alexametrics
Capa do Álbum: Antena 1
ANTENA 1A RÁDIO ONLINE MAIS OUVIDA DO BRASIL

    Pence repreende UE e rechaça pedido de Merkel para trabalhar com a Rússia

    Placeholder - loading - news single img

    1549

    Publicada em  

    Atualizada em  

    Por Robin Emmott e Paul Carrel

    MUNIQUE(Reuters) - O vice-presidente dos Estados Unidos, Mike Pence, repreendeu as potências europeias em relação ao Irã e à Venezuela, em um novo ataque contra aliados tradicionais de Washington, rejeitando o pedido da chanceler alemã de incluir a Rússia nas tentativas de cooperações globais.

    Em discursos e conversas privadas na Conferência de Segurança de Munique, neste sábado, Pence e a chanceler alemã Angela Merkel expuseram visões conflitantes sobre como o Ocidente deveria lidar com as crises mundiais.

    'Os Estados Unidos estão mais fortes do que nunca e, mais uma vez, lideram no cenário mundial', disse Pence a oficiais europeus e asiáticos, listando o que ele descreve como sucessos da política externa americana, do Afeganistão à Coreia do Norte, e pedindo apoio dos aliados.

    'America primeiro não significa America sozinha', disse, exaltando os resultados da presidência de Donald Trump, e pedindo que a UE siga os EUA deixando o acordo nuclear com o Irã e reconhecendo o chefe do Congresso venezuelano, Juan Guaidó, como o presidente do país.

    Falando a uma audiência que incluía a filha de Trump, Ivanka, o discurso de Pence foi uma tentativa do governo Trump de inserir a venda 'America First'.

    Líderes europeus têm rejeitado a retórica de Trump, que consideram errática e disruptiva, citando que sua decisão de sair do acordo nuclear de 2015 com o Irã debilitou um acordo de controle de armas que impedia Teerã de ter uma bomba nuclear.

    Mas Pence -que semana passada acusou Reino Unido, Alemanha e França de debilitar as sanções americanas contra o Irã - repetiu a exigência para que potências europeias se retirem do acordo.

    'Chegou a hora de nossos parceiros europeus saírem do desastroso acordo nuclear com o Irã', disse e, posteriormente, pressionou Merkel sobre o assunto em conversas bilaterais.

    Ele também reiterou para Merkel a oposição de Washington a um gasoduto construído por Rússia e a Alemanha por baixo do Mar Báltico. 'Não podemos fortalecer o Ocidente sendo dependentes do Oriente', disse Pence.

    Merkel, que defendeu os laços com a Rússia, disse não ser razoável presumir que a Rússia seja uma fornecedora de energia não confiável.

    Ela questionou a decisão dos EUA de sair do acordo nuclear do Irã e retirar tropas da Síria como a melhor maneira de lidar com Teerã na região.

    Segundo ela, seria errado excluir a Rússia politicamente, mas Pence disse que Washington estava 'responsabilizando a Rússia' pela anexação de parte da Ucrânia em 2014 e pelo que o Ocidente considera ser um esforço para desestabilizá-lo por meio de ataques cibernéticos, desinformação e operações secretas.

    'Geoestrategicamente, a Europa não pode ter o interesse de cortar todas as relações com a Rússia', disse Merkel.

    Pence, que usou sua viagem à Europa para avançar a política de Trump de favorecer estados soberanos em vez de alianças ou blocos, atacou a UE em relação à crise política da Venezuela.

    'Pedimos que a União Europeia avance na direção da liberdade e reconheça Juan Guaidó como o único presidente legítimo da Venezuela', disse, chamando o presidente Nicolás Maduro de um ditador que precisa renunciar.

    Pence também aumentou a pressão dos EUA sobre empresas de telecomunicação chinesas, como a Huawei, pedindo que aliados evitem essas firmas e dizendo que a lei chinesa exige que elas deem a Pequim acesso a redes e informações.

    O principal diplomata chinês Yang Jiechi rechaçou os comentários de Pence. 'A lei chinesa não exige que empresas instalem portas dos fundos para coletar inteligência', disse.

    Escrito por Thomson Reuters

    1. Home
    2. noticias
    3. pence diz que chegou a hora …

    Este site usa cookies para garantir que você tenha a melhor experiência.