alexametrics
Capa do Álbum: Antena 1
ANTENA 1A RÁDIO ONLINE MAIS OUVIDA DO BRASIL

    NOTÍCIAS SOBRE renuncia

    Veja essas e outras notícias da Antena 1

    Placeholder - loading - Imagem da notícia Trump se reunirá na 5ª-feira com vice-secretário de Justiça que supervisiona inquérito russo

    Trump se reunirá na 5ª-feira com vice-secretário de Justiça que supervisiona inquérito russo

    Por Karen Freifeld e Sarah N. Lynch

    WASHINGTON (Reuters) - O presidente dos Estados Unidos, Donald Trump, e o vice-secretário de Justiça, Rod Rosenstein, que supervisiona a investigação do procurador especial sobre o papel da Rússia na eleição presidencial de 2016, se reunirão na quinta-feira para debater o futuro de Rosenstein.

    'Vamos nos encontrar na Casa Branca e vamos determinar o que está acontecendo', disse Trump a repórteres nos bastidores da Assembleia Geral da ONU, após ter uma conversa com Rosenstein nesta segunda-feira. 'Queremos ter transparência, queremos ter abertura e estou ansioso para me encontrar com Rod.'

    Uma fonte disse à Reuters que Rosenstein passou o final de semana refletindo se deve renunciar depois que uma reportagem da semana passada do New York Times informou que ele sugeriu gravar Trump em segredo em 2017.

    A Casa Branca anunciou a reunião depois de uma série de reportagens conflitantes que especulavam se Rosenstein, alvo frequente da ira de Trump, deixará o cargo.

    'A pedido do vice-secretário de Justiça, Rod Rosenstein, ele e o presidente Trump tiveram uma longa conversa para discutir as reportagens recentes', disse a porta-voz da Casa Branca, Sarah Sanders, no Twitter.

    Ela disse que uma reunião ocorrerá na quinta-feira porque Trump estaria na Assembleia Geral da Organização das Nações Unidas nesta segunda-feira e terá encontros com líderes mundiais durante a semana.

    O escândalo Rosenstein, provocado por notícias não confirmadas segundo as quais ele se demitiu verbalmente, ressalta a tensão crescente existente na Casa Branca por causa do inquérito do procurador especial Robert Mueller sobre o papel russo na eleição de 2016.

    Muitos rumores de que Trump demitiria Rosenstein circularam a partir de sexta-feira, quando uma reportagem do NYT disse que em 2017 Rosenstein sugeriu que se gravasse o presidente em segredo e se recrutasse membros do gabinete para invocar uma emenda constitucional para retirá-lo do cargo.

    O jornal informou que nenhuma das propostas vingou. Rosenstein refutou a reportagem, que disse ser 'inexata e factualmente incorreta'.

    Pouco depois da reportagem Trump afirmou a apoiadores em um evento no Missouri que existe um 'fedor persistente' no Departamento de Justiça e que 'vamos nos livrar disso também'.

    A saída de Rosenstein faria muitos se perguntarem sobre o destino da investigação de Mueller e se Trump, que a classificou como uma 'caça às bruxas', buscaria afastar o procurador especial.

    O furor veio à tona só seis semanas antes das eleições parlamentares de 6 de novembro, e a demissão de Rosenstein poderia se tornar um tema político explosivo no momento em que os colegas republicanos de Trump tentam manter o controle do Congresso.

    LER NOTICIA
    Placeholder - loading - Imagem da notícia Governo prevê renúncia tributária de R$306,4 bi em 2019, valor cobriria 10 anos de Bolsa Família

    Governo prevê renúncia tributária de R$306,4 bi em 2019, valor cobriria 10 anos de Bolsa Família

    Por Marcela Ayres

    BRASÍLIA (Reuters) - O governo do presidente Michel Temer estimou que as renúncias tributárias chegarão a 306,398 bilhões de reais no ano que vem, o equivalente a 4,12 por cento do Produto Interno Bruto (PIB), valor de dez orçamentos anuais do Bolsa Família.

    O montante também chega perto do que seria necessário para bancar todas as despesas de pessoal em 2019, estimadas pelo governo em 325,9 bilhões de reais.

    Os dados constam em informações complementares enviadas pelo Executivo ao Congresso sobre o projeto de Lei Orçamentária Anual (LOA) do próximo ano. Pelo documento, as diferentes renúncias referentes apenas ao Simples, regime tributário simplificado para microempresas e empresas de pequeno porte, somarão 87,253 bilhões de reais.

    Com a Zona Franca de Manaus, serão outros 24,038 bilhões de reais. Já com renúncias ligadas à desoneração de itens da cesta básica, mais 18,027 bilhões de reais em 2019.

    Para este ano, a previsão do governo é de menos renúncias tributárias, mas num peso ainda expressivo: 283,447 bilhões de reais.

    O tema das renúncias tem ganhado espaço nas discussões eleitorais, com muitos candidatos à Presidência da República ressaltando a necessidade de revisão em programas para melhor alocação de recursos públicos num orçamento marcado por fortes restrições fiscais.

    Em documento divulgado em maio deste ano, a atual equipe econômica apontou ser preciso fazer um aperfeiçoamento institucional na concessão de benefícios dessa natureza.

    'Primeiro, devido ao processo peculiar para a concessão da maioria dos subsídios, ainda carente de institucionalidade de avaliação ex ante (antes do evento), o que facilita o acesso a esses recursos públicos sem qualquer garantia de efetividade', afirmou o ministério da Fazenda em seu '2º Orçamento de Subsídios da União'.

    'Segundo, devido à insuficiência de informações relativas ao alcance dos objetivos estabelecidos para sua concessão, o que dificulta a avaliação ex post (depois do evento) e restringe a transparência e o controle deste mecanismo de financiamento da ação governamental', completou.

    A secretária-executiva da Fazenda, Ana Paula Vescovi, avaliou recentemente, por exemplo, que o limite de 3,6 milhões de faturamento anual para adesão ao Simples é muito alto comparado a outros países.

    Com isso, o programa, que ela classifica como principal iniciativa de simplificação tributária no país, estaria escapando de seu objetivo, inibindo o crescimento das empresas, pois algumas prefeririam permanecer no regime pelas vantagens tributárias, em vez de faturar mais.

    Membros do governo também têm estudado eventual retirada de produtos da cesta básica que hoje gozam de desoneração, como o salmão e o filé.

    As renúncias tributárias são consideradas subsídios pelo lado da receita, já que o governo abre mão de receber esses recursos.

    Pelo lado das despesas, o governo também lança mão de subsídios, que podem ser tanto explícitos (quando são realizados desembolsos efetivos por meio de equalização de juros e preços, como para o Minha Casa, Minha Vida e para o Pronaf, por exemplo), como implícitos (com recursos do Tesouro Nacional alocados em fundos ou programas, operacionalizados sob condições financeiras que implicam taxa de retorno inferior ao custo de captação do governo, como no caso do Fies).

    Em 2019, a equipe econômica projetou que os subsídios ligados à despesa vão somar 69,801 bilhões de reais, contra 92,876 bilhões de reais em 2018.

    Considerando os subsídios totais, tanto em renúncias quanto em benefícios financeiros e creditícios, a conta será de 376,199 bilhões de reais em 2019, praticamente estável sobre o patamar de 376,323 bilhões de reais calculado para este ano.

    A estrutura de subsídios seguirá pesando sobre as contas públicas, sendo que para o próximo ano a meta é de um déficit primário de 139 bilhões de reais para o governo central, o sexto resultado anual consecutivo do país.

    LER NOTICIA
    Placeholder - loading - Imagem da notícia Chanceler britânico renuncia em protesto contra planos de May para o Brexit

    Chanceler britânico renuncia em protesto contra planos de May para o Brexit

    Por Elizabeth Piper e William James

    LONDRES (Reuters) - O secretário de Relações Exteriores do Reino Unido, Boris Johnson, renunciou nesta segunda-feira em protesto contra os planos da primeira-ministra britânica, Theresa May, para a saída do país da União Europeia, na segunda renúncia em menos de 24 horas a ameaçar o planejamento da premiê para a desfiliação britânica da UE.

    Depois de um dia em que cancelou reuniões em sua residência oficial no centro de Londres nas quais trataria da crise, Johnson decidiu entregar o cargo poucas horas depois de o ministro especial para o Brexit, David Davis, ter feito o mesmo em repúdio aos planos de May.

    As duas renúncias deixam a premiê extremamente exposta no comando de um governo incapaz de se unir em prol da maior mudança recente na política externa e comercial do Reino Unido, e também colocam em dúvida se a líder tentará sobreviver no cargo e se manter firme em seu compromisso de buscar um Brexit pró-mercado ou se enfrentará novas deserções e pedidos para que ela mesma renuncie.

    Na tarde de hoje a primeira-ministra aceitou a renúncia de Boris Johnson como secretário de Relações Exteriores , disse o porta-voz de May em um comunicado. Seu substituto será anunciado em breve. A primeira-ministra agradece Boris por seu trabalho .

    As renúncias aumentam a pressão sobre May, que na sexta-feira obteve um acordo a duras penas com seu gabinete profundamente dividido para manter os laços comerciais mais estreitos possíveis com a UE.

    Muitos eurocéticos estão revoltados, dizendo que a estratégia combinada trai a promessa da premiê de um rompimento total com o bloco, o que cria a perspectiva de alguns deles tentarem tirá-la do posto.

    (Reportagem adicional de Andrew MacAskill, Michael Holden e Kate Holton)

    LER NOTICIA

    Fique por dentro

    de tudo o que acontece nos bastidores do mundo da música, desde lançamentos, shows, homenagens, parcerias e curiosidades sobre o seu artista favorito. A vinda de artistas ao Brasil, cantores e bandas confirmadas no Lollapalooza e no Rock in Rio, ações beneficentes, novos álbuns, singles e clipes. Além disso, você acompanha conosco a cobertura das principais premiações do mundo como o Oscar, Grammy Awards, BRIT Awards, American Music Awards e Billboard Music Awards. Leia as novidades sobre Phil Collins, Coldplay, U2, Jamiroquai, Tears for Fears, Céline Dion, Ed Sheeran, A-ha, Shania Twain, Culture Club, Spice Girls, entre outros. Aproveite também e ouça esses e outros artistas no aplicativo da Rádio Antena 1, baixe na Apple Store ou Google Play e fique sintonizado.

    1. Home
    2. noticias
    3. tags
    4. renuncia

    Este site usa cookies para garantir que você tenha a melhor experiência.