alexametrics
Conectando

    Comparados aos cachorros, os gatos sempre levaram a fama de serem antissociais.

    Estudo demonstra que gatos não são tão antissociais quanto se pensava

    Por Redação, antena 1

    Placeholder - loading - news single img

    Um estudo recente demonstrou que essa atribuição aos bichanos é injusta, já que eles valorizam mais a companhia humana do que se imaginava.

    Os resultados, publicados na mais recente edição da revista "Behavioural Processes", revelaram que os gatos valorizam mais o contato humano do que outros estímulos como comida, brinquedos e cheiros.

    Os pesquisadores avaliaram, individualmente, gatos de dois grupos: 25 gatos que vivem em casas como animal de estimação e 25 gatos que vivem em abrigos. Cada bichano foi apresentado a três estímulos diferentes, de um total de quatro opções: interação social com humanos, comida, brinquedo e cheiro.

    Foi registrado o tempo gasto com cada um dos estímulos. O resultado foi que as escolhas variaram muito de gato para gato, mas a maioria elegeu como estímulo preferido o contato com humanos, seguido pela comida.

    "Ainda é comum a crença de que os gatos não são especialmente sociáveis ou treináveis. Isso deve se dever, em parte, a uma falta de conhecimento sobre quais estímulos os gatos preferem e portanto estariam mais dispostos a trabalhar por eles”, diz o estudo.

    Os autores afirmam que os resultados indicam que os gatos são mais sociáveis do que se imaginava. "Apesar de ser comum a ideia de que gatos preferem solidão a interação social, os dados desse estudo indicam o contrário", concluem os pesquisadores.

    Para ler mais notícias, curta a página Antena 1 News no Facebook!

     

    Este site usa cookies para garantir que você tenha a melhor experiência.