alexametrics
Capa do Álbum: Antena 1
ANTENA 1A RÁDIO ONLINE MAIS OUVIDA DO BRASIL

    Baixa adesão a vacina contra HPV preocupa especialistas

    Em países com alta adesão, casos de câncer despencaram.

    Placeholder - loading - news single img
    Vacina sendo aplicada (Foto: Diego Bachiega)

    50

    Publicada em  

    A baixa adesão à vacina contra o HPV (Papilomavírus humano) tem preocupado oncologistas e foi discutida na semana passada no maior congresso sobre o tema do mundo, em Chicago, EUA.

    Por aqui, há dois anos o SUS passou a oferecer a vacinação contra o HPV para meninos de 11 a 14 anos, mas só 22% deles receberam duas doses e estão imunizados por completo. A meta do Ministério da Saúde era vacinar 80% do público. E entre as meninas a situação também não é boa: apenas 51% delas estão vacinadas.

    O vírus está presente em mais da metade da população brasileira e é associado a vários de tipos de tumores, como o de colo de útero, de pênis e das regiões vaginal e anal.

    Estudos recentes apontam também que o HPV tem sido associado a casos de tumores da cavidade oral em jovens. Segundo pesquisa do A.C.Camargo Cancer Center, de São Paulo, até 75% dos casos de câncer de amígdalas e 32% dos de boca estão associados ao vírus.

    Para o cirurgião oncológico Luiz Paulo Kowalski, diretor do setor de cirurgia de cabeça e pescoço do A.C.Camargo, “é impensável não tomar a vacina, uma medida preventiva claramente eficiente. São jovens que serão submetidos a cirurgias, quimioterapia, radioterapia, que podem deixar sequelas para o resto da vida, mesmo que o câncer seja curado”.

    A baixa cobertura vacinal também preocupa os Estados Unidos, onde apenas 49% da população de meninas e meninos com indicação para a vacina está imunizada. Entre as razões que levam os pais a não vacinar seus filhos contra o HPV estão a preocupação com segurança e efeitos colaterais, a crença de ela não é necessária e a falta de recomendação dos gestores de saúde.

    Segundo pesquisa divulgada no congresso em Chicago, apenas 40% dos brasileiros ouvidos em sete grandes cidades conheciam a relação do vírus com o câncer e só 8% sabiam que há uma vacina contra o HPV disponível pelo SUS.

    Em países que conseguiram índices de cobertura superiores a 80%, como Austrália, o número de mulheres com mais de 25 anos diagnosticadas com câncer cervical caiu em pelo menos 50%, indicam estudos.

    Prevenção

    A vacina é distribuída gratuitamente pelo SUS e é indicada para meninas de 9 a 14 anos e meninos de 11 a 14 anos, pessoas que vivem HIV e pessoas transplantadas na faixa etária de 9 a 26 anos;
    O uso de camisinha pode diminuir a possibilidade do contágio, apesar de não proteger totalmente contra a transmissão. O papanicolaou identifica as lesões precursoras do câncer do colo do útero.

    Para ler mais notícias, curta a página Antena 1 News no Facebook!

    1. Home
    2. noticias
    3. baixa adesao a vacina contra …

    Este site usa cookies para garantir que você tenha a melhor experiência.