alexametrics
Conectando

    Estudo aponta que dança traz benefícios para idosos

    Segundo pesquisadores alemães, dançar combate o envelhecimento do cérebro e melhora o equilíbrio

    Por Redação

    Placeholder - loading - news single img

    Já sabemos que a prática de exercícios diários asseguram maior longevidade e melhoram a saúde, ajudando no combate do Alzheimer.


    A novidade publicada em estudo no jornal Frontiers in Human Neuroscience, aponta que dançar combate o envelhecimento do cérebro. Para pesquisadores alemães, dançar de forma ritmada melhora o equilíbrio, e também, diminui o risco dos idosos de enfrentarem perda de memória e demência senil.

    Cientistas alemães descobriram que a dança pode ser um modo ainda mais completo de exercício, quando comparada a caminhada e bicicleta.

    Pesquisadores observaram um grupo de 62 homens e mulheres, com idade média de 68 anos. Parte do grupo realizou curso semanal com duração de 18 meses.Ao longo do período, eles aprenderam sobre diferentes estilos de dança.

    Os outros voluntários participaram de treinamento para ampliar a resistência física e flexibilidade. Foi feita caminhada ou treinos de bicicleta, ou seja, atividades repetitivas, em sessões de 90 minutos.

    Os dançarinos frequentemente encaravam novos desafios como, coreografias, formações. Além disso, os movimentos e a velocidade das danças eram alteradas a cada duas semanas. As aulas incluíam diferentes estilos musicais como jazz, dança de salão e ritmos latinos.

    Pesquisadores avaliaram o cérebro dos voluntários. A melhora foi mais significativa na região central da memória cerebral, chamada de hipocampo.
    O volume dessa região aumentou bastante em todos os idosos testados, devido à prática de exercícios.  Quando o hipocampo continua sendo estimulado, , a incidência de se desenvolver problemas como a perda de memória e demência senil diminui.

    Mas, somente os dançarinos melhoraram no equilíbrio. Lembrando que problemas desse desse tipo podem acarretar no maior risco de quedas.

    Os pesquisadores planejam aliar os ganhos físicos dos exercícios ao método da dança para melhorar a condição de idosos com demência senil. Segundo especialistas, quem possui essa enfermidade costuma responder bem quando escuta música.

    Ainda de acordo com especialistas, levando em consideração a terceira idade, a atividade física é um dos aspectos que pode ajudar a manter uma vida saudável e independente, pois diminui inúmeros fatores de risco.

    Este site usa cookies para garantir que você tenha a melhor experiência.