alexametrics
Capa do Álbum: Antena 1
ANTENA 1A RÁDIO ONLINE MAIS OUVIDA DO BRASIL

    Presidente da China diz que iniciativa Cinturão e Rota precisa ser ecológica e sustentável

    Placeholder - loading - news single img

    1529

    Publicada em  

    Por Brenda Goh e Cate Cadell

    PEQUIM (Reuters) - A Iniciativa do Cinturão e Rota da China precisa ser ecológica e sustentável, disse o presidente Xi Jinping na abertura de uma cúpula sobre a estratégia grandiosa, acrescentando que o plano de infraestrutura e comércio de grande porte trará crescimento de 'alta qualidade' para todos.

    O plano de Xi para reconstruir a antiga Rota da Seda e conectar a China com a Ásia, a Europa e além se tornou alvo de polêmicas porque algumas nações parceiras se queixaram do custo alto dos projetos de infraestrutura.

    A China não disse exatamente quanto o plano ambicioso custará, mas algumas estimativas independentes sugerem que pode chegar a vários trilhões de dólares.

    Pequim disse várias vezes que não quer prender os países signatários a dívidas e que aproveitará a cúpula desta semana na capital chinesa para abordar estas preocupações e recalibrar a diretriz.

    Xi fará um discurso na sexta-feira dizendo que a proteção ambiental precisa ser um pilar da iniciativa 'para proteger o lar comum em que moramos'.

    'Operem no sol e combatam a corrupção juntos, com tolerância zero', disse Xi.

    'Construir infraestrutura de alta qualidade, sustentável, resistente a riscos, com preço razoável e inclusiva ajudará os países a utilizar plenamente a riqueza de seus recursos', acrescentou.

    À diferença da primeira cúpula de 2017, na qual disse que bancos chineses emprestariam o equivalente a 56,4 bilhões de dólares para apoiar a cooperação na Cinturão e Rota, Xi não apresentou uma cifra para um novo auxílio financeiro -- mas ele fará outro discurso no sábado.

    Os governos ocidentais têm se inclinado a ver o plano como uma forma de disseminar a influência chinesa no exterior, sobrecarregando países pobres com dívidas insustentáveis.

    Embora a maioria dos projetos da iniciativa continue tal como planejado, alguns foram afetados por mudanças de governo em nações como a Malásia e as Maldivas.

    Entre aqueles que foram engavetados por motivos financeiros estão uma usina elétrica no Paquistão e um aeroporto em Serra Leoa, mas Pequim rebateu os críticos dizendo que nenhum país se tornou presa das chamadas 'armadilhas de dívida'.

    De acordo com dados da Refinitiv, o valor total dos projetos está em 3,67 trilhões de dólares e envolve países da Ásia, Europa, África, Oceania e América do Sul.

    (Reportagem adicional de Tony Munroe, Stella Qiu, Ryan Woo, Yilei Sun, e Tom Daly)

    Escrito por Thomson Reuters

    1. Home
    2. noticias
    3. presidente da china diz que …

    Este site usa cookies para garantir que você tenha a melhor experiência.