alexametrics
Capa do Álbum: Antena 1
ANTENA 1A RÁDIO ONLINE MAIS OUVIDA DO BRASIL

    NOTÍCIAS SOBRE economia

    Veja essas e outras notícias da Antena 1

    Placeholder - loading - Imagem da notícia Marina diz que Refis é 'grilagem do orçamento' e defende fim de privilégios para melhorar questão fiscal

    Marina diz que Refis é 'grilagem do orçamento' e defende fim de privilégios para melhorar questão fiscal

    BRASÍLIA (Reuters) - A pré-candidata da Rede à Presidência, Marina Silva, criticou na terça-feira os programas de refinanciamento de dívidas com a União, chamando-os de uma “grilagem do orçamento público”, e defendeu que as isenções tributárias sejam discutidas para aliviar o problema fiscal do país.

    Para a pré-candidata, muitas vezes o funcionalismo público é utilizado como bode expiatório para a questão fiscal, mas ele deve ser debatido em conjunto com outros “privilégios”.

    “Se vamos ter uma agenda de sacrifícios, então vamos botar todos os privilégios na mesa e tratá-los conjuntamente”, disse em entrevista à Globonews, citando o Refis e as isenções concedidas pelo governo. “Porque senão a gente cria um debate enviesado”.

    Marina argumentou que as isenções de multas e renegociação de dívidas impedem que “bilhões e bilhões” de reais possam ser direcionados a áreas como a saúde e a educação.

    “É muito fácil defender economia de livre mercado e ir para o balcão do governo todo tempo para legalizar o ilegal”, afirmou.

    Questionada, negou que revogaria a reforma trabalhista, mas reconheceu a necessidade de corrigir o que considerou “pontos draconianos”, como as regras para o trabalho de grávidas e lactantes e a isenção de custas processuais a pessoas de baixa renda.

    “Vamos corrigir, fazer o debate, não se pode ouvir só um lado”, disse, lembrando da necessidade de abordar a questão da informalidade e aproveitando para defender uma discussão sobre o Sistema S.

    A ex-senadora e ex-ministra do Meio Ambiente disse que manteria o fim da obrigatoriedade do imposto sindical, mas alertou para a importância de uma solução para os sindicatos, para que “não sejam tão fragilizados”.

    DOGMAS

    Durante a entrevista, Marina garantiu não nutrir posições “dogmáticas” sobre privatizações, parcerias e concessões, ainda que tenha se posicionado contra a venda de empresas como a Petrobras, o Banco do Brasil e a Caixa Econômica Federal.

    “Mas dentro de um plano existem empresas que podem ser privatizadas”, avaliou.

    No caso da reforma da Previdência, defendeu a discussão sobre uma idade mínima, mas disse ser necessário uma análise melhor sobre o estabelecimento de idades diferentes para homens e mulheres.

    “Existem nuances que precisam ser observadas nesse debate”, disse, defendendo que as regras para os militares também sejam avaliadas.

    Marina disse ainda que teria agido “completamente diferente” do presidente Michel Temer no caso da greve dos caminhoneiros, e teria se antecipado à crise, já que o governo detinha a pauta de reivindicações da categoria muito antes da paralisação.

    Ela reconheceu que a Petrobras enfrentou limitações estruturais, mas tinha como “manejar” a questão do preço dos combustíveis e não soube entender sua “importância estratégica”.

    (Reportagem de Maria Carolina Marcello)

    LER NOTICIA
    Placeholder - loading - Imagem da notícia Venezuela vai remover cinco zeros de enfraquecida moeda

    Venezuela vai remover cinco zeros de enfraquecida moeda

    Por Brian Ellsworth

    CARACAS (Reuters) - A Venezuela vai remover cinco zeros de sua moeda, o bolívar, em vez dos três zeros planejados inicialmente, disse o presidente Nicolás Maduro na quarta-feira, em um esforço para acompanhar a inflação prevista para alcançar 1 milhão por cento neste ano.

    O país-membro da Opep têm estado em crise desde que o colapso dos preços do petróleo em 2014 o tornou incapaz de manter seu sistema econômico socialista que por anos forneceu generosos subsídios enquanto impunha rígidos controles sobre os preços.

    A inflação anual em junho chegou a 46 mil por cento, de acordo com o Congresso controlado pela oposição. O FMI disse nesta semana que a inflação pode alcançar 7 dígitos ainda este ano, a colocando no mesmo nível das crises do Zimbábue nos anos 2000 e da Alemanha na década de 1920.

    'A reconversão monetária começará no dia 20 de agosto', disse Maduro em declaração transmitida pela televisão, mostrando novas notas que devem ser lançadas no próximo mês.

    O presidente disse que a reforma irá vincular o bolívar à criptomoeda petro, recém-lançada pelo Estado, sem fornecer detalhes.

    Especialistas em criptomoedas dizem que o petro sofre de falta de credibilidade devido à falta de confiança no governo Maduro e à má gestão da atual moeda nacional do país.

    A Venezuela tem dito que é vítima de uma 'guerra econômica' comandada por líderes de oposição com a ajuda dos Estados Unidos, que, no ano passado, impuseram diversas rodadas de sanções contra o governo Maduro e importantes autoridades do país.

    LER NOTICIA

    Fique por dentro

    de tudo o que acontece nos bastidores do mundo da música, desde lançamentos, shows, homenagens, parcerias e curiosidades sobre o seu artista favorito. A vinda de artistas ao Brasil, cantores e bandas confirmadas no Lollapalooza e no Rock in Rio, ações beneficentes, novos álbuns, singles e clipes. Além disso, você acompanha conosco a cobertura das principais premiações do mundo como o Oscar, Grammy Awards, BRIT Awards, American Music Awards e Billboard Music Awards. Leia as novidades sobre Phil Collins, Coldplay, U2, Jamiroquai, Tears for Fears, Céline Dion, Ed Sheeran, A-ha, Shania Twain, Culture Club, Spice Girls, entre outros. Aproveite também e ouça esses e outros artistas no aplicativo da Rádio Antena 1, baixe na Apple Store ou Google Play e fique sintonizado.

    1. Home
    2. /
    3. noticias
    4. /
    5. tags
    6. /
    7. economia
    8. /

    Este site usa cookies para garantir que você tenha a melhor experiência.