alexametrics
Capa do Álbum: Antena 1
ANTENA 1A RÁDIO ONLINE MAIS OUVIDA DO BRASIL

    Pesquisadores descobrem forma de saber se gestante terá parto prematuro

    Até então, a maneira mais comum de se calcular o risco de nascimento prematuro era medir o comprimento da cervical do útero.

    Por Redação

    Placeholder - loading - news single img

    Até 18 por cento dos bebês no mundo todo nascem prematuros. Normalmente, uma gestação humana dura entre 38 e 40 semanas – os nascidos muito antes disso podem ter problemas cognitivos, respiratórios ou cardíacos.

    Apesar de exames neonatais ajudarem a acompanhar o crescimento do feto, ainda não há como prever o exato momento em que uma mulher entrará em trabalho de parto. No entanto, saber se a gravidez é viável ou não o mais rápido possível é essencial para agilizar certas medidas preventivas para a mãe e para o bebê.

    Foi por isso que pesquisadores norte-americanos encontraram uma forma de calcular os riscos de se ter um parto prematuro. De acordo com o estudo, é possível encontrar particularidades no muco cervical de gestantes que deram à luz antes das 37 semanas para aquelas que cumpriram o tempo normal. Características dessa secreção, produzida no colo uterino, podem indicar se o parto tem chances de acontecer antes da hora.

    Experimentos anteriores mostraram que entre 25 e 40 por cento dos nascimentos prematuros têm a mesma origem: a culpa é das infecções causadas por micróbios, que ignoram as proteções mucosas do organismo e atingem o útero da mulher.

    Atualmente, a maneira mais comum de se calcular o risco de nascimento prematuro é medir o comprimento da cervical do útero – tamanhos mais curtos representam risco maior. Outro método envolve a análise da fibronectina fetal, material que prende o bebê às paredes do útero. Nenhum deles, porém, se mostrou definitivo. Mesmo apresentando padrões normais para esses dois critérios, mães ainda podem ter filhos prematuros. 

    Segundo os pesquisadores, testes de muco podem ser feitos ainda em estágios iniciais da gravidez, como parte dos exames de rotina. Fazendo isso, seria possível mapear com precisão uma das possíveis causas dos partos prematuros, preparando melhor a mãe para esse cenário.

    Para ler mais notícias, curta a página Antena 1 News no Facebook!

     

    1. Home
    2. /
    3. noticias
    4. /
    5. pesquisadores descobrem forma …
    6. /

    Este site usa cookies para garantir que você tenha a melhor experiência.