Capa do Álbum: Antena 1
A Rádio Online mais ouvida do Brasil
Antena 1
Ícone seta para a esquerda Veja todas as Notícias.

Tentar higienizar a esponja de lavar louça repetidas vezes só piora o problema

A melhor solução é mesmo jogar a esponja fora e abrir uma nova.

Placeholder - loading - Imagem da noticia "Tentar higienizar a esponja de lavar louça repetidas vezes só piora o problema"

Publicada em  

Para limpar esponjas de lavar louça, avós costumam ter uma indicação: colocar o objeto no micro-ondas para matar todos os micróbios e, de quebra, melhorar um pouco a textura pegajosa. No entanto, essa não é a melhor ideia.

Um artigo publicado pela equipe do microbiólogo alemão Markus Egert revelou que cozinhar a esponja no forno só elimina as bactérias inofensivas do objeto. As perigosas de verdade aproveitam o calor e o espaço que sobra e formam, nas palavras dos especialistas, “colônias massivas”.

O estudo começou com a análise do DNA e RNA escondido em 14 esponjas de lavar louça típicas. Cada centímetro cúbico continha em média 54 bilhões de bactérias de 362 espécies diferentes – tudo graças ao ambiente, que é úmido, quente e cheio de nutrientes. “Provavelmente não há outro lugar na Terra com densidades tão altas”, afirmou Egert.

A equipe da Universidade de Furtwangen também constatou que as concentrações de bactérias Chryseobacterium hominis e Moraxella osloensis, responsável pelo mau cheiro e algumas infecções no ser humano, era mais alta em esponjas que passavam por higienização regular.

Dessa forma, se não dá para evitar a quantidade, é melhor evitar a qualidade. Assim como tomar antibióticos de maneira irregular aumenta a resistência dos microrganismos causadores de doenças, colocar a esponja no micro-ondas ou encharcá-la de vinagre só facilita a seleção natural – dando espaço para que as bactérias mais fortes se reproduzam.

Para ler mais notícias, curta a página Antena 1 News no Facebook!

Escrito por Redação

Últimas Notícias

Placeholder - loading - Imagem da notícia Air Europa traz moderno Boeing 787 Dreamliner na rota de Salvador a Madri

Air Europa traz moderno Boeing 787 Dreamliner na rota de Salvador a Madri

A companhia aérea Air Europa retomará suas atividades na capital baiana a partir do dia 21 de dezembro. Os voos têm previsão de decolagem sempre às quartas e sextas-feiras, embarcando os passageiros no moderno Boeing 787 Dreamliner, considerado um dos mais eficientes equipamentos à disposição no mercado.

A Vinci, operadora do Aeroporto Internacional de Salvador - Dep. Luís Eduardo Magalhães, comemora a volta da parceria com a companhia espanhola, após o hiato ocasionado pela pandemia do Covid-19. “Madri é uma das cidades mais emblemáticas da Europa e a retomada do voo tornará mais fácil para nossos passageiros voar para o continente. Estamos muito animados com a volta do voo da Air Europa, que atenderá a uma demanda crescente do turismo receptivo à cidade de Salvador, tanto para passageiros quanto para cargas”, disse David Thompson, diretor comercial do Aeroporto de Salvador.

Modernidade

O novo avião da Air Europa é o mais sustentável disponível no mercado atualmente. Entre suas vantagens, destacam-se a redução em 60% do impacto sonoro emitido, além da redução de 20% de consumo de combustível. A aeronave não impacta apenas na sustentabilidade, mas também no conforto oferecido ao passageiro, com uma nova classe executiva e entretenimento individual na classe econômica. Os passageiros poderão contar, ainda, com serviço wi-fi, com diferentes opções, de acordo com o volume de navegação necessária, streaming, além de um completo e variado entretenimento audiovisual.

8 H
Placeholder - loading - Imagem da notícia As 5 capas de álbum mais icônicas da história

As 5 capas de álbum mais icônicas da história

Uma boa identidade visual tem a função de atribuir significado e sentido para aquilo que nossos ídolos querem transmitir através de suas canções. Como música é uma arte de muitas camadas e facetas, o que está estampado nas capas de álbuns é essencial para nos aprofundarmos ainda mais nas composições alheias. Por isso, a Antena 1 decidiu explorar algumas das capas que mais se destacaram na indústria da música.

Confira:

Breakfast in America – Supertramp

O sexto álbum de estúdio da banda de rock inglesa, Supertramp, foi lançado em 1979. A arte da capa foi desenvolvida pelos artistas Mike Doud e Mick Haggerty, e desenvolvida pelo próprio grupo. A ideia era representar todas as mudanças e dificuldades pelas quais os membros estavam passando por se mudar da Inglaterra para os Estados Unidos.

[music-item artistSlug=supertramp musicSlug=goodbye-stranger]

O design representa diversos monumentos de Manhattan como se fossem parte de uma mesa de café da manhã. Um exemplo disso é a própria garçonete que veste um uniforme amarelo mostarda, a mulher representa a Estátua da Liberdade.

Com um ar cômico e muito criativo, a capa ficou extremamente reconhecida. Logo, no 22º Grammy Awards em 1980, “Breakfast in America” ganhou dois prêmios de Melhor Pacote de Álbum e Melhor Gravação Não Clássica

Alladin Sane – David Bowie

O sexto álbum de estúdio do músico inglês, David Bowie foi divulgado em 1973, e até hoje é um grande marco na história da música. A arte é um dos grandes símbolos que marcaram a carreira do camaleão, e foi desenvolvida por Brian Duffy.

Com grande influência dos Rolling Stones em suas músicas, o álbum apresenta um novo personagem do artista, Alladin Sane. O nome é um trocadilho com "A Lad Insane" (um rapaz insano, em tradução livre), que Bowie descreveu como "Ziggy Stardust vai para a América". O britânico já tinha um grande e conhecidíssimo personagem que virou o pseudônimo do artista, Ziggy Stardust – ele foi a persona de palco de Bowie durante 1972 e 1973.

A arte da capa, fotografada por Brian Duffy, foi a capa mais cara já feita na época. Mostra um raio no rosto de Bowie e representa a dupla personalidade do personagem Aladdin Sane, além os sentimentos mistos que Bowie tinha sobre suas turnês e o estrelato. É considerada uma de suas imagens mais icônicas da indústria.

Sgt. Pepper’s Lonely Hearts Club Band – The Beatles

Os Beatles possuem diversas capas revolucionárias, porém a do álbum “Sgt. Pepper’s Lonely Hearts Club Band” é icônica demais e tem muitos significados escondidos. O disco foi divulgado em 1967 e a arte desenvolvida por Paul McCartney, Peter Blake, Jann Haworth e Robert Fraser.

8 H
  1. Home
  2. noticias
  3. tentar higienizar a esponja …

Este site usa cookies para garantir que você tenha a melhor experiência.