alexametrics
Capa do Álbum: Antena 1
ANTENA 1A RÁDIO ONLINE MAIS OUVIDA DO BRASIL

    Estudos recentes descobriram novos medicamentos eficazes para o câncer de ovário

    A doença tem um diagnóstico geralmente tardio.

    Por Letícia Furlan

    Placeholder - loading - news single img

    O câncer de ovário é um dos mais difíceis de tratar, mas há sinais de progresso. Vários estudos recentes utilizaram novas estratégias de tratamento combinado, incluindo um medicamento que pode tornar a quimioterapia mais eficaz e um medicamento originalmente concebido para tratar o câncer de mama. Mais pesquisas são necessárias, mas os novos estudos fornecem esperança para melhorar os resultados para mulheres com o tumor avançado.

    O câncer de ovário não é realmente mais difícil de tratar do que outros tipos de câncer, como mama, próstata ou pulmão. É, tecnicamente, curável - desde que seja diagnosticado precocemente e que a cirurgia possa removê-lo por inteiro. Mas como os ovários estão localizados no fundo do trato reprodutivo, a maioria das pessoas nem sabe que tem câncer até que as células malignas se espalhem para além do órgão e se infiltrem em outros tecidos.

    Mesmo assim, a cirurgia para remover a maior parte dos tumores e quimioterapia e radiação para enfraquecer o restante pode ser eficaz. No entanto, os cânceres de ovário tendem a manter a vantagem, já que podem desenvolver resistência a esses medicamentos.

    Revoluções recentes em tratamentos contra a doença - das terapias direcionadas que se concentram em células cancerosas específicas e as eliminam, as imunoterapias que treinam o sistema imunológico para atacar tumores - forneceram esperança no tratamento de outros tipos de câncer teimoso. Mas as mulheres com câncer de ovário não se beneficiaram desses avanços.

    Mas isso pode mudar se os resultados de vários estudos recentes usando novas estratégias de tratamento forem confirmados. Em um deles, os pesquisadores liderados por Udai Banerji, professor de farmacologia molecular do câncer no Instituto de Pesquisa do Câncer e do Royal Marsden Hospital, decidiram ver se a adição de um medicamento direcionado ao tratamento quimioterápico tradicional poderia melhorar os resultados para mulheres com câncer de ovário avançado. E em outros, um medicamento usado para tratar o câncer de mama pode se mostrar eficaz também no câncer de ovário.

    Banerji e seus colegas trataram 25 mulheres que se tornaram resistentes a três ciclos de quimioterapia com uma combinação de quimioterapia e um medicamento direcionado projetado para interferir em um dos processos moleculares nos quais as células de câncer de ovário dependem para crescer. No pequeno estudo, os cancros ováricos avançados diminuíram em metade das mulheres que receberam este tratamento combinado. “Com essa combinação, metade dos pacientes respondeu”, diz Banerji. "O que é muito bom, considerando que as mulheres estavam em um estágio tão tardio da doença." 

    Os pesquisadores também são encorajados pelos resultados de estudos iniciais de combinações com um tipo diferente de medicamento de quimioterapia: os chamados inibidores de PARP, que foram originalmente usados ??no tratamento do câncer de mama. Eles são projetados para impedir a capacidade das células tumorais de reparar qualquer dano em seu DNA que as impeça de se dividir e crescer. À medida que o dano no DNA se acumula, as células cancerosas se tornam instáveis e morrem.

    Até agora, estudos sugeriram que entre 25% a 50% das mulheres com câncer de ovário podem responder aos inibidores de PARP, embora aqueles com as maiores taxas de resposta tendem a estar nas fases mais precoces da doença.

    Para ler mais notícias, curta a página Antena 1 News no Facebook!

     

    1. Home
    2. noticias
    3. estudos recentes descobriram …

    Este site usa cookies para garantir que você tenha a melhor experiência.