Capa do Álbum: Antena 1
A Rádio Online mais ouvida do Brasil
Antena 1
    Veja todas as Notícias.

    Equinor submete à ANP declarações de comercialidade de Carcará, na Bacia de Santos

    Placeholder - loading - news single img
    REUTERS/Ints Kalnins

    Publicada em  

    Por Marta Nogueira

    RIO DE JANEIRO (Reuters) - A operadora norueguesa Equinor submeteu à Agência Nacional do Petróleo, Gás Natural e Biocombustíveis (ANP) as declarações de comercialidade da descoberta de Carcará, no pré-sal da Bacia de Santos, na qual possui sócios que incluem a norte-americana Exxon, informou a companhia em nota nesta quinta-feira.

    Localizada a 220 quilômetros da costa do município de Ilhabela (SP) e com lâmina d'água de cerca de 2.050 metros, a importante descoberta de Carcará está dentro das áreas das licenças BM-S-8 (com contrato em regime de concessão) e Norte de Carcará (regime de partilha).

    A Equinor afirmou que também foi apresentado à agência reguladora o Relatório Final do Plano de Avaliação de Áreas.

    'Ao todo, cinco poços de exploração/avaliação foram perfurados, dos quais quatro são testados na produção', destacou a petroleira norueguesa.

    Tanto o consórcio BM-S-8 quanto o Norte de Carcará são operados pela Equinor (40%), que tem como parceiras nos ativos a ExxonMobil (40%) e a Petrogal Brasil, da portuguesa Galp Energia (20%).

    A Equinor não deu informações sobre o conteúdo dos documentos apresentados à ANP.

    Em entrevista à Reuters em outubro, a presidente da Equinor no Brasil Margareth Øvrum afirmou que a expectativa era iniciar a produção da 'primeira fase' de Carcará em 2023 ou na primeira metade de 2024.

    A jazida de Carcará foi originalmente descoberta sob operação da Petrobras , que vendeu em 2016 os seus direitos no bloco BM-S-8 para a Equinor, por 2,5 bilhões de dólares, na primeira alienação de um grande ativo do pré-sal pela estatal, em meio a um amplo programa de desinvestimentos.

    Após essa operação, o governo brasileiro ofertou em um leilão do pré-sal de 2017, sob regime de partilha de produção, parcela da jazida de Carcará que ultrapassa os limites do contrato BM-S-8, chamada de Norte de Carcará.

    A Equinor ficou também com essa fatia, em consórcio, com proposta com pagamento de 3 bilhões de reais em bônus de assinatura, além de prometer percentuais de produção futura ao governo, conforme está previsto nas regras de partilha.

    Escrito por Reuters

    1. Home
    2. noticias
    3. equinor submete a anp …

    Este site usa cookies para garantir que você tenha a melhor experiência.