alexametrics
Capa do Álbum: Antena 1
ANTENA 1A RÁDIO ONLINE MAIS OUVIDA DO BRASIL

    Pesquisadores falam sobre os benefícios e perigos da melatonina

    Nos EUA, o hormônio é muito utilizado como um regulador do sono.

    Placeholder - loading - news single img
    Pessoa dormindo na cama (Foto: Pixabay)

    2367

    Publicada em  

    Aproximadamente 80% dos adultos norte-americanos dizem que lutam para adormecer pelo menos uma noite por semana, de acordo com uma pesquisa recente da Consumer Reports. E os problemas do sono também estão aumentando entre os adolescentes.

    Embora as causas nos Estados Unidos estejam em debate, há pouco desacordo sobre o remédio favorito por lá: a melatonina.

    O que é melatonina?

    A melatonina é um hormônio que plantas e animais, incluindo seres humanos, produzem naturalmente. A melatonina vendida em pílulas de venda livre é sintética, mas quimicamente é a mesma coisa que o corpo humano produz. Se usado adequadamente, ele pode ajudar a dormir à noite.

    A pesquisa também mostrou que pode ajudar a combater a inflamação, promover a perda de peso e talvez até ajudar crianças com distúrbios do desenvolvimento neurológico.

    Uma revisão de 2011 encontrou evidências de que, em crianças com autismo, a suplementação de melatonina levou à melhora do sono e a um melhor comportamento durante o dia. Um pequeno estudo de 2017 da Polônia descobriu que adultos obesos que tomaram um suplemento diário de 10 mg de melatonina por 30 dias enquanto consumiam uma dieta com baixas calorias perderam quase o dobro do peso que um grupo placebo. A causa subjacente pode estar relacionada ao fato de que as medidas sanguíneas de dano oxidativo e inflamação foram muito menores nas pessoas que tomaram melatonina.

    “Algumas das ciências emergentes estão mostrando que em pessoas com níveis mais altos de inflamação, o consumo de melatonina na faixa de 6 mg a 10 mg pode diminuir os marcadores de inflamação ”, afirma Helen Burgess, professora de psiquiatria e codiretora do Laboratório de Pesquisa Circadiana do Sono da Universidade de Michigan. Se alguém é saudável, não está claro se a dose de melatonina tem um efeito anti-inflamatório semelhante, ela acrescenta. Mas é possível.

    Burgess é uma das principais pesquisadoras de melatonina dos EUA. Ela diz que a visão tradicional da melatonina é que ela desempenha um papel na regulação dos relógios diurnos internos do corpo, e é por isso que pode ajudar as pessoas a dormir. "Mas há uma teoria de que o objetivo original da melatonina era como antioxidante, que é o que faz nas plantas", diz ela. Essa teoria alternativa sustenta que foi apenas mais tarde na evolução humana que o hormônio assumiu um papel secundário como um relógio biológico.

    A inflamação, como o sono ruim, está implicada no desenvolvimento ou progressão de uma série de doenças, desde doenças cardíacas e diabetes até depressão e demência. Se a melatonina pudesse promover com segurança um sono melhor e taxas mais baixas de inflamação, poderia ser um poderoso preventivo para muitos desses problemas. O hormônio parece seguro, embora não haja muita pesquisa sobre os efeitos a longo prazo de tomá-lo em doses altas.

    O que é uma dose segura de melatonina?

    De acordo com Michael Grandner, diretor do Programa de Pesquisa em Sono e Saúde da Universidade do Arizona, "a melatonina é muito segura se tomada em doses normais", que é algo entre 0,5 mg e 5 mg.

    Uma dose de 0,5 mg pode ser o necessário para a regulação do ciclo do sono e deve ser tomada três a cinco horas antes de dormir, diz ele. "Algumas pessoas relatam dores de cabeça ou problemas estomacais em doses mais altas, mas esses efeitos colaterais são incomuns", diz ele.

    Ainda há outras preocupações. "A melatonina tem um registro de segurança incrível, sem dúvida", diz o Dr. Mark Moyad, diretor de medicina preventiva e alternativa da Universidade de Michigan. "Mas é um hormônio, e você não quer mexer com hormônios até saber o que eles estão fazendo".

    Pessoas com problemas médicos existentes devem discutir sobre a melatonina com seu médico antes de usá-la. Enquanto algumas pesquisas descobriram que ela pode ajudar a tratar a hiperglicemia em pessoas com diabetes, por exemplo, outros estudos mostraram que, em pacientes com diabetes que carregam certas características genéticas, a melatonina pode interferir na regulação da glicose.

    "Meu conselho é sempre tratar suplementos como medicamentos, ou seja, não tome uma pílula a menos que você precise de uma pílula", diz Moyad. Ele recomenda a contenção da melatonina não porque há evidências de que é perigoso, mas devido à falta de evidências que demonstrem que é seguro em altas doses por longos períodos. Especialmente para os pais que estão dando melatonina a crianças saudáveis, Moyad diz que é preciso cautela. A melatonina parece ser segura e pode fornecer uma série de benefícios à saúde, mas há muitas incógnitas.

    As informações são da revista norte-americana Time.

    1. Home
    2. noticias
    3. pesquisadores falam sobre os …

    Este site usa cookies para garantir que você tenha a melhor experiência.