Capa do Álbum: Antena 1
A Rádio Online mais ouvida do Brasil
Antena 1
    Veja todas as Notícias.

    Acordo comercial EUA-China está à vista após progresso em conversas de alto nível

    Placeholder - loading - Funcionários chineses ajustam bandeiras dos EUA e da China antes de sessão de negociação entre os dois países em Pequim 14/02/2019 Mark Schiefelbein/Pool via REUTERS
    Funcionários chineses ajustam bandeiras dos EUA e da China antes de sessão de negociação entre os dois países em Pequim 14/02/2019 Mark Schiefelbein/Pool via REUTERS

    Publicada em  

    Atualizada em  

    Por Makini Brice e Andrea Shalal

    NOVA DÉLI (Reuters) - As negociações comerciais entre Estados Unidos e China estão progredindo bem, e os EUA pretendem assinar um acordo inicial neste mês, disseram as principais autoridades do governo Trump nesta sexta-feira, oferecendo garantias aos mercados globais após quase 16 meses de disputa tarifária entre as duas maiores economias do mundo.

    A agência de notícias estatal chinesa Xinhua disse que os dois lados chegaram a 'um consenso sobre princípios' durante uma séria e construtiva conversa por telefone nesta sexta-feira entre seus principais negociadores comerciais.

    No final desta sexta-feira, Trump afirmou que as negociações estavam indo bem, ecoando comentários feitos por membros do seu governo ao longo do dia. O assessor comercial da Casa Branca, Peter Navarro, também se mostrou otimista com a conclusão da 'fase um' do acordo, mas afirmou que o entendimento entre EUA e China ainda demandará mais duas fases.

    Os negociadores norte-americanos e chineses fizeram 'enormes progressos' para finalizar um acordo da 'fase um', embora o acerto ainda não estivesse 100% completo, disse o assessor econômico da Casa Branca Larry Kudlow a repórteres nesta sexta-feira.

    O representante comercial dos EUA, Robert Lighthizer, e o secretário do Tesouro, Steven Mnuchin, fizeram progressos em uma variedade de questões durante telefonema com o vice-primeiro-ministro da China, Liu He, e estavam trabalhando para resolver questões pendentes, informou o Escritório do Representante de Comércio dos EUA em comunicado.

    A nota informou que essas autoridades continuarão liderando as conversas.

    Em entrevistas separadas, Kudlow e o secretário de Comércio, Wilbur Ross, utilizaram nesta sexta-feira termos otimistas sobre os movimentos para uma conclusão do acordo.

    'Estou bastante otimista', disse Kudlow à Fox Business Network, conforme as negociações comerciais estavam em andamento.

    'O acordo não está concluído, mas fizemos um enorme progresso. Estamos além de onde estávamos na primavera passada, então vou jogar do lado otimista', disse ele posteriormente a repórteres.

    Autoridades dos EUA disseram que os dois lados estavam perto de um acordo em maio, mas as negociações fracassaram quando a China recuou nos compromissos de mudar sua legislação para resolver as principais queixas dos EUA sobre roubo de propriedade intelectual, transferências forçadas de tecnologia e outras práticas.

    Por enquanto, Kudlow disse que as tarifas planejadas dos EUA para laptops, brinquedos e outros produtos fabricados na China --que entrarão em vigor em 15 de dezembro-- permanecerão à mesa. E afirmou que a decisão sobre se iriam adiante seria tomada pelo presidente Donald Trump.

    Washington ainda esperava assinar o acordo este mês, disse Kudlow, apesar de o Chile ter desistido de sediar a cúpula da Cooperação Econômica Ásia-Pacífico, onde se esperava que Trump e o presidente chinês, Xi Jinping, assinassem os termos.

    'Estamos procurando um local', disse ele. 'Gostaríamos que o momento fosse parecido, mas tudo será determinado.'

    (Reportagem de Makini Brice, Andrea Shalal, Susan Heavey, Doina Chiacu, Lisa Lambert e Tim Ahmann em Washington, com reportagem adicional de Stephanie Nebehay em Genebra)

    Escrito por Reuters

    Últimas Notícias

    Placeholder - loading - Imagem da notícia 6 músicas internacionais que têm samples de outras canções

    6 músicas internacionais que têm samples de outras canções

    Sample é um termo bastante conhecido no mundo da música, especialmente por compositores, cantores e gravadoras. Mas a verdade é que isso talvez seja algo que esteja guardado apenas para os profissionais da área. Sendo assim, esta matéria foi preparada para informar o leitor, com uma linguagem fácil para todos tenham conhecimento.

    A criação de uma música é muito mais complicada e detalhada do que o ouvinte comum acha. O glamour para os cantores e bandas, como premiações, discos de ouro e platina são apenas o final de um trabalho longo e extenso. Como, sabemos que para uma produção de música, uma equipe com vários profissionais é acionada.

    Para entender o sample, devemos voltar lá na origem do artificio, que teve notoriedade na década de 80, justamente com o crescimento das músicas eletrônicas e os arranjos, em versões de remix.

    Por mais moderno que possa parecer, uma técnica de samplear as faixas musicais são muito mais antigas do que pensamos. As primeira tentativas e estudos originaram o termo, surgiram na década de 40.

    Os franceses teóricos da música Pierre Schaefer e Pierry Henry, foram os pioneiros na preparação da chamada Musique Concrèt, que em resumo é arte de modificar um som.

    Como o próprio diz, o significado de Sample, do inglês para o português é basicamente “amostra”, e essa amostra é uma forma utilizada pelos produtores, em uma criação musical. Diferente do remix, o sample é uma base de um faixa já existente. Para deixar mais fácil para o entendimento.

    Quando um musico pega um violão para compor as primeiras notas de uma obra, ele levará para uma gravadora e produtor musical, e incluir aquele curto trecho instrumental na canção. Essa gravação do violão é uma amostra fica gravada, para o inicio da criação.

    O Sample não está limitado apenas nas gravações instrumentais, mas as vozes são muito presentes também. Muitos produtores usam de uma musica já existente para a elaboração de uma nova.

    Por isso, em algumas situações, é notório quando o ouvinte aprecia uma canção, e assemelha a mesma com outra. Assim, ‘samplear’ pode ser considerado uma forma de homenagear o criador.

    Músicas que utilizam sample

    Madonna - 'Hung Up'

    Do ritmo conhecido e apreciado por muitos, o single ‘Gimme ,Gimme, Gimme’ da banda aclamada ABBA, a diva Madonna, não economizou na homenagem ao grupo sueco. ‘Hung Up’ virou de fato um sucesso em 2005, e talvez poucos sabiam dessa similaridade.



    Confira a versão do ABBA:



    Beyoncé - 'All Night'

    A base feita pela estrela Beyoncé em ‘All Night’ foi de fato uma bela combinação com ‘Spottieottiedopaliscious’. A canção original veio da dupla de rappers americanos, Outkast.



    Confira a versão da dupla Outkast:



    Jennifer Lopez - 'Jenny From The Block'

    O grupo americano de hip hop, The Beatnuts, emprestou um de seus exemplares, ‘Watch Out Now’, para a cantora, compositora e atriz Jennifer Lopez. A batida presente na canção da J.Lo é mais um exemplo da utilização do sample. E vale ressaltar que isso não falta de criatividade, e sim uma admiração e homenagem.



    Confira a versão do grupo The Beatnuts:



    Ariana Grande - '7 Rings'

    Ariana Grande voltou ao passado e utilizou 'My Favorite Things', do clássico 'A Noviça Rebelde' em sua música "7 Rings".    

    1 D
    1. Home
    2. noticias
    3. acordo comercial eua china …

    Este site usa cookies para garantir que você tenha a melhor experiência.