alexametrics
Capa do Álbum: Antena 1
ANTENA 1A RÁDIO ONLINE MAIS OUVIDA DO BRASIL

    NOTÍCIAS SOBRE pacotes

    Veja essas e outras notícias da Antena 1

    Placeholder - loading - Imagem da notícia FBI encontra pacote suspeito endereçado à sede da CNN em Atlanta

    FBI encontra pacote suspeito endereçado à sede da CNN em Atlanta

    Por Zachary Fagenson

    (Reuters) - Um pacote suspeito endereçado à sede da CNN na cidade norte-americana de Atlanta foi interceptado na manhã desta segunda-feira, disse a rede, cinco dias depois que uma de 14 cartas-bomba enviadas a alguns dos maiores críticos do presidente dos Estados Unidos, Donald Trump, forçou o esvaziamento da redação da emissora em Nova York.

    O pacote mais recente foi interceptado em uma agência dos correios de Atlanta, disse o presidente mundial da CNN, Jeff Zucker, em um tuíte.

    O esquadrão antibomba do FBI de Atlanta e outros agentes das forças da lei agiram depois de serem notificados pelo Serviço de Inspeção Postal dos EUA, disse Kevin Rowson, porta-voz da Polícia Federal, em um comunicado.

    Zucker disse não haver nenhum perigo iminente. Desde que uma bomba caseira apareceu na redação nova-iorquina da CNN, situada no Time Warner Center, na quarta-feira, toda a correspondência da emissora passou a ser examinada em outro local, disse.

    A notícia sobre o novo pacote veio à tona a pouco mais de uma semana das polarizadas eleições de 6 de novembro, nas quais os democratas estão tentando tomar o controle de um Congresso hoje comandado pelo Partido Republicano de Trump.

    As bombas da semana passada foram enviadas a diversos democratas proeminentes, entre eles o ex-presidente Barack Obama, e outros alvos frequentes do desprezo de Trump.

    Cesar Sayoc, ex-stripper e entregador de pizza em meio período acusado de ter enviado as bombas, deve comparecer perante um juiz federal pela primeira vez na tarde desta segunda-feira.

    Sayoc, de 56 anos, foi acusado de cinco delitos: transporte interestadual e envio ilegal de explosivos, ameaça a um ex-presidente, comunicações interestaduais ameaçadoras e agressão a autoridades federais.

    Acredita-se que o caso será transferido para Nova York, onde ele será processado pela Procuradoria-Geral local, disseram autoridades.

    Não foi possível contatar de imediato Sarah Baumgartel, defensora pública identificada como a advogada de Sayoc em Nova York, para obter comentários.

    Sayoc, um nativo de Nova York, está sendo detido sem fiança desde que foi preso por agentes federais no sul da Flórida na sexta-feira na esteira de uma caçada humana nacional de quatro dias pela pessoa que enviou as bombas caseiras a críticos de Trump, entre os quais também está a ex-secretária de Estado e ex-primeira-dama Hillary Clinton, que Trump derrotou na corrida presidencial de 2016.

    (Reportagem adicional de Nick Carey)

    LER NOTICIA
    Placeholder - loading - Imagem da notícia Polícia encontra novos pacotes enviados a senador democrata e ex-chefe de inteligência dos EUA

    Polícia encontra novos pacotes enviados a senador democrata e ex-chefe de inteligência dos EUA

    Por Zachary Fagenson

    MIAMI (Reuters) - Autoridades norte-americanas encontraram nesta sexta-feira dois pacotes suspeitos endereçados ao senador de oposição Cory Booker e ao ex-diretor da inteligência nacional James Clapper, em meio às buscas pelo suspeito de enviar pacotes-bomba a proeminentes democratas e críticos do presidente dos EUA, Donald Trump.

    O 11º pacote desde o início da semana foi encontrado em uma instalação de triagem de correspondências na Flórida e estava endereçado ao senador democrata de Nova Jersey, informou o FBI no Twitter. Um 12º pacote foi endereçado a Clapper e enviado à CNN, reportou a emissora.

    'Isso é definitivamente terrorismo interno, não há dúvidas na minha mente', disse Clapper à CNN.

    Na quinta-feira, um esquadrão antibomba da polícia e unidades com cães se juntaram a investigadores federais para examinar um grande centro de distribuição dos correios dos EUA em Opa-Locka, no noroeste de Miami, disse a polícia do condado de Miami-Dade.

    A secretária de Segurança Interna, Kirstjen Nielsen, disse que a Flórida parece ser a origem de ao menos algumas das remessas de bombas.

    'Alguns dos pacotes passaram pelos correios. Eles partiram, alguns deles, da Flórida', explicou ela em uma entrevista ao canal Fox News na quinta-feira. 'Tenho confiança de que esta pessoa ou pessoas será levada à justiça'.

    As autoridades descreveram o envio dos pacotes-bomba como um ato de terrorismo. Eles foram enviados menos de uma quinzena antes de uma eleição nacional que pode alterar o equilíbrio de poder em Washington.

    Ninguém assumiu responsabilidade pelas bombas, e se pediu que o público compartilhe toda e qualquer dica.

    Todas as pessoas visadas são difamadas frequentemente por críticos de direita, entre elas George Soros, destacado doador do Partido Democrata, o ex-presidente Barack Obama, seu ex-vice, Joe Biden, e a ex-secretária de Estado e candidata presidencial Hillary Clinton.

    A Polícia Federal disse que ao menos cinco dos pacotes tinham como endereço de remetente o escritório da deputada Debbie Wasserman Schultz, ex-presidente do Comitê Nacional Democrata, na Flórida.

    As autoridades creem que os pacotes, que foram interceptados antes de chegar aos seus destinatários, passaram pelos correios em algum momento, disse uma fonte. Nenhum deles detonou e ninguém ficou ferido.

    Acredita-se que os artefatos tenham sido feitos com base em projetos de fabricação de bombas amplamente disponíveis na internet, disse uma fonte de segurança federal à Reuters.

    Outros que receberam bombas foram o ex-secretário de Justiça e ex-procurador-geral Eric Holder, o ex-diretor da CIA John Brennan, a deputada da Califórnia Maxine Waters, e o ator Robert De Niro. Dois pacotes foram enviados a Maxine e Biden.

    LER NOTICIA
    Placeholder - loading - Imagem da notícia EUA buscam suspeitos de enviar pacotes-bomba a democratas e críticos de Trump

    EUA buscam suspeitos de enviar pacotes-bomba a democratas e críticos de Trump

    Por Makini Brice e Jonathan Allen

    WASHINGTON/NOVA YORK (Reuters) - Autoridades dos Estados Unidos estão buscando nesta quinta-feira suspeitos de terem enviado pacotes-bomba a democratas graduados, o que foi considerado um ato terrorista que elevou as tensões em uma nação já polarizada a menos de uma quinzena das eleições.

    Ao menos oito pacotes suspeitos foram interceptados antes de chegaram a seus destinatários, entre eles o ex-presidente Barack Obama, a ex-secretária de Estado e candidata presidencial democrata Hillary Clinton e o ex-secretário de Justiça de Obama, Eric Holder.

    John Brennan, ex-diretor da CIA, George Soros, destacado doador do Partido Democrata e Maxine Waters, congressista da Califórnia e crítica explícita do presidente Donald Trump, também foram alvos de pacotes.

    Todos os alvos são difamados frequentemente por críticos de direita.

    Nesta quinta-feira, a polícia de Nova York foi acionada para investigar mais um pacote suspeito, desta vez endereçado a um edifício onde fica localizado um restaurante do ator Robert De Niro no bairro de Tribeca, de acordo com a mídia local.

    As ameaças de bomba agravaram a tensão antes das eleições de 6 de novembro, que decidirão se os democratas conseguem assumir o controle de uma ou das duas casas do Congresso dos republicanos e privar Trump da maioria que seu partido tem em ambas.

    Nenhum dos pacotes detonou e ninguém se feriu. Ninguém assumiu a responsabilidade de imediato.

    Uma força-tarefa antiterrorismo com agências da lei federais, estaduais e locais, liderada pelo FBI, 'continuará a trabalhar para identificar e prender quem quer que seja responsável por enviar estes pacotes', disse o diretor da Polícia Federal, Christopher Wray, em um comunicado.

    Vários políticos, incluindo o líder republicano no Senado, Mitch McConnell, e o prefeito de Nova York, Bill de Blasio, descreveram a iniciativa como um ato de terrorismo.

    Investigadores estão tentando rastrear outro pacote suspeito que acreditam ter sido enviado ao ex-vice de Obama, Joe Biden, disse uma autoridade federal à Reuters na noite de quarta-feira.

    A redação da CNN de Nova York recebeu um pacote endereçado a Brennan, que atua como comentarista do canal, o que levou a polícia a esvaziar o edifício da Time Warner, situado em um bairro movimentado de Manhattan próximo do Central Park.

    O pacote continha um envelope com pó branco que especialistas estão analisando, disse o comissário de polícia James O'Neill.

    Alguns democratas de primeiro escalão logo acusaram o próprio Trump de incitar uma possível violência política por recorrer com frequência a uma retórica inflamada e excessivamente partidária.

    Trump disse em um comício político na quarta-feira que seu governo realizará uma 'investigação agressiva'.

    LER NOTICIA
    Placeholder - loading - Imagem da notícia Pacotes suspeitos são enviados a lideranças democratas duas semanas antes de eleição nos EUA

    Pacotes suspeitos são enviados a lideranças democratas duas semanas antes de eleição nos EUA

    Por Makini Brice e Jonathan Allen

    WASHINGTON/NOVA YORK (Reuters) - A polícia interceptou supostos artefatos explosivos enviados ao ex-presidente norte-americano Barack Obama, à ex-candidata presidencial democrata Hillary Clinton e outros democratas do alto escalão, no que autoridades de Nova York descreveram nesta quarta-feira como um ato de terrorismo.

    Com o país profundamente polarizado sob o comando do presidente Donald Trump, os pacotes elevaram ainda mais a tensão de disputas políticas que decidirão se os democratas conseguem desafiar as maiorias dos republicanos de Trump no Congresso.

    A redação da CNN em Nova York também recebeu um dispositivo que parecia uma bomba, levando a polícia a esvaziar o prédio, e o governador de Nova York, Andrew Cuomo, um democrata, disse que seu gabinete também recebeu um pacote suspeito. A CNN reportou que Eric Holder, que era advogado-geral dos Estados Unidos sob Obama, também estava entre os alvos.

    'Isto é claramente um ato de terrorismo', disse o prefeito de Nova York, Bill de Blasio, em uma coletiva de imprensa.

    Trump condenou o que chamou de 'atos desprezíveis' e prometeu que levará os responsáveis à Justiça.

    'Nesses tempos, temos que nos unir, temos que estar juntos, e mandar uma mensagem muito clara, forte e inconfundível, de que atos ou ameaças de violência política de qualquer tipo não têm espaço nos EUA', disse Trump na Casa Branca.

    'Estamos extremamente bravos, tristes e infelizes sobre o que testemunhamos nesta manhã e chegaremos à verdade', afirmou Trump.

    Uma bomba semelhante foi entregue mais cedo nesta semana à casa de George Soros, um importante doador do Partido Democrata.

    Não houve nenhuma reivindicação de autoria.

    Todos os alvos são frequentemente depreciados por críticos de direita e por Trump, cuja porta-voz condenou os atos.

    'Estes atos aterrorizantes são desprezíveis, e qualquer responsável terá que responder plenamente diante da lei', disse a porta-voz da Casa Branca, Sarah Sanders. 'O Serviço Secreto dos Estados Unidos e outras agências da lei estão investigando e adotarão ações apropriadas para proteger qualquer pessoa ameaçada por estes covardes'.

    O pacote para Hillary foi descoberto na noite de terça-feira, e outro endereçado a Obama na manhã desta quarta-feira, ambos durante verificações de correspondência rotineiras, disse o Serviço Secreto, acrescentando que Obama e Hillary não correram risco.

    A polícia interceptou um artefato explosivo ativado e um envelope contendo um pó branco no Time Warner Center, que abriga a redação nova-iorquina da CNN, disse o comissário James O'Neill na coletiva de imprensa. Especialistas estão analisando o pó para saber se é uma substância perigosa, explicou ele.

    Nas semanas seguintes aos ataques de 11 de setembro de 2011, esporos de antraz foram enviados a redações de veículos de notícias e a dois senadores dos Estados Unidos, matando cinco pessoas e infectando 17 outras.

    O Time Warner Center foi esvaziado 'por excesso de zelo', disse o presidente da CNN, Jeff Zucker, em uma nota aos funcionários, e informou que a CNN está verificando suas redações em todo o mundo.

    A polícia de Nova York emitiu um alerta de emergência de curta duração para que as pessoas ao redor do edifício, que fica perto da extremidade sul do Central Park, se 'abrigassem onde estivessem'.

    A CNN é um alvo frequente de Trump, que classifica a imprensa constantemente de 'inimiga do povo' e menospreza a cobertura crítica rotulando-a de 'notícias falsas'.

    A CNN noticiou que o pacote que recebeu foi endereçado ao ex-diretor da CIA John Brennan, comentarista que é convidado frequente do canal.

    Brennan é um crítico explícito de Trump, e classificou sua atuação em uma coletiva de imprensa de julho em Helsinque com o líder russo, Vladimir Putin, como 'nada menos que um ato de traição'.

    (Por Makini Brice e Jonathan Allen; Steve Holland, Doina Chiacu, Mark Hosenball e Susan Heavey em Washington, Gina Cherelus e Gabriella Borter em Nova York; reportagem adicional de Subrat Patnaik em Bengaluru)

    LER NOTICIA

    Fique por dentro

    de tudo o que acontece nos bastidores do mundo da música, desde lançamentos, shows, homenagens, parcerias e curiosidades sobre o seu artista favorito. A vinda de artistas ao Brasil, cantores e bandas confirmadas no Lollapalooza e no Rock in Rio, ações beneficentes, novos álbuns, singles e clipes. Além disso, você acompanha conosco a cobertura das principais premiações do mundo como o Oscar, Grammy Awards, BRIT Awards, American Music Awards e Billboard Music Awards. Leia as novidades sobre Phil Collins, Coldplay, U2, Jamiroquai, Tears for Fears, Céline Dion, Ed Sheeran, A-ha, Shania Twain, Culture Club, Spice Girls, entre outros. Aproveite também e ouça esses e outros artistas no aplicativo da Rádio Antena 1, baixe na Apple Store ou Google Play e fique sintonizado.

    1. Home
    2. noticias
    3. tags
    4. pacotes

    Este site usa cookies para garantir que você tenha a melhor experiência.