alexametrics
Capa do Álbum: Antena 1
ANTENA 1A RÁDIO ONLINE MAIS OUVIDA DO BRASIL

    NOTÍCIAS SOBRE igpm

    Veja essas e outras notícias da Antena 1

    Placeholder - loading - Imagem da notícia IGP-M recua 1,08% em dezembro mas termina ano com alta acumulada de 7,54%, diz FGV

    IGP-M recua 1,08% em dezembro mas termina ano com alta acumulada de 7,54%, diz FGV

    SÃO PAULO (Reuters) - O Índice Geral de Preços-Mercado (IGP-M) terminou o ano com alta de 7,54 por cento, após deflação no anterior, pressionado principalmente pela alta dos preços de produtos industriais no atacado, informou a Fundação Getulio Vargas (FGV) nesta sexta-feira.

    Em dezembro, o índice recuou 1,08 por cento, contra expectativa em pesquisa da Reuters de um declínio de 1,11 por cento, depois de ter recuado 0,49 por cento em novembro. Em 2017, o IGP-M terminou com deflação de 0,52 por cento.

    Em dezembro, o Índice de Preços ao Produtor Amplo (IPA), que responde por 60 por cento do índice geral e apura a variação dos preços no atacado, registrou queda de 1,67 por cento, sobre recuo de 0,81 por cento no mês anterior, terminando o ano com alta de 9,43 por cento.

    No IPA, os produtos industriais terminaram o ano com alta acumulada de 9,96 por cento depois de queda de 1,77 por cento no último mês do ano, enquanto os produtos agropecuários tiveram ao longo de 2018 avanço de 7,83 por cento.

    Já o Índice de Preços ao Consumidor (IPC), que tem peso de 30 por cento no índice geral, desacelerou a alta a 0,04 por cento no mês, sobre avanço de 0,09 por cento em novembro. No ano, o IPC acumulou alta de 4,12 por cento.

    Em dezembro, o destaque foi o grupo de Transportes, que recuou 0,9 por cento ante uma variação negativa de 0,1 por cento antes, influenciado principalmente pelo comportamento dos preços da gasolina.

    O Índice Nacional de Custo da Construção (INCC) apresentou em dezembro alta de 0,13 por cento, depois de avançar 0,26 por cento no mês anterior, e em 12 meses teve uma variação positiva de 3,97 por cento.

    O IGP-M é utilizado como referência para a correção de valores de contratos, como os de aluguel de imóveis.

    (Por Stéfani Inouye)

    0

    0

    7

    2 S

    Placeholder - loading - Imagem da notícia IGP-M recua 0,49% em novembro e tem primeira queda mensal em quase 1 ano e meio, diz FGV

    IGP-M recua 0,49% em novembro e tem primeira queda mensal em quase 1 ano e meio, diz FGV

    SÃO PAULO (Reuters) - O Índice Geral de Preços-Mercado (IGP-M) recuou 0,49 por cento em novembro e fechou um mês com deflação pela primeira vez em quase um ano e meio diante do recuo dos preços no atacado e da pressão fraca no varejo, informou nesta quinta-feira pela Função Getulio Vargas (FGV).

    Após alta de 0,89 por cento em outubro, a queda registrada neste mês ficou praticamente em linha com a expectativa em pesquisa da Reuters era de recuo de 0,47 por cento.

    O IGP-M já havia registrado queda tanto na primeira quanto na segunda prévia de novembro, e a última vez que encerrou o mês com deflação foi em julho de 2017 (-0,72 por cento).[nL1N1XK00A]

    Em novembro, o Índice de Preços ao Produtor Amplo (IPA), que responde por 60 por cento do índice geral e apura a variação dos preços no atacado, apresentou recuo de 0,81 por cento, contra alta de 1,11 por cento em outubro.

    O IPA mostrou que os preços do grupo de Bens Intermediários teve queda de 0,55 por cento, depois de uma alta de 2,05 por cento em outubro, com destaque para o subgrupo de combustíveis e lubrificantes para a produção.

    Já o Índice de Preços ao Consumidor (IPC), que tem peso de 30 por cento no índice geral, desacelerou a alta a 0,09 por cento no mês, de 0,51 por cento em outubro.

    O grupo de Transportes deu a maior contribuição para o resultado ao recuar 0,10 por cento em novembro, depois de uma alta de 1,06 por cento no mês anterior.

    O Índice Nacional de Custo da Construção (INCC) avançou 0,26 por cento em novembro, depois de subir 0,33 por cento no mês anterior.

    O IGP-M é utilizado como referência para a correção de valores de contratos, como os de aluguel de imóveis.

    (Por Stéfani Inouye)

    0

    0

    4

    1 M

    Placeholder - loading - Imagem da notícia IGP-M tem alta de 1,34% na 2ª prévia de setembro, pressionado por preços no atacado, diz FGV

    IGP-M tem alta de 1,34% na 2ª prévia de setembro, pressionado por preços no atacado, diz FGV

    SÃO PAULO (Reuters) - A alta dos preços dos produtos agropecuários e industriais no atacado acelerou e o Índice Geral de Preços-Mercado (IGP-M) subiu 1,34 por cento na segunda prévia de setembro, depois de avançar 0,67 por cento no mesmo período do mês anterior.

    Os dados da Fundação Getulio Vargas (FGV) mostraram nesta terça-feira que, na segunda prévia de setembro, o Índice de Preços ao Produtor Amplo (IPA), que responde por 60 por cento do índice geral e apura a variação dos preços no atacado, acelerou a alta a 1,95 pro cento, de 0,95 por cento na leitura anterior.

    Os Produtos Agropecuários passaram a subir 1,83 por cento no período de 1,37 por cento antes, enquanto os Industriais registraram alta de 1,98 por cento, contra 0,81 por cento na segunda prévia de agosto.

    Para os consumidores a pressão no período também foi maior, uma vez que o Índice de Preços ao Consumidor (IPC), que tem peso de 30 por cento no índice geral, passou a subir 0,16 por cento, depois de variação positiva de 0,05 por cento na segunda prévia de agosto.

    A principal contribuição partiu do grupo de Educação, Leitura e Recreação, que registrou avanço de 0,47 por cento, depois de ter apresentado variação negativa de 0,46 por cento no mês anterior.

    O Índice Nacional de Custo da Construção (INCC) desacelerou a alta de 0,19 por cento na segunda leitura de setembro, sobre avanço de 0,36 por cento em agosto.

    O IGP-M é utilizado como referência para a correção de valores de contratos, como os de aluguel de imóveis.

    A segunda prévia do IGP-M calculou as variações de preços no período entre os dias 21 do mês anterior e 10 do mês de referência.

    (Por Stéfani Inouye)

    0

    0

    11

    4 M

    Placeholder - loading - Imagem da notícia IGP-M acelera alta a 0,67% na 2ª prévia de agosto, diz FGV

    IGP-M acelera alta a 0,67% na 2ª prévia de agosto, diz FGV

    SÃO PAULO (Reuters) - O Índice Geral de Preços-Mercado (IGP-M) acelerou a alta a 0,67 por cento na segunda prévia de agosto, sobre avanço de 0,53 por cento no mesmo período do mês anterior, informou a Fundação Getulio Vargas (FGV) nesta sexta-feira.

    O Índice de Preços ao Produtor Amplo (IPA), que responde por 60 por cento do índice geral e apura a variação dos preços no atacado, teve alta de 0,95 por cento, contra aumento de 0,52 por cento no mês anterior.

    O destaque ficou para o grupo de Matérias-Primas Brutas, que avançou 2 por cento, ante variação negativa de 1,10 por cento em julho. Neste caso, contribuíram para o avanço os preços de milho em grão, com alta de 1,87 por cento agora, frente à deflação de 9,05 por cento antes.

    A FGV informou ainda que o Índice de Preços ao Consumidor (IPC), que tem peso de 30 por cento no índice geral, desacelerou a alta a 0,05 por cento, contra o avanço de 0,39 por cento antes.

    A principal contribuição para o movimento veio do grupo Habitação, que avançou 0,54 por cento, abaixo da variação positiva de 1,22 por cento registrada no mês anterior.

    O Índice Nacional de Custo da Construção (INCC) avançou 0,36 por cento em julho, depois de subir 0,90 por cento antes.

    O IGP-M é utilizado como referência para a correção de valores de contratos, como os de aluguel de imóveis.

    A segunda prévia do IGP-M calculou as variações de preços no período entre os dias 21 do mês anterior e 10 do mês de referência.

    (Por Stéfani Inouye)

    0

    0

    20

    5 M

    Placeholder - loading - Imagem da notícia IGP-M acelera alta a 0,70% na 1ª prévia de agosto, diz FGV

    IGP-M acelera alta a 0,70% na 1ª prévia de agosto, diz FGV

    SÃO PAULO (Reuters) - O Índice Geral de Preços-Mercado (IGP-M) acelerou a alta a 0,70 por cento na primeira prévia de agosto, sobre avanço de 0,41 por cento no mesmo período do mês anterior, informou a Fundação Getulio Vargas (FGV) nesta sexta-feira.

    O Índice de Preços ao Produtor Amplo (IPA) registrou no período avanço de 1,03 por cento, depois de subir 0,34 por cento no mês anterior. O IPA mede a variação dos preços no atacado e responde por 60 por cento do índice geral.

    No IPA, o destaque ficou para o índice referente às Matérias-Primas Brutas, que avançou 1,66 por cento na primeira prévia de agosto, depois de ter caído 2,29 por cento no mês anterior.

    A FGV divulgou ainda que Índice de Preços ao Consumidor (IPC), que tem peso de 30 por cento no índice geral, caiu 0,07 por cento, frente à alta de 0,39 por cento na primeira leitura de julho.

    Seis das oito classes de despesa que compõem o índice apresentaram queda em suas variações, com destaque para o grupo de Transportes, cujos preços recuaram 0,13 por cento no mês, depois de ter avançado 0,72 por cento em julho.

    O Índice Nacional de Custo da Construção (INCC), por sua vez, desacelerou a alta a 0,41 por cento na primeira prévia de agosto, contra alta de 0,91 por cento no mesmo período do mês anterior.

    O IGP-M é utilizado como referência para a correção de valores de contratos, como os de aluguel de imóveis.

    (Por Stéfani Inouye)

    0

    0

    18

    5 M

    Placeholder - loading - Imagem da notícia IGP-M desacelera alta a 0,51% em julho, diz FGV

    IGP-M desacelera alta a 0,51% em julho, diz FGV

    SÃO PAULO (Reuters) - O Índice Geral de Preços-Mercado (IGP-M) desacelerou a alta em julho diante de uma redução em praticamente todos os índices que contribuem para a formação do indicador, com destaque para queda nos preços de alimentos e insumos.

    O indicador subiu 0,51 por cento em julho, sobre avanço de 1,87 por cento no mês anterior, informou a Fundação Getulio Vargas (FGV) nesta segunda-feira. Na segunda prévia de julho, o indicador havia registrado alta de 0,53 por cento.

    O Índice de Preços ao Produtor Amplo (IPA), que responde por 60 por cento do índice geral e apura a variação dos preços no atacado, apresentou variação positiva de 0,50 por cento, contra 2,33 por cento no mês anterior.

    O destaque ficou para os Produtos Agropecuários, cujos preços recuaram 1,83 por cento, depois de terem subido 3,03 por cento em junho.

    A FGV informou ainda que o Índice de Preços ao Consumidor (IPC), que tem peso de 30 por cento no índice geral, desacelerou a alta a 0,44 por cento, contra 1,09 por cento antes, com recuo em sete das oito classes de despesa que compõem o índice.

    A principal contribuição para o movimento veio do grupo de alimentação, que registrou queda de 0,19 por cento, ante avanço de 1,55 por cento no mês anterior.

    O Índice Nacional de Custo da Construção (INCC) avançou 0,72 por cento em julho, depois de subir 0,76 por cento antes.

    O IGP-M é utilizado como referência para a correção de valores de contratos, como os de aluguel de imóveis.

    (Por Stéfani Inouye)

    0

    0

    17

    5 M

    Placeholder - loading - Imagem da notícia IGP-M desacelera alta a 0,41% na 1ª prévia de julho após efeito da greve dos caminhoneiros perder força

    IGP-M desacelera alta a 0,41% na 1ª prévia de julho após efeito da greve dos caminhoneiros perder força

    SÃO PAULO (Reuters) - O Índice Geral de Preços-Mercado (IGP-M) desacelerou a alta a 0,41 por cento na primeira prévia de julho, contra 1,50 por cento no mesmo período do mês anterior, conforme perdem força os efeitos da greve dos caminhoneiros sobre os preços.

    A Fundação Getulio Vargas (FGV) informou nesta quarta-feira que o Índice de Preços ao Produtor Amplo (IPA) registrou no período avanço de 0,34 por cento, depois de subir 2,06 por cento no mês anterior. O IPA mede a variação dos preços no atacado e responde por 60 por cento do índice geral.

    No IPA, os preços dos Produtos Agropecuários passaram a cair no período 3,43 por cento após alta de 2,72 por cento na primeira quadrissemana de junho, quando foram impactados pelo desabastecimento provocado pela paralisação dos caminhoneiros no final de maio.

    O Índice de Preços ao Consumidor (IPC), que tem peso de 30 por cento no índice geral, mostrou que no varejo a pressão foi menor na primeira prévia de julho ao subir 0,39 por cento, de 0,54 por cento na primeira leitura de junho.

    O destaque para o resultado partiu do grupo Alimentação, que apresentou queda de 0,14 por cento na primeira leitura de julho, ante 0,61 por cento em junho, com forte queda nos preços de hortaliças e legumes também com o fim do efeito da greve.

    O Índice Nacional de Custo da Construção (INCC), por sua vez, avançou 0,91 por cento na primeira prévia de julho, contra alta de 0,18 por cento no mesmo período do mês anterior.

    O IGP-M é utilizado como referência para a correção de valores de contratos, como os de aluguel de imóveis.

    (Por Stéfani Inouye)

    0

    0

    20

    6 M

    Fique por dentro

    de tudo o que acontece nos bastidores do mundo da música, desde lançamentos, shows, homenagens, parcerias e curiosidades sobre o seu artista favorito. A vinda de artistas ao Brasil, cantores e bandas confirmadas no Lollapalooza e no Rock in Rio, ações beneficentes, novos álbuns, singles e clipes. Além disso, você acompanha conosco a cobertura das principais premiações do mundo como o Oscar, Grammy Awards, BRIT Awards, American Music Awards e Billboard Music Awards. Leia as novidades sobre Phil Collins, Coldplay, U2, Jamiroquai, Tears for Fears, Céline Dion, Ed Sheeran, A-ha, Shania Twain, Culture Club, Spice Girls, entre outros. Aproveite também e ouça esses e outros artistas no aplicativo da Rádio Antena 1, baixe na Apple Store ou Google Play e fique sintonizado.

    1. Home
    2. noticias
    3. tags
    4. igpm

    Este site usa cookies para garantir que você tenha a melhor experiência.