alexametrics
Conectando

    Exercícios faciais podem ajudar a ter uma aparência mais jovem, indica estudo

    Tipo de atividade quando realizada com certa frequência pode reduzir sinais de envelhecimento.

    Por Redação

    Placeholder - loading - news single img

    Exercícios faciais podem reduzir sinais de envelhecimento, aponta estudo americano. Na pesquisa, publicada recentemente no periódico científico JAMA Dermatology, mulheres na faixa-etária entre 40 e 65 anos que realizaram essa atividade durante cinco meses, conseguiram rejuvenescer  até três anos.

    Grupo de dermatologistas testou programas de exercícios faciais com dezenas de mulheres de meia idade. As voluntárias foram fotografadas no começo do estudo e  no final; além disso foram submetidas a duas aulas com o criador do programa Happy Face Yoga. Assim, as participantes puderam aprender a colocar em prática os ensinamentos.

     
    Na primeira fase do experimento, as mulheres praticaram uma sessão diária de exercícios, de aproximadamente 30 minutos, durante oito semanas. No fim dessa etapa, as participantes foram submetidas a mais uma tomada de fotos. Após isso, a ideia era seguir realizando as atividades, mas com um intervalo maior. A prática era feita dia sim dia não,  método durou 12 semanas.

    Ao finalizar o teste, voluntárias tiraram fotos novamente e foram avaliadas por outros médicos, os quais não estavam relacionados ao estudo e tampouco conheciam as participantes.

    Especialistas classificaram a aparência de diversas características faciais por meio de uma escala numérica padronizada. Profissionais, também, fizeram uma estimativa da idade das mulheres em questão. As melhorias listadas foram, principalmente, no volume da bochecha. Porém, eles não notaram grandes mudanças em outras regiões da face e do pescoço. Contudo, ao avaliar as imagens, a faixa-etaria sugerida foi aproximadamente três anos menor do que a idade real.


    As participantes, por sua vez, relataram muito entusiasmo e enxergaram inúmeros progressos.


    O estudo teve pequena proporção, foi avaliado em um curto período de tempo e parte do grupo desistiu antes do fim; um terço das mulheres. Por isso, novas pesquisas sobre essa temática devem ser feitas, em breve, e assim, será possível delimitar com mais precisão  quais exercícios podem ser mais eficazes e benéficos.

    Programas desse gênero vem se tornando cada vez mais comuns nos últimos anos. 

    Este site usa cookies para garantir que você tenha a melhor experiência.