alexametrics
Capa do Álbum: Antena 1
ANTENA 1A RÁDIO ONLINE MAIS OUVIDA DO BRASIL

    Novo estudo sugere que a leucemia infantil pode ser evitada

    Segundo pesquisadores, fortalecer o sistema imunológico dos pequenos seria um passo importante.

    Placeholder - loading - news single img
    Crianças lendo (Foto: Pixabay)

    Publicada em  

    Infâncias sem germes (ou seja, sem uma preparação do sistema imunológico), seguidas por infecções mais tarde na vida, podem desencadear o aparecimento de leucemia infantil, sugere um novo estudo. O artigo, publicado na revista Nature Reviews Cancer, descobriu que a leucemia linfoblástica aguda, o tipo mais comum de câncer infantil, é causada por um processo de duas etapas.

    O primeiro passo é uma mutação genética antes do nascimento que predispõe a criança ao risco de desenvolver essa forma de doença. O segundo passo é a exposição a certas infecções mais tarde na infância, após uma infância limpa que limita a exposição a infecções.

    Mais especificamente, as crianças que cresceram em famílias sem acesso a germes e outras impurezas durante o primeiro ano e interagiram menos com outras crianças têm maior probabilidade de desenvolver leucemia linfoblástica aguda, diz o artigo.

    O autor, Mel Greaves, professor de pesquisa do Instituto de Câncer, sugere que o câncer pode ser evitável.

    Greaves revisou mais de 30 anos de pesquisa, incluindo a sua, sobre genética, biologia celular, imunologia, epidemiologia e modelagem animal de leucemia infantil e chegou a essa conclusão. Greaves disse que há muito se pergunta "por que ou como crianças saudáveis ??desenvolvem leucemia e se esse câncer é evitável".

    "Esse corpo de pesquisa é o culminar de décadas de trabalho e, finalmente, fornece uma explicação credível para o desenvolvimento do principal tipo de leucemia infantil", afirmou ele em comunicado. "A pesquisa sugere fortemente que (esse câncer) tem uma causa biológica clara e é desencadeada por uma variedade de infecções em crianças predispostas, cujos sistemas imunológicos não foram adequadamente preparados".

    No entanto, outros especialistas alertam que mais detalhes precisam ser confirmados e enfatizam que a higiene e a segurança ainda são cruciais.

    A leucemia linfoblástica aguda, conhecida como LLA, é uma forma de câncer de sangue mais frequentemente diagnosticada em crianças de até 4 anos de idade, embora crianças e adultos mais velhos também possam ter a doença. Ele se desenvolve rapidamente, ao longo de dias ou semanas, acumulando-se no sangue e se espalha para outras partes do corpo, incluindo os gânglios linfáticos, o fígado e o sistema nervoso. A principal forma de tratamento é a quimioterapia.

    As taxas da doença estão aumentando globalmente. Um estudo estimou que havia 53 mil casos em todo o mundo em 2016. Estima-se que cerca de 5.960 novos casos de LLA ocorram nos Estados Unidos em 2018, com 1.470 mortes de acordo com a American Cancer Society. A cada ano, cerca de 810 pessoas são diagnosticadas no Reino Unido, de acordo com a Cancer Research UK.

    Enquanto uma mutação genética desempenha um papel na predisposição de alguém para a doença, apenas 1% das crianças nascidas com essa mutação desenvolvem este tipo de câncer, de acordo com o artigo. As taxas são mais comuns em sociedades avançadas e ricas, o que sugere que o segundo passo pode ser causado por fatores relacionados à vida moderna.

    Reivindicações anteriores ligaram ondas eletromagnéticas e outros fatores ambientais à doença, mas Greaves descartou essa associação em seu artigo.

    O corpo da pesquisa "invade alguns mitos persistentes sobre as causas da leucemia, como as alegações prejudiciais, mas sem fundamento, de que a doença é comumente causada pela exposição a ondas eletromagnéticas ou poluição", disse Greaves.

    O Greaves acredita que quando um bebê é exposto a infecções durante seu primeiro ano, seu sistema imunológico é fortalecido. Mas infecções posteriores, sem a preparação inicial, podem desencadear leucemia naqueles com a mutação genética.

    Estudos populacionais descobriram que a exposição precoce a infecções na infância, como assistência a creches e aleitamento materno, pode proteger contra a LLA, provavelmente estimulando o sistema imunológico, de acordo com o estudo.

    Greaves enfatizou que a infecção como causa se aplica apenas a todos. Outros tipos de leucemia, incluindo leucemia infantil e leucemia mielóide aguda, provavelmente têm mecanismos causais diferentes.

    No entanto, outros especialistas são mais esperançosos, enfatizando que a genética e o puro acaso ainda são fatores significativos para o desenvolvimento da LLA.

    "Se pudéssemos impedir que esse tipo de leucemia acontecesse, seria muito empolgante, mas muitas outras perguntas ainda precisam ser respondidas no laboratório de pesquisa antes de termos certeza se isso pode se tornar realidade", disse Alasdair Rankin, diretor de pesquisa da organização beneficente de câncer de sangue Bloodwise.

    "Ainda não existe um vínculo comprovado com uma infecção específica", disse a Donna Lancaster, oncologista consultora pediátrica do Royal Marsden NHS Foundation Trust. "Este [novo estudo] ainda precisa de mais investigação e qualquer exposição de crianças pequenas à infecção deve ser equilibrada com o risco da infecção".

    Sheena Cruickshank, da Sociedade Britânica de Imunologia, também apontou o risco potencial de expor crianças a infecções, enfatizando que a higiene e a segurança ainda são cruciais.

    "Também é importante lembrar que as infecções em si podem representar um risco significativo para bebês com um sistema imunológico em desenvolvimento", disse Cruickshank em comunicado. "Os pais não devem ficar indevidamente alarmados com esta revisão."

    A pesquisa pode ser um passo em direção ao desenvolvimento de medidas preventivas. No entanto, Charles Swanton, clínico-chefe da Cancer Research UK, enfatizou que as causas e os métodos de prevenção ainda não foram confirmados.

    "Esta pesquisa lança luz sobre como uma forma de câncer de sangue na infância pode se desenvolver, implicando uma combinação complexa de genética e exposição precoce a germes, sujeira e doenças", disse Swanton. "Queremos garantir a qualquer pai de uma criança que tenha ou tenha tido leucemia, que não sabemos nada que possa ter sido feito para prevenir a doença".

    As informações são da CNN.

    1. Home
    2. noticias
    3. novo estudo sugere que a …

    Este site usa cookies para garantir que você tenha a melhor experiência.