Capa do Álbum: Antena 1
A Rádio Online mais ouvida do Brasil
Antena 1
    Ícone seta para a esquerda Veja todas as Notícias.

    Vacina da AstraZeneca contra Covid mostra 74% de eficácia em estudo amplo nos EUA

    Placeholder - loading - Vacina AstraZeneca contra Covid-19. 14/03/2021  REUTERS/Dado Ruvic
    Vacina AstraZeneca contra Covid-19. 14/03/2021 REUTERS/Dado Ruvic

    Publicada em  

    Por Julie Steenhuysen

    CHICAGO (Reuters) - A vacina da AstraZeneca contra a Covid-19 demonstrou 74% de eficácia na prevenção de doença sintomática, um número que aumentou para 83,5% em pessoas com 65 anos ou mais, de acordo com resultados muito aguardados de estudo clínico realizado nos Estados Unidos publicados nesta quarta-feira.

    A eficácia geral de 74% foi menor do que o dado anterior de 79% relatado pela farmacêutica britânica em março, um resultado que a AstraZeneca revisou dias depois para 76% após uma rara repreensão pública de autoridades de saúde de que o número era baseado em 'informações desatualizadas'.

    Foram analisados mais de 26.000 voluntários nos Estados Unidos, Chile e Peru, que receberam duas doses da vacina com intervalo de cerca de um mês. Os resultados foram publicados no New England Journal of Medicine.

    Não houve nenhum caso de Covid-19 sintomático grave entre os mais de 17.600 participantes que receberam a vacina, em comparação com 8 desses casos entre os 8.500 voluntários que receberam o placebo. Também houve duas mortes no grupo do placebo, mas nenhuma entre aqueles que receberam a vacina.

    'Fiquei agradavelmente surpresa', disse Anna Durbin, pesquisadora de vacinas da Universidade Johns Hopkins e uma das pesquisadoras do estudo, sobre o resultado geral. 'Também foi altamente protetora contra doenças graves e hospitalização', disse.

    Não houve nenhum caso do efeito colateral raro, mas grave, de trombose com trombocitopenia, que foi associado à vacina da AstraZeneca desenvolvida com pesquisadores da Universidade de Oxford.

    A AstraZeneca informou no final de julho que planejava solicitar aprovação completa da Agência de Alimentos e Medicamentos dos EUA, a FDA, em vez de buscar autorização para uso de emergência.

    O presidente-executivo do laboratório, Pascal Soriot, disse em uma coletiva de imprensa na época que esperava que a vacina ainda pudesse ter um papel contra a pandemia nos Estados Unidos, embora o processo de aprovação estivesse demorando mais do que o esperado.

    Os EUA tem vacinado sua população com os imunizantes da Pfizer, da Moderna e da Janssen.

    Escrito por Reuters

    Últimas Notícias

    1. Home
    2. noticias
    3. vacina da astrazeneca contra …

    Este site usa cookies para garantir que você tenha a melhor experiência.