Capa do Álbum: Antena 1
A Rádio Online mais ouvida do Brasil
Antena 1
    Ícone seta para a esquerda Veja todas as Notícias.

    Farmacêutica que lucrou com 'kit Covid' admite que financiou manifesto de médicos bolsonaristas

    Placeholder - loading - Senadores prticipam de reunião da CPI da Covid em junho 10/06/2021 REUTERS/Adriano Machado
    Senadores prticipam de reunião da CPI da Covid em junho 10/06/2021 REUTERS/Adriano Machado

    Publicada em  

    Por Lisandra Paraguassu

    BRASÍLIA (Reuters) - O executivo da farmacêutica Vitamed Jailton Batista confirmou à CPI da Covid, nesta quarta-feira, que a empresa financiou a publicação em jornais e revistas de um manifestado do grupo 'Médicos pela Vida', formado por apoiadores do presidente Jair Bolsonaro e defensores do chamado 'kit Covid' -- um grupo de medicamentos sem eficácia contra o coronavírus, mas defendido por bolsonaristas.

    Batista, que depõe nesta quarta à Comissão Parlamentar de Inquérito do Senado, admitiu que a empresa pagou pela veiculação do manifesto em veículos de mídia de grande circulação. Segundo executivo, a empresa gastou 717 mil reais na veiculação.

    'A Vitamed foi solicitada a dar apoio e suporte à chamada associação ´Médicos pela Vida´ no patrocínio de um documento técnico, médico, e ela o fez', disse. 'Foi apenas a publicação nos jornais de um manifesto da associação, em que a empresa assumiu o custo da veiculação.'

    A Vitamed foi uma das empresas que mais se beneficiaram com a venda dos medicamentos do 'kit Covid', especialmente a ivermectina, um antiparasitário que foi apontado por bolsonaristas como uma das 'curas' milagrosas para a Covid-19, apesar de estudos nacionais e internacionais não confirmarem qualquer efeito do medicamento.

    Dados encaminhados pela própria empresa à CPI mostram que a Vitamed teve um crescimento de 1.230% entre 2019 e 2020 nas vendas de ivermectina.

    A Vitamed, que fabrica o medicamento no país, viu suas vendas saltaram de 24,6 milhões de comprimidos em 2019 para 297,5 milhões em 2020. O preço do produto também disparou, com o preço médio da caixa com 500 comprimidos passando de 73,87 reais para 240,90 reais, segundo as informações fornecidas pela empresa.

    O manifesto dos médicos bolsonaristas defendia o chamado 'tratamento precoce' com o uso de uma série de remédios sem eficácia comprovada, entre eles a ivermectina e a cloroquina. Nenhum estudo confirmou qualquer efeito desses medicamentos na prevenção ou cura da Covid-19, mas o país enfrentou um boom de venda em ambos, que passaram a ser uma bandeira dos bolsonaristas.

    Apesar de a empresa se beneficiar diretamente da ação dos médicos que receitavam a ivermectina, o executivo afirmou que não houve análise do conteúdo do manifesto. 'Nós não entramos no conteúdo, no mérito do conteúdo da informação médica', afirmou.

    Escrito por Reuters

    Últimas Notícias

    1. Home
    2. noticias
    3. farmaceutica que lucrou com …

    Este site usa cookies para garantir que você tenha a melhor experiência.