecadado com a música foi doado à s pessoas và­timas da guerra na Faixa de Gaza. Para promover o novo single Voormann redesenhou um famoso álbum dos Beatles, o Revolver, sendo que a nova edição veio com o desenho de Yusuf mais novo, o próprio Voorman e George Harrison. Em maio de 2009, foi lançado o novo álbum de Yusuf, Roadsinger. A principal música, Thinking 'Bout You, saiu na rádio BBC em março.

DISCOGRAFIA

Imagem em Miniatura do Álbum: Gold: Cat Stevens Gold: Cat Stevens
2005

Imagem em Miniatura do Álbum: The Very Best of Cat Stevens The Very Best of Cat Stevens
2000

Imagem em Miniatura do Álbum: Greatest Hits Greatest Hits
1975

CARREGAR MAIS

ARTISTAS

a-ha
ABBA
Adele
Air Supply
Al Jarreau
Alanis Morissette
Alejandro Sanz
Alicia Keys
Alle Farben
Alphaville
  >