alexametrics
Capa do Álbum: Antena 1
ANTENA 1A RÁDIO ONLINE MAIS OUVIDA DO BRASIL

    Especialistas falam sobre os benefícios do jejum intermitente

    Em matéria à revista americana Time, um time de profissionais fala sobre a dieta.

    Por Letícia Furlan

    Placeholder - loading - news single img

    A cada semana, os pesquisadores descobrem um novo benefício associado ao jejum intermitente: perda de peso sustentável, proteção contra diabetes, doenças cardíacas e câncer, melhoria da saúde do cérebro, da aptidão física e força. A dieta, que tem horários de refeições que incorporam períodos regulares de baixo ou nenhum consumo de alimentos, tem conquistado cada vez mais adeptos.

    Comendo normalmente vários dias por semana e comendo muito menos em outros, uma pessoa pode ser capaz de mudar os processos celulares e metabólicos de seu corpo de maneira que promova a saúde ideal. E especialistas que estudam o jejum intermitente dizem que, embora muitas lacunas ainda precisem ser preenchidas, alguns dos efeitos positivos para a saúde desse tipo de alimentação não são mais duvidosos.

    “Continua a haver boas evidências de que o jejum intermitente está produzindo benefícios para a perda de peso, e também temos algumas evidências de que essas dietas podem reduzir a inflamação, reduzir a pressão arterial e a frequência cardíaca de repouso e parecem ter efeitos benéficos sobre o sistema cardiovascular", diz Benjamin Horne, diretor de epidemiologia cardiovascular e genética do sistema de saúde sem fins lucrativos Intermountain Healthcare, de Utah. Segundo Horne, esse tipo de dieta é ideal para pessoas que não gostam da restrição diária de suas calorias.

    "O jejum intermitente é uma boa opção para perda de peso para pessoas com sobrepeso e obesidade", diz Michelle Harvie, uma nutricionista de pesquisa da unidade Prevent Breast Cancer, no Manchester Breast Center, no Reino Unido. Harvie foi coautora de vários estudos sobre o jejum intermitente, e sua pesquisa mostrou que ele supera as dietas tradicionais em termos de perda de peso, redução da gordura corporal e melhor resistência à insulina. Ela também encontrou evidências de que o jejum intermitente supera as dietas tradicionais de perda de peso quando se trata de reduzir o risco de câncer de mama e que, pelo menos em roedores, os planos de jejum podem ao menos neutralizar o desenvolvimento de doenças neurológicas como Alzheimer e Parkinson.

    Já Mark Mattson, chefe do Laboratório de Neurociências do Instituto Nacional sobre Envelhecimento e professor de neurociência da Escola de Medicina Johns Hopkins, afirma existir evidências de que essas dietas aumentam a resistência ao estresse e combatem a inflamação em nível celular. "As pessoas passam por uma mudança metabólica na qual os estoques de energia do fígado estão esgotados e, portanto, as células do corpo começam a usar gordura e cetonas como energia", explica ele. Essa mudança é uma forma de leve desafio ao corpo humano que ele compara ao exercício: assim como a corrida ou o levantamento de pesos estressam o corpo de formas benéficas, o estresse imposto pelo jejum parece induzir algumas adaptações igualmente benéficas.

    E o jejum também faz sentido do ponto de vista evolutivo, diz Mattson. Todo o tempo de acesso à comida é um fenômeno relativamente novo na história da humanidade. Quando o sustento era mais difícil de obter, “a seleção natural teria favorecido indivíduos cujos cérebros e corpos funcionavam bem em um estado de privação de alimentos”. Mas embora os especialistas estejam otimistas em relação ao jejum intermitente, eles reconhecem que ainda há muitas incógnitas. Quase toda a pesquisa humana até o momento tem sido em adultos com sobrepeso ou obesos. "Não sabemos de seus benefícios em pessoas com peso normal, pois não foi estudado", diz Harvie.

    Ainda não está claro se há algum risco potencial a longo prazo associado à dieta, ou se adultos mais velhos ou crianças se beneficiariam desses planos alimentares. Outra dúvida é se o jejum intermitente pode aumentar o risco de uma pessoa com anorexia. Mas quase tudo o que aprendemos sobre esse modelo de alimentação até agora sugere que é provável que seja benéfico para a maioria dos adultos, acrescenta Mattson. 

    Para ler mais notícias, curta a página Antena 1 News no Facebook!

    1. Home
    2. /
    3. noticias
    4. /
    5. especialistas falam sobre os …
    6. /

    Este site usa cookies para garantir que você tenha a melhor experiência.