alexametrics
Capa do Álbum: Antena 1
ANTENA 1A RÁDIO ONLINE MAIS OUVIDA DO BRASIL

    NOTÍCIAS SOBRE central

    Veja essas e outras notícias da Antena 1

    Placeholder - loading - Imagem da notícia Governo central tem déficit primário de R$19,733 bi em agosto, pior que o esperado

    Governo central tem déficit primário de R$19,733 bi em agosto, pior que o esperado

    Por Marcela Ayres

    BRASÍLIA (Reuters) - O governo central, formado por Tesouro Nacional, Banco Central e Previdência Social, teve déficit primário de 19,733 bilhões de reais em agosto, segundo pior para o mês na série histórica iniciada em 1997, afetado pela elevação de despesas e queda das receitas.

    O dado veio pior que o rombo de 11,306 bilhões de reais projetado para o mês por analistas, segundo pesquisa Reuters. E veio a despeito do recebimento em agosto de 7,2 bilhões de reais em concessões, devido à antecipação de pagamentos associados à 15ª rodada de concessão de petróleo e gás.

    De um lado, as despesas tiveram alta de 5,9 por cento, em termos reais, a 112,193 bilhões de reais. Segundo o Tesouro, o avanço foi puxado principalmente pela execução de 1,7 bilhão de reais das despesas de financiamento da campanha eleitoral deste ano, fato que não ocorreu em agosto de 2017.

    Mas os gastos com pessoal e encargos pessoais também pesaram, com expansão de 4,4 por cento, já descontada a inflação, num acréscimo de 990,1 milhões de reais sobre agosto do ano passado.

    Ao mesmo tempo, a receita líquida teve uma queda real de 3,1 por cento, a 92,459 bilhões de reais, afetada por maior transferência de recursos a Estados e municípios, linha que cresceu 18,9 por cento no período.

    'A elevação nas transferências por repartição de receita em comparação a agosto de 2017 é explicada, em grande medida, pela melhora na arrecadação do Imposto de Renda Pessoa Jurídica, cuja transferência em agosto refere-se à arrecadação, em julho, da 1ª cota ou cota única relativa à apuração trimestral, e da participação especial pela exploração de petróleo e gás natural, cujo repasse sazonal aos Estados e municípios ocorre em agosto', disse o Tesouro, em apresentação.

    No mês, o rombo da Previdência foi de 18,017 bilhões de reais, ao passo que Tesouro e BC apresentaram um resultado negativo de 1,716 bilhão de reais.

    Nos oito primeiros meses do ano, o déficit do governo central somou 58,557 bilhões de reais, queda de 35,2 por cento sobre igual etapa do ano passado.

    Em 12 meses, o saldo negativo foi a 97,6 bilhões de reais, ante meta de déficit primário de 159 bilhões de reais para este ano.

    Este será o quinto resultado seguido no vermelho do Brasil, numa mostra do desequilíbrio entre receitas e despesas, quadro agravado pelo crescimento dos gastos obrigatórios, como os previdenciários e os ligados à folha de pagamento do funcionalismo.

    Mesmo assim, o governo tem batido na tecla que cumprirá o objetivo com folga. Na semana passada, o secretário do Tesouro, Mansueto Almeida, destacou que o governo agora vê um aumento de 4 bilhões de reais nas receitas esperadas no ano, montante que irá 'praticamente para excesso de primário, melhora em relação à meta'.

    O secretário também lembrou que o governo central deve se beneficiar ainda de uma economia de 15 bilhões de reais com recursos empoçados até o final do ano. Esse dinheiro já foi liberado para pagamento, mas não foi executado pelas pastas por uma série de amarras e vinculações, mensagem que foi repetida no relatório do Tesouro desta quarta-feira.

    'Deve-se ressaltar que o possível excesso de resultado primário em relação à meta não diminui o desafio fiscal brasileiro cuja superação passa, necessariamente, por reformas que estabilizem a dinâmica das despesas obrigatórias e pela geração de um resultado primário positivo que coloque a dívida pública bruta do governo geral em trajetória cadente', trouxe o texto.

    LER NOTICIA
    Placeholder - loading - Imagem da notícia Governo central tem déficit primário de R$11 bi em maio, melhor que o esperado

    Governo central tem déficit primário de R$11 bi em maio, melhor que o esperado

    BRASÍLIA (Reuters) - O governo central (Tesouro Nacional, Banco Central e Previdência Social) registrou déficit primário de 11,024 bilhões de reais em maio, cifra melhor que o esperado diante do quadro de despesas em queda, mas que tende a ficar pior após a greve dos caminhoneiros e que levou o governo a usar boa parte de sua folga fiscal para atender o pleito da categoria.

    O resultado divulgado nesta quinta-feira pelo Tesouro é o melhor para maio desde 2015, quando houve déficit primário de 8,553 bilhões de reais e veio melhor que o esperado em pesquisa Reuters com analistas, de rombo de 12,1 bilhões de reais no mês passado.

    Em maio de 2017, o rombo primário havia sido de 29,387 bilhões de reais. Segundo o Tesouro, o dado de agora foi influenciado positivamente pela antecipação do pagamento de precatórios (9,5 bilhões de reais) e resgate de 3,5 bilhões de reais do Fundo Soberano.

    Ajuste fiscal no Brasil vai cada vez mais depender da dinâmica das despesas obrigatórias , afirmou a jornalistas o secretário do Tesouro, Mansueto de Almeida Jr. Isso significa mudar regras, seja benefícios ligados a Previdência, gastos com pessoal ou subsídios , acrescentou.

    Para 2018, a meta do governo central é de déficit primário de 159 bilhões de reais, sendo que nos 12 meses até maio, o rombo estava em 106,2 bilhões de reais.

    O resultado foi influenciado por receitas líquidas, que somaram 87,759 bilhões de reais em maio, com alta real (descontada a inflação) de 9,8 por cento. No mês passado, houve pagamento de dividendos da Caixa Ecônomica Federal (2,8 bilhões de reais) e do Banco de Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social (1,5 bilhão de reais).

    As despesas tiveram queda real de 7,2 por cento em maio sobre um ano antes, a 102,283 bilhões de reais.

    O Tesouro informou ainda que o rombo da Previdência chegou a 15,096 bilhões de reais no mês passado, queda real de 18,6 por cento sobre maio de 2017, enquanto Tesouro e BC registraram juntos superávit primário de 4,072 bilhões de reais.

    O governo vem reiterando a viabilidade da meta fiscal deste ano, mas a tarefa ficou mais difícil após a greve dos caminhoneiros em maio, que causou forte desabastecimento no país e afetou a atividade econômica e a arrecadação.

    Além disso, o governo arcou com custo fiscal de mais de 15 bilhões de reais para atender a demanda da categoria e conseguir reduzir o preço do diesel.

    Os economistas pioraram muito as expectativas para o déficit primário do governo central neste ano, segundo o relatório Prisma Fiscal divulgado pelo Ministério da Fazenda. Pela mediana, a projeção subiu a 151,192 bilhões de reais, contra 138,543 bilhões de reais anteriormente.

    Pesquisa Focus do BC, que ouve uma centena de economistas todas as semanas, mostra que a estimativa de expansão do Produto Interno Bruto (PIB) do país neste ano estava em torno de 1,5 por cento, depois de ter chegado a 3 por cento alguns meses antes.

    O Tesouro divulgou ainda que a margem de insuficiência para o cumprimento da regra de ouro é de 102,5 bilhões de reais em 2018, levando em consideração recursos repassados pelo BNDES, 27,5 bilhões de reais do fundo soberano, 17,4 bilhões do Fundo Nacional de Desenvolvimento (FND), entre outros.

    O governo trabalha com outras medidas que assegurarão o cumprimento da regra de ouro em 2018, que incluem outros pagamentos antecipados do BNDES , trouxe o Tesouro em nota.

    A regra de ouro impede que o governo emita dívida para bancar despesas de custeio, como salários.

    (Por Mateus Maia)

    LER NOTICIA

    Fique por dentro

    de tudo o que acontece nos bastidores do mundo da música, desde lançamentos, shows, homenagens, parcerias e curiosidades sobre o seu artista favorito. A vinda de artistas ao Brasil, cantores e bandas confirmadas no Lollapalooza e no Rock in Rio, ações beneficentes, novos álbuns, singles e clipes. Além disso, você acompanha conosco a cobertura das principais premiações do mundo como o Oscar, Grammy Awards, BRIT Awards, American Music Awards e Billboard Music Awards. Leia as novidades sobre Phil Collins, Coldplay, U2, Jamiroquai, Tears for Fears, Céline Dion, Ed Sheeran, A-ha, Shania Twain, Culture Club, Spice Girls, entre outros. Aproveite também e ouça esses e outros artistas no aplicativo da Rádio Antena 1, baixe na Apple Store ou Google Play e fique sintonizado.

    1. Home
    2. noticias
    3. tags
    4. central

    Este site usa cookies para garantir que você tenha a melhor experiência.