alexametrics
Conectando

    O ar-condicionado, apesar de aliviar o calor nos dias quentes, é caro tanto para o bolso do consumidor quando para o meio-ambiente.

    Novidade pode substituir o ar-condicionado de forma barata e sustentável

    Por Redação, antena 1

    Placeholder - loading - news single img

    Nas altas temperaturas do verão, são raras as pessoas que deixam de usar aparelhos de ar-condicionado. O grande problema é que o aparelho custa caro para os consumidores e também para o meio-ambiente. 

    Enquanto refresca o ambiente, ele emite gases de efeito estufa ligados ao aquecimento global. Ou seja, ele pode deixar mais frio um ambiente, mas esquenta o restante do planeta.

    Pensando em uma forma de contornar o problema – mas sem sofrer com o calor –, cientistas desenvolveram uma maneira totalmente sustentável para refrescar as pessoas nos dias de verão. A invenção de Ronggui Yang e Xiaobo Yin, ambos pesquisadores da Universidade do Colorado, é uma película capaz de refrigerar prédios sem usar nenhum tipo de gás nocivo à natureza.

    A boa notícia é que a novidade não é cara: ela custa em média 50 centavos de dólar por metro quadrado. A invenção funciona por meio de radiação infravermelha, que é eliminada da Terra juntamente com o calor.

    A película, feita de plástico e pequenas pedras de vidro, tem também um lado prateado que deve encostada ao telhado. A luz solar é refletida pela face de prata, o que impede o aquecimento da casa. Além disso, o calor interno é liberado para a atmosfera graças a uma complexa relação entre o diâmetro das pedrinhas e o comprimento de ondas que escapam para o espaço.

    De acordo com os pesquisadores, cerca de 20 metros quadrados do filme são suficientes para manter a temperatura de uma casa média em 20°C num dia em que os termômetros marcam 37°C.

    Para ler mais notícias, curta a página Antena 1 News no Facebook!

    Este site usa cookies para garantir que você tenha a melhor experiência.