alexametrics
Capa do Álbum: Antena 1
ANTENA 1A RÁDIO ONLINE MAIS OUVIDA DO BRASIL

    Medicamento para próstata pode ser eficaz contra o Parkinson

    A droga pode retardar a progressão da demência, algo que não é possível atualmente.

    Placeholder - loading - news single img
    Idoso sentado (Foto: Pixabay)

    2682

    Publicada em  

    Um medicamento usado para tratar a próstata aumentada pode ser um medicamento poderoso contra a doença de Parkinson, de acordo com uma equipe internacional de cientistas. As informações da BBC News

    A terazosina ajuda a aliviar a hiperplasia prostática benigna (BPH) relaxando os músculos da bexiga e da próstata. Mas os pesquisadores acreditam que ele tem outra ação benéfica nas células cerebrais danificadas pelo Parkinson.

    Eles dizem que a droga pode retardar a progressão da demência, algo que não é possível atualmente.

    Para isso, eles estudaram milhares de pacientes com HBP e Parkinson. Suas descobertas, publicadas no Journal of Clinical Investigation, sugerem que a droga bloqueadora alfa protege as células cerebrais da destruição.

    O Parkinson é uma condição progressiva que afeta o cérebro, para a qual atualmente não há cura. Os tratamentos existentes podem ajudar com alguns dos sintomas, mas não podem retardar ou reverter a perda de neurônios que ocorre com a doença.

    A Terazosina pode ajudar ativando uma enzima chamada PGK1 para prevenir a morte de células cerebrais, dizem os pesquisadores da Universidade de Iowa, nos EUA, e do Instituto de Desordens Cerebrais de Pequim, na China.

    Testes clínicos

    Quando eles testaram a droga em roedores, pareceu retardar ou parar a perda de células nervosas. Para começar a avaliar se o medicamento pode ter o mesmo efeito nas pessoas, eles pesquisaram os registros médicos de milhões de pacientes nos EUA para identificar homens com HBP e Parkinson.

    Eles estudaram 2.880 pacientes de Parkinson em uso de terazosina ou drogas similares que têm como alvo PGK1 e um grupo de comparação de 15.409 pacientes de Parkinson em tratamento diferente para a HBP que não teve ação sobre a PGK1.

    Os pacientes que tomaram o medicamento PGK1 pareciam se sair melhor em termos de sintomas e progressão da doença de Parkinson, que, segundo os pesquisadores, merecem mais estudos em ensaios clínicos, que planejam começar este ano.

    Michael Welsh, diz que, embora seja prematuro falar sobre uma cura, as descobertas têm o potencial de mudar a vida das pessoas com Parkinson. "Hoje, temos zero tratamentos que alteram o curso progressivo dessa doença neurodegenerativa", diz.

    1. Home
    2. noticias
    3. medicamento para prostata …

    Este site usa cookies para garantir que você tenha a melhor experiência.