alexametrics
Capa do Álbum: Antena 1
ANTENA 1A RÁDIO ONLINE MAIS OUVIDA DO BRASIL

    NOTÍCIAS SOBRE datafolha

    Veja essas e outras notícias da Antena 1

    Placeholder - loading - Imagem da notícia Haddad comemora Datafolha e aposta em virada até domingo

    Haddad comemora Datafolha e aposta em virada até domingo

    BRASÍLIA (Reuters) - O candidato do PT à Presidência, Fernando Haddad, comemorou o resultado da pesquisa Datafolha que mostrou uma queda de seis pontos na distância entre sua candidatura e de seu adversário, Jair Bolsonaro (PSL), e afirmou que é possível virar os votos até domingo.

    'O Bolsonaro disse no domingo que vai varrer a oposição. Pois ele não vai ter oposição, porque ele não vai ser governo. Nós vamos virar', disse em comício em Olinda (PE). 'Está fácil virar votos. Na cidade de São Paulo, que eu governei, eu já passei.'

    Boatos de que o Datafolha não traria o mesmo movimento captado pelo Ibope e mostraria uma estagnação da candidatura de Haddad preocupavam a campanha antes da divulgação oficial, mesmo que os trackings petistas captassem o mesmo movimento. A leitura era de que uma estagnação a três dias da eleição enterraria de vez a campanha.

    De acordo com o Datafolha, Bolsonaro tem 56 por cento das intenções de voto, nos votos válidos, e Haddad, 44 por cento, uma diferença de 12 pontos. No levantamento anterior, há três, a distância era de 18 pontos.

    'Galera, mesmo o arregão não indo a debates ele está caindo nas pesquisas. Ele cai mesmo sem falar nada. Quando ele fala, ele cai mais. Nós temos quatro dias para tirar essa diferença, que já é pequena', disse depois Haddad em um vídeo distribuído nas redes sociais.

    'Não tem o que fazer nessa eleição, é votar pela democracia, votar pelos direitos, é afastar esse discurso de ódio do Jair Bolsonaro.'

    (Reportagem de Lisandra Paraguassu)

    LER NOTICIA
    Placeholder - loading - Imagem da notícia Distância diminui e Bolsonaro tem 56% dos válidos, contra 44% de Haddad, diz Datafolha

    Distância diminui e Bolsonaro tem 56% dos válidos, contra 44% de Haddad, diz Datafolha

    SÃO PAULO (Reuters) - A vantagem do candidato do PSL à Presidência, Jair Bolsonaro, para o petista Fernando Haddad caiu 6 pontos em uma semana e agora, a três dias da eleição de domingo, o capitão da reserva aparece com 56 por cento dos votos válidos, contra 44 por cento do ex-prefeito de São Paulo, mostrou pesquisa Datafolha divulgada nesta quinta-feira.

    A pesquisa anterior do instituto, divulgada há uma semana, mostrou Bolsonaro com 59 por cento dos votos válidos, enquanto Haddad aparecia com 41 por cento. A margem de erro da pesquisa, contratada pela Folha de S.Paulo e pela TV Globo e divulgada no site do jornal, é de 2 pontos percentuais.

    Nos votos totais, Bolsonaro aparece com 48 por cento, ante os 50 por cento que registrava na semana passada, enquanto Haddad soma 38 por cento, era 35 por cento.

    Brancos e nulos somam 8 por cento, ante 10 por cento, e o percentual dos que não sabem ou não responderam é de 6 por cento, em comparação com os 5 por cento anteriores. De acordo com o Datafolha, do total que declarou voto branco ou nulo, 22 por cento declararam que podem mudar de ideia até o domingo.

    O Datafolha também pesquisou o potencial de voto e a rejeição de ambos os candidatos. Segundo o levantamento, 46 por cento disse que votará em Bolsonaro com certeza, ante 48 por cento na pesquisa anterior, enquanto 44 por cento declarou que não votaria de jeito nenhum no presidenciável do PSL, ante 41 por cento na semana passada.

    Em relação a Haddad, 37 por cento declararam ter certeza no voto no petista, ante 33 por cento há uma semana, enquanto 52 por cento disseram que não votariam nele de jeito nenhum, eram 54 por cento na semana passada.

    O Datafolha ouviu 9.173 pessoas entre quarta-feira e esta quinta.

    (Por Eduardo Simões)

    LER NOTICIA
    Placeholder - loading - Imagem da notícia Bolsonaro tem 58% dos votos válidos contra 42% de Haddad, diz Datafolha

    Bolsonaro tem 58% dos votos válidos contra 42% de Haddad, diz Datafolha

    SÃO PAULO (Reuters) - O candidato do PSL à Presidência, Jair Bolsonaro, tem 58 por cento dos votos válidos para o segundo turno da eleição presidencial marcada para o final deste mês, enquanto o petista Fernando Haddad soma 42 por cento, mostrou pesquisa Datafolha divulgada nesta quarta-feira.

    O levantamento, divulgado no site do jornal Folha de S.Paulo, apontou Bolsonaro com 49 por cento das intenções de votos totais e Haddad com 36 por cento. Brancos e nulos somaram 8 por cento e indecisos foram 6 por cento.

    A margem de erro da pesquisa, contratada pela Folha e pela TV Globo, é de 2 pontos percentuais.

    Essa é a primeira pesquisa do Datafolha para o segundo turno. No último domingo, Bolsonaro venceu o primeiro turno com 46,03 por cento dos votos válidos, seguido por Haddad com 29,28 por cento.

    Na última pesquisa do Datafolha antes do primeiro turno, divulgada no sábado, véspera do primeiro turno, a simulação de segundo turno entre Bolsonaro e Haddad trazia o candidato do PSL com 45 por cento dos votos totais, contra 43 por cento do petista.

    APOIOS

    O levantamento também indicou que o apoio de candidatos derrotados no primeiro turno terão pouca influência na decisão de voto do eleitor nesta rodada decisiva, marcada para 28 de outubro.

    De acordo com o levantamento, 63 por cento dos entrevistados disseram ser indiferentes sobre o apoio de Ciro Gomes (PDT), enquanto 69 por cento fizeram a mesma avaliação em relação à influência do apoio de Geraldo Alckmin (PSDB).

    O PDT, de Ciro, que obteve 12,47 por cento dos votos válidos no domingo, anunciou nesta quarta 'apoio crítico' a Haddad. Alckmin, que também é presidente do PSDB e teve 4,76 por cento dos votos válidos no domingo, anunciou que seu partido liberará filiados e lideranças para apoiarem quem quiserem no segundo turno da disputa presidencial.

    O Datafolha ouviu 3.235 pessoas nesta quarta-feira.

    (Por Eduardo Simões)

    LER NOTICIA
    Placeholder - loading - Imagem da notícia Bolsonaro tem 40% dos votos válidos e Haddad aparece com 25%, diz Datafolha

    Bolsonaro tem 40% dos votos válidos e Haddad aparece com 25%, diz Datafolha

    SÃO PAULO (Reuters) - O candidato do PSL à Presidência, Jair Bolsonaro, segue à frente na corrida presidencial, agora com 40 por cento dos votos válidos, de acordo com pesquisa Datafolha divulgada neste sábado, véspera do primeiro turno da eleição, que também aponta o candidato do PT, Fernando Haddad, com 25 por cento.

    Na última pesquisa do instituto, divulgada na quinta-feira, Bolsonaro tinha 39 por cento dos votos válidos, contra 25 por cento de Haddad.

    O critério de votos válidos exclui os brancos e nulos e é usado pela Justiça Eleitoral para a contabilização oficial dos votos. Para vencer a eleição já no domingo e evitar um segundo turno um candidato precisa obter metade mais um dos votos válidos.

    Pelos votos totais, Bolsonaro tem agora 36 por cento, ante 35 por cento na pesquisa de quinta, enquanto Haddad soma os mesmos 22 por cento da pesquisa anterior.

    Ciro Gomes (PDT) soma agora 13 por cento, ante 11 por cento, e Geraldo Alckmin (PSDB) aparece com 7 por cento, ante 8 por cento na sondagem anterior.

    De acordo com o Datafolha, em um segundo turno entre Bolsonaro e Haddad, o ex-capitão do Exército teria 45 por cento, contra 43 por cento do petista, resultado que deixa ambos empatados dentro da margem de erro da pesquisa, que é de 2 pontos percentuais. Na pesquisa de quinta-feira, Bolsonaro ficaria com 44 por cento e Haddad, com 43 por cento.

    O Datafolha ouviu 19.552 pessoas entre sexta-feira e este sábado.

    (Por Eduardo Simões)

    LER NOTICIA
    Placeholder - loading - Imagem da notícia Bolsonaro lidera corrida presidencial com 35% e Haddad tem 22%, diz Datafolha

    Bolsonaro lidera corrida presidencial com 35% e Haddad tem 22%, diz Datafolha

    SÃO PAULO (Reuters) - O candidato do PSL à Presidência, Jair Bolsonaro, segue na liderança da corrida presidencial com 35 por cento da preferência do eleitorado, ampliando a vantagem sobre o petista Fernando Haddad, que vem em segundo lugar com 22 por cento, mostrou pesquisa Datafolha divulgada nesta quinta-feira.

    Levantamento anterior do instituto, divulgado na terça-feira, mostrava Bolsonaro com 32 por cento, enquanto Haddad aparecia com 21 por cento.

    A pesquisa desta quinta-feira apontou ainda Ciro Gomes (PDT) com 11 por cento, mesmo patamar da terça; Geraldo Alckmin (PSDB) tem 8 por cento, eram 9 por cento há dois dias, e Marina Silva (Rede) soma os mesmos 4 por cento da pesquisa anterior.

    João Amoêdo (Novo) aparece com 3 por cento, mesmo patamar da pesquisa de terça, Henrique Meirelles (MDB) e Alvaro Dias (Podemos) também mantiveram o mesmo patamar, de 2 por cento cada. Cabo Daciolo (Patriotas) oscilou 1 ponto para baixo, ficando com 1 por cento.

    Brancos e nulos somam 6 por cento, eram 8 por cento na terça, ao passo que o percentual dos que não sabem ou não responderam é de 5 por cento, mesmo patamar de dois dias atrás.

    Pelo critério de votos válidos, Bolsonaro soma 39 por cento, contra 38 por cento na terça, enquanto Haddad registra 25 por cento, ante os 24 por cento de dois dias atrás.

    Ciro tem 13 por cento dos votos válidos --12 por cento na terça--, Alckmin tem 9 por cento --ante 10 por cento na terça-- e Marina soma os mesmos 4 por cento da pesquisa anterior.

    Os votos válidos, que excluem os brancos e nulos, são usados pela Justiça Eleitoral na contagem oficial de votos. Para vencer a eleição já no primeiro turno um candidato precisa obter metade mais um dos votos válidos.

    SEGUNDO TURNO E REJEIÇÃO

    Em uma simulação de segundo turno entre Bolsonaro e Haddad, o candidato do PSL aparece com 44 por cento, enquanto o petista soma 43 por cento. Na pesquisa de terça, Bolsonaro estava com 44 por cento contra 42 por cento de Haddad.

    Bolsonaro perderia, de acordo com o Datafolha, um eventual segundo turno contra Ciro --48 a 42 por cento para o pedetista-- e sofreria derrota numérica, mas em empate técnico dentro da margem de erro de 2 pontos percentuais, para Alckmin --43 a 42 por cento para o tucano.

    Alckmin aparece numericamente à frente de Haddad em eventual segundo turno, mas em empate técnico no limite da margem de erro --42 a 38 por cento.

    O Datafolha também pesquisou a rejeição dos presidenciáveis e Bolsonaro segue como o mais rejeitado, mantendo o índice de 45 por cento da pesquisa de terça-feira. Haddad se manteve como o segundo mais rejeitado, com 40 por cento, ante 41 por cento na sondagem anterior.

    Marina é rejeitada por 28 por cento, ante 30 por cento, enquanto Alckmin manteve a rejeição de 24 por cento registrada na terça. Ciro tem rejeição de 21 por cento, ante 22 por cento na pesquisa anterior.

    O Datafolha ouviu 10.930 pessoas entre quarta e esta quinta. A margem de erro da pesquisa é de 2 pontos percentuais.

    (Por Eduardo Simões)

    LER NOTICIA
    Placeholder - loading - Imagem da notícia Bolsonaro vai a 32%, Haddad tem 21%; no 2º turno deputado fica à frente de petista, diz Datafolha

    Bolsonaro vai a 32%, Haddad tem 21%; no 2º turno deputado fica à frente de petista, diz Datafolha

    (Reuters) - O candidato do PSL à Presidência, Jair Bolsonaro, ampliou sua vantagem na liderança da corrida pelo Palácio do Planalto, registrando 32 por cento das intenções de voto, mostrou pesquisa Datafolha divulgada nesta terça-feira, que apontou o candidato do PT, Fernando Haddad, com 21 por cento.

    No levantamento divulgado na sexta-feira, o presidenciável do PSL tinha 28 por cento e o petista registrava 22 por cento.

    Em simulação de segundo turno, Bolsonaro aparece à frente de Haddad, por 44 a 42 por cento. Como a margem de erro da pesquisa é de 2 pontos percentuais, os dois estão em empate técnico nessa disputa. No levantamento anterior, o petista vencia por 45 a 39 por cento.

    A nova pesquisa, divulgada no site do jornal Folha de S.Paulo, mostrou ainda o candidato do PDT, Ciro Gomes, com 11 por cento das intenções de voto para o primeiro turno, repetindo a taxa anterior, seguido por Geraldo Alckmin (PSDB), com 9 por cento, ante 10 por cento.

    Marina Silva (Rede) aparece com 4 por cento da preferência do eleitorado, contra 5 por cento na pesquisa anterior, enquanto João Amoêdo (Novo) manteve os 3 por cento da sondagem anterior. Henrique Meirelles (MDB) e Alvaro Dias (Podemos) mantiveram-se em 2 por cento. Cabo Daciolo (Patriota) oscilou de 1 por cento, para 2 por cento.

    Brancos e nulos somam 8 por cento, contra 10 por cento na sondagem anterior. O índice dos que não sabem em que vão votar se manteve em 5 por cento.

    Em outras simulações de segundo turno, Bolsonaro fica atrás numericamente, mas no limite do empate técnico com Ciro --46 a 42 por cento -- e empatado tecnicamente com Alckmin --43 a 41 por cento. Na pesquisa de sexta, Ciro vencia por 48 a 38 por cento e Alckmin por 45 a 38 por cento.

    Haddad, por sua vez, seria derrotado tanto por Alckmin --43 a 36 por cento-- quanto para Ciro --46 a 32 por cento.

    REJEIÇÃO

    A pesquisa também mostrou um salto na rejeição de Haddad. O percentual dos que afirmam que não votariam no petista de jeito nenhum, de acordo com o Datafolha, é de 41 por cento, ante 32 por cento na sondagem anterior.

    Bolsonaro ainda segue como o candidato mais rejeitado, por 45 por cento do eleitorado, de acordo com o Datafolha. Na pesquisa anterior eram 46 por cento.

    Marina é rejeitada por 30 por cento, contra 28 por cento na pesquisa anterior. A rejeição de Alckmin se manteve em 24 por cento, enquanto a de Ciro oscilou 1 ponto para cima, para 22 por cento.

    O Datafolha ouviu 3.240 eleitores em 225 municípios brasileiros nesta terça-feira.

    (Por Eduardo Simões)

    LER NOTICIA
    Placeholder - loading - Imagem da notícia Bolsonaro segue na liderança com 28% e Haddad vai a 22%, diz Datafolha; petista venceria num 2º turno

    Bolsonaro segue na liderança com 28% e Haddad vai a 22%, diz Datafolha; petista venceria num 2º turno

    SÃO PAULO (Reuters) - O candidato do PSL, Jair Bolsonaro, segue na liderança da disputa do primeiro turno da eleição presidencial, mantendo 28 por cento das intenções de voto, seguido pelo presidenciável do PT, Fernando Haddad, com 22 por cento, mas na segunda rodada a vitória seria do petista, mostrou pesquisa Datafolha divulgada nesta sexta-feira.

    O petista tinha 16 por cento no levantamento anterior, do dia 20.

    Na nova pesquisa, divulgada pela TV Globo, o candidato do PDT, Ciro Gomes, apareceu com 11 por cento, ante 13 por cento, seguido por Geraldo Alckmin (PSDB), com 10 por cento, ante 9 por cento, e Marina Silva (Rede) com 5 por cento, ante 7 por cento antes.

    Como a margem de erro da pesquisa é de 2 pontos percentuais, Alckmin e Ciro estão em empate técnico.

    O levantamento mostra ainda João Amoêdo (Novo) com os mesmos 3 por cento da pesquisa anterior, seguido por Henrique Meirelles (MDB), que também repetiu a taxa anterior, de 2 por cento, e Alvaro Dias (Podemos), com 2 por cento (ante 3 por cento).

    Os votos nulos e brancos somaram 10 por cento, ante 12 por cento na última pesquisa, enquanto os entrevistados que disseram não saber em quem irão votar se mantiveram em 5 por cento.

    SEGUNDO TURNO

    Em simulações de segundo turno, Ciro é o único candidato que venceria todos os rivais. Em uma eventual disputa com Bolsonaro, o candidato do PDT ganharia por 48 a 38 por cento (ante 45 a 39 por cento).

    Numa simulação entre Bolsonaro e Haddad, o petista venceria por 45 por cento a 39 por cento. Na semana passada, os dois estavam empatados em 41 por cento.

    Em um confronto do candidato do PSL contra Alckmin, o tucano venceria por 45 a 38 por cento. No último levantamento o placar havia sido numericamente favorável a Alckmin, por 40 a 39 por cento, mas em um empate técnico.

    Na simulação entre Haddad e Alckmin, os dois aparecem empatados em 39 por cento. O placar anterior era favorável ao tucano por 39 a 35 por cento.

    O Datafolha também pesquisou a rejeição dos candidatos, e apontou que Bolsonaro segue o mais rejeitado pelos eleitores, com 46 por cento, ante 43 por cento no levantamento anterior.

    A seguir aparecem Haddad, com 32 por cento (ante 29 por cento), Marina, com 28 por cento (ante 32 por cento); Alckmin, com os mesmos 24 por cento anteriores; e Ciro, com 21 por cento (ante 22 por cento).

    O Datafolha ouviu 9 mil eleitores em 343 municípios brasileiros entre quarta e sexta-feira.

    (Por Alexandre Caverni)

    LER NOTICIA
    Placeholder - loading - Imagem da notícia Bolsonaro vai a 28%, Haddad a 16% e Ciro mantém 13%, diz Datafolha

    Bolsonaro vai a 28%, Haddad a 16% e Ciro mantém 13%, diz Datafolha

    (Reuters) - O candidato do PSL à Presidência, Jair Bolsonaro, segue na liderança da disputa pelo Palácio do Planalto, agora com 28 por cento de apoio, mostrou pesquisa Datafolha divulgada nesta quinta-feira, que também apontou o candidato do PT, Fernando Haddad, com 16 por cento, em empate técnico com Ciro Gomes (PDT), que registra 13 por cento.

    O levantamento anterior do Datafolha, divulgado na última sexta-feira, mostrava o candidato do PSL com 26 por cento da preferência do eleitorado, enquanto Haddad e Ciro estavam empatados com 13 por cento.

    Na nova pesquisa, o candidato do PSDB, Geraldo Alckmin, aparece com 9 por cento, estável ante a pesquisa anterior, e Marina Silva (Rede) com 7 por cento, ante 8 por cento antes.

    A margem de erro da pesquisa é de 2 pontos percentuais.

    Apesar de ter colocado Haddad numericamente em segundo lugar à frente de Ciro, o Datafolha não mostrou o mesmo salto do petista apontado na terça-feira em pesquisa Ibope.

    No levantamento do Ibope, Haddad apareceu isolado em segundo após crescer 11 pontos em relação à pesquisa anterior, chegando a 19 por cento, atrás de Bolsonaro, com 28 por cento, e à frente de Ciro, com 11 por cento.

    O Datafolha divulgado na madrugrada desta quinta-feira no site do jornal Folha de S.Paulo mostrou que Alvaro Dias (Podemos) e João Amoêdo (Novo) permaneceram com 3 por cento de apoio, enquanto Henrique Meirelles oscilou negativamente 1 ponto e foi a 2 por cento.

    Disseram não saber em quem votar 5 por cento dos entrevistados, e 12 por cento declararam voto em branco, nulo ou em nenhum dos candidatos, segundo o Datafolha.

    O Datafolha também pesquisou a rejeição dos candidatos, e apontou que Bolsonaro segue o mais rejeitado pelos eleitores, com 43 por cento, ante 44 por cento no levantamento anterior.

    As maiores rejeições a seguir são, pela ordem, de Marina, com 32 por cento (ante 30 por cento); Haddad, com 29 por cento (ante 26 por cento); Alckmin, com 24 por cento (ante 25 por cento); e Ciro, com 22 por cento (ante 21).

    Em simulações de segundo turno pesquisadas pelo Datafolha, Ciro é o único candidato que venceria todos os rivais. Em uma eventual disputa com Bolsonaro, o candidato do PDT ganharia por 45 por cento a 39 por cento.

    Em outros cenários, Bolsonaro empataria com Haddad, Alckmin e Marina. No caso de uma disputa entre Bolsonaro e Haddad, os dois candidatos aparecem empatados com 41 por cento, enquanto o candidato do PSL fica com 39 por cento contra 40 por cento de Alckmin e teria 42 por cento contra 41 por cento de Marina.

    O Datafolha ouviu 8.601 eleitores em 323 municípios brasileiros entre os dias 18 e 19 de setembro.

    LER NOTICIA
    Placeholder - loading - Imagem da notícia Bolsonaro mantém liderança de corrida presidencial com 26%, Haddad vai a 13%, diz Datafolha

    Bolsonaro mantém liderança de corrida presidencial com 26%, Haddad vai a 13%, diz Datafolha

    Por Eduardo Simões

    SÃO PAULO (Reuters) - O candidato do PSL à Presidência, Jair Bolsonaro, segue na liderança da disputa pelo Palácio do Planalto, agora com 26 por cento, apontou pesquisa Datafolha divulgada nesta sexta-feira, que também trouxe o candidato do PT, Fernando Haddad, empatado na segunda posição com 13 por cento.

    O levantamento do instituto divulgado na segunda-feira mostrou o candidato do PSL com 24 por cento da preferência do eleitorado.

    O candidato do PDT, Ciro Gomes, aparece logo atrás de Bolsonaro, com 13 por cento, mesmo patamar da sondagem de segunda-feira, e empatado com Haddad, que também soma 13 por cento, ante 9 por cento na pesquisa de segunda-feira.

    Geraldo Alckmin (PSDB) aparece com 9 por cento, contra 10 por cento na pesquisa anterior, e Marina Silva (Rede) tem 8 por cento, ante 11 por cento.

    Assim, Alckmin está tecnicamente empatado com Ciro e Haddad, no limite da margem de erro, que é de 2 pontos percentuais, e Marina tem empate técnico com o tucano.

    Haddad foi anunciado na terça-feira como substituto do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva na disputa.

    Alvaro Dias (Podemos) tem 3 por cento, contra 4 por cento na pesquisa de segunda-feira, enquanto Henrique Meirelles (MDB) e João Amoêdo (Novo) mantiveram os 3 por cento que tinham na pesquisa anterior.

    O Datafolha apontou que 13 por cento dos entrevistados declararam voto branco ou nulo e 6 por cento não souberam responder.

    De acordo com a pesquisa, Bolsonaro segue como candidato mais rejeitado pelo eleitorado, com 44 por cento de rejeição, ante 43 por cento na pesquisa anterior.

    Marina é a segunda mais rejeitada, com 30 por cento, ante 29 por cento, seguida de Haddad, que tem 26 por cento de rejeição, contra 22 por cento na pesquisa de segunda-feira. Alckmin é rejeitado por 25 por cento, contra 24 por cento na sondagem anterior, e Ciro tem 21 por cento de rejeição, contra 20 por cento.

    SEGUNDO TURNO

    De acordo com o Datafolha, Haddad perde para todos os adversários nas simulações de segundo turno, obtendo empate técnico, mas derrota numérica contra Bolsonaro --41 a 40 por cento para o candidato do PSL.

    O candidato do PT seria derrotado num eventual segundo turno contra Ciro (45 a 27 por cento), Alckmin (40 a 32 por cento) e Marina (39 a 34 por cento).

    Bolsonaro, por sua vez, seria derrotado por todos os demais, exceto Haddad, mas consegue empate técnico no limite da margem de erro contra Marina --43 a 39 por cento para a presidenciável da Rede-- e Alckmin --41 a 37 por cento para o tucano.

    O candidato do PSL, internado há mais de uma semana depois de levar uma facada durante evento de campanha em Juiz de Fora (MG), perderia um eventual segundo turno para Ciro (45 a 38 por cento).

    Ciro, por sua vez, aparece com vantagem para além da margem de erro sobre todos os rivais. Venceria Marina (44 a 32 por cento) e Alckmin (40 a 34 por cento).

    Num cenário em que Alckmin e Marina disputam o segundo turno, o tucano tem vantagem numérica sobre a presidenciável da Rede, mas há empate técnico --39 a 36 por cento.

    O Datafolha ouviu 2.820 pessoas entre quinta e esta sexta-feira.

    LER NOTICIA
    Placeholder - loading - Imagem da notícia Bolsonaro lidera corrida presidencial com 24% após ser esfaqueado, 4 disputam 2º lugar, mostra Datafolha

    Bolsonaro lidera corrida presidencial com 24% após ser esfaqueado, 4 disputam 2º lugar, mostra Datafolha

    SÃO PAULO (Reuters) - O candidato do PSL à Presidência, Jair Bolsonaro, segue com folga na liderança da corrida pelo Palácio do Planalto com 24 por cento, enquanto outros quatro presidenciáveis embolam a disputa pelo segundo lugar, mostrou pesquisa Datafolha divulgada nesta segunda-feira, a primeira após o presidenciável do PSL ser esfaqueado na semana passada.

    O resultado significa uma oscilação positiva de 2 pontos percentuais em relação à pesquisa anterior do Datafolha, quando Bolsonaro tinha 22 por cento das intenções de voto.

    O ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva, que liderava a disputa, teve barrada sua candidatura pelo Tribunal Superior Eleitoral (TSE) na madrugada de 1º de setembro.

    A pesquisa mostrou Ciro Gomes (PDT) com 13 por cento, ante 10 por cento na pesquisa anterior; Marina Silva (Rede) com 11 por cento, ante 16 por cento; e Geraldo Alckmin (PSDB) com 10 por cento, ante 9 por cento.

    O candidato a vice pelo PT, Fernando Haddad, que deve substituir Lula na cabeça de chapa, foi o único a crescer fora da margem de erro, passando para 9 por cento, ante 4 por cento no levantamento anterior.

    Como a margem de erro da pesquisa é de 2 pontos percentuais, Ciro, Marina, Alckmin e Haddad estão em empate técnico, embora isso se dê no limite entre o candidato do PDT e o petista.

    Os votos brancos e nulos somaram 15 por cento, ante 22 por cento, enquanto os que não responderam ou não quiseram opinar foram 7 por cento, ante 6 por cento.

    O Datafolha apontou ainda que a rejeição a Bolsonaro aumentou em relação ao levantamento anterior, realizando antes de ele ser esfaqueado durante evento de campanha em Juiz de Fora (MG) e ter de passar por um delicada cirurgia de emergência na última quinta-feira. O percentual dos que afirmam que não votariam de jeito nenhum no candidato do PSL soma 43 por cento, ante 39 por cento na sondagem anterior.

    Marina é rejeitada por 29 por cento do eleitorado, contra 25 por cento na sondagem anterior; enquanto Alckmin tem 24 por cento de rejeição, contra 26 por cento; Haddad tem 22 por cento de eleitores que não votariam nele de forma alguma, ante 21 por cento, e Ciro é rejeitado por 20 por cento, contra 23 por cento.

    SEGUNDO TURNO

    O Datafolha também fez simulações de segundo turno e, em todas elas, Bolsonaro fica atrás dos rivais, conseguindo um empate técnico contra Haddad, mas numericamente atrás do petista.

    O candidato do PSL perderia para Marina (43 a 37 por cento), Alckmin (43 a 34 por cento), Ciro (45 a 35 por cento) e Haddad (39 a 38 por cento), mas neste caso em empate técnico.

    Haddad, por sua vez, seria derrotado por Alckmin (43 a 29 por cento) e Marina (42 a 31 por cento). O Datafolha não simulou um segundo turno entre Haddad e Ciro.

    Em caso de segundo turno entre Ciro e Alckmin, o pedetista aparece numericamente à frente, mas em empata técnico no limite da margem de erro: 39 a 35 por cento. O candidato do PDT derrotaria Marina, 41 a 35 por cento.

    Um cenário de duelo entre Alckmin e Marina tem empate técnico, com vantagem numérica para a presidenciável da Rede, por 38 a 37 por cento.

    O Datafolha ouviu 2.804 pessoas em 197 municípios nesta segunda-feira.

    (Por Eduardo Simões)

    LER NOTICIA

    Fique por dentro

    de tudo o que acontece nos bastidores do mundo da música, desde lançamentos, shows, homenagens, parcerias e curiosidades sobre o seu artista favorito. A vinda de artistas ao Brasil, cantores e bandas confirmadas no Lollapalooza e no Rock in Rio, ações beneficentes, novos álbuns, singles e clipes. Além disso, você acompanha conosco a cobertura das principais premiações do mundo como o Oscar, Grammy Awards, BRIT Awards, American Music Awards e Billboard Music Awards. Leia as novidades sobre Phil Collins, Coldplay, U2, Jamiroquai, Tears for Fears, Céline Dion, Ed Sheeran, A-ha, Shania Twain, Culture Club, Spice Girls, entre outros. Aproveite também e ouça esses e outros artistas no aplicativo da Rádio Antena 1, baixe na Apple Store ou Google Play e fique sintonizado.

    1. Home
    2. noticias
    3. tags
    4. datafolha

    Este site usa cookies para garantir que você tenha a melhor experiência.