Capa do Álbum: Antena 1
A Rádio Online mais ouvida do Brasil
Antena 1
    Veja todas as Notícias.

    Estudo internacional revela que vinho tinto pode trazer benefícios ao intestino

    Apesar disso, os especialistas salientam os riscos do abuso do álcool.

    Placeholder - loading - news single img
    Taças de vinho (Foto: Pixabay)

    Publicada em  

    Segundo um estudo publicado na revista Gastroenterology, o vinho tinto pode ser bom para o intestino. Isso porque ele aumenta o número de diferentes tipos de bactérias úteis por lá. Mesmo assim, os especialistas alertam: qualquer bebida alcoólica deve ser consumida com moderação e isso não é desculpa para abusar.

    Os pesquisadores acreditam que os benefícios venham dos polifenóis – compostos presentes em menor quantidade em outras bebidas alcóolicas, como o vinho branco e a cerveja, diz a equipe do King's College London.

    O que são polifenóis?

    Os polifenóis, como o resveratrol na casca das uvas vermelhas, são micronutrientes que possuem propriedades benéficas e atuam como combustível para micróbios úteis que vivem dentro do intestino.

    Nossos intestinos contêm muitas bactérias e outros microrganismos, e são eles que nos ajudam a nos manter saudáveis. Um crescente número de pesquisas, inclusive, sugere que pequenas mudanças em nossa microbiota podem nos tornar mais suscetíveis a doenças como a síndrome do intestino irritável (também conhecida como SCI), doenças cardíacas e obesidade – e podem até afetar nosso humor e saúde mental.

    Nossas dietas, estilos de vida e alguns tipos de medicamentos podem perturbar e desequilibrar esse ecossistema intestinal.

    O estudo

    Para chegar a este resultado, o estudo analisou milhares de pessoas que vivem no Reino Unido, Estados Unidos e Holanda. Os participantes foram questionados sobre sua dieta e quanto e que tipo de álcool eles costumavam beber.

    Os pesquisadores descobriram, a partir das analises, que a microbiota intestinal daqueles que bebiam mais vinho tinto era mais diversa do que aqueles que não tomavam a bebida – ou não a tomavam com certa frequência. Um copo tomado por quinzena já foi suficiente para fazer a diferença.

    Os pesquisadores ressaltam que o consumo excessivo não é recomendado e provavelmente teria um efeito ruim nos intestinos, bem como na saúde geral de uma pessoa.

    A pesquisadora Caroline Le Roy afirma que "este é um estudo observacional, portanto não podemos provar que o efeito que vemos seja causado pelo vinho tinto".

    "Se você deve escolher uma bebida alcoólica hoje, o vinho tinto é a melhor escolha, pois parece exercer um efeito benéfico sobre você e seus micróbios intestinais, o que por sua vez também pode ajudar no peso e no risco de doenças cardíacas”, completa.

    Ela diz que gostaria de fazer um estudo de acompanhamento oferecendo às pessoas vinho tinto, sem álcool ou suco de uva vermelha, para ver qual o efeito que cada um tem na microbiota intestinal.

    "Estamos começando a saber mais e mais sobre bactérias intestinais. É complexo e precisamos de mais pesquisas, mas sabemos que quanto mais diversidade houver, melhor a nossa saúde".

    Alex White, cientista assistente de nutrição da Fundação Britânica de Nutrição, disse que resultados do estudo são interessantes, mas que são necessárias mais pesquisas antes de se chegar a conclusões mais precisas sobre a associação entre ingestão de vinho tinto e alterações na flora intestinal.

    "Deve-se lembrar que altos níveis de ingestão de álcool estão associados a um risco aumentado de uma série de problemas de saúde, incluindo alguns tipos de câncer, doenças cardíacas, derrames e doenças do fígado”, ressalta White.

    1. Home
    2. noticias
    3. estudo internacional revela …

    Este site usa cookies para garantir que você tenha a melhor experiência.