alexametrics
Conectando

    Estudo Norte-Americano associa gengivite com diferentes tipos de câncer

    Mulheres com gengivite crônica podem desenvolver câncer, apontam pesquisadores

    Por Redação, antena 1

    Placeholder - loading - news single img

     


    Segundo estudo, mulheres com gengivite crônica, e que estão na menopausa, têm maior probabilidade de desenvolver câncer. Mais de 65 mil mulheres entre 54 e 86 anos participaram da pesquisa, que levou quase 15 anos para ser concluída.

    A chance desse público apresentar um câncer, especialmente na região do esôfago, é de 14%. Ou seja, o risco é três vezes maior para esse grupo. O trabalho foi publicado na revista médica "Cancer Epidemiology, Biomarkers and Prevention", e também, identificou que essas mulheres podem desenvolver câncer de pulmão, mama, vesícula biliar e melanoma com mais frequencia do que as demais.

    O estudo, realizado por pesquisadores da Universidade do Estado de Nova York em Buffalo, foi o primeiro que focou avaliar esse público específico e relacionou a gengivite crônica a todos os tipos de câncer.

    As participantes foram questionadas sobre o seu estado de saúde durante um período de aproximadamente oito anos. Pesquisas anteriores já haviam detectado que pessoas com enfermidades periodontais tinham mais propensão a apresentar alguns tipos de câncer.


    Motivo

    A razão pela qual a doença periodontal; que destrói os tecidos de apoio, gengiva e osso; pode provocar câncer ainda está sendo estudada, mas, provavelmente, tem relação com o fato das bactérias presentes na placa bacteriana ou na saliva acabarem na corrente sanguínea.


    Ainda segundo os cientistas, o risco mais significativo de câncer no esôfago deve estar associado a sua proximidade com a boca.

    Este site usa cookies para garantir que você tenha a melhor experiência.