alexametrics
Capa do Álbum: Antena 1
ANTENA 1A RÁDIO ONLINE MAIS OUVIDA DO BRASIL

    Após subir mais de 1%, dólar fecha estável ante o real com cena eleitoral

    Por Thomson Reuters

    Placeholder - loading - news single img

    Atualizada em

    Por Claudia Violante

    SÃO PAULO (Reuters) - Depois de subir mais de 1 por cento e encostar em 3,90 reais, o dólar perdeu força na reta final do pregão e fechou esta quinta-feira praticamente estável com os investidores respirando mais aliviados após notícias de que o blocão, grupo de partidos de centro, estaria pendendo a apoiar o pré-candidato do PSDB, Geraldo Alckmin, nas eleições presidenciais de outubro.

    Após o fechamento do mercado à vista, às 17:00, o dólar futurojá era negociado em baixa de cerca de 0,40 por cento.

    O dólar avançou 0,09 por cento, a 3,8448 reais na venda, depois de marcar a máxima de 3,8936 reais no dia.

    'O apoio do centrão em síntese dá força para o Alckmin, embora seja preciso ver o quanto isso vai se refletir nas pesquisas', afirmou o operador de câmbio da corretora H.Commcor Cleber Alessie Machado. 'Alckmin é o que mais agrada ao mercado dentre as escolhas que temos', acrescentou.

    Alckmin é visto pelo mercado como um político mais comprometido com o ajuste fiscal. O tucano e interlocutores próximos fizeram uma contraofensiva nos últimos dias para conter o avanço dos acertos do pedetista Ciro Gomes com o blocão e esse grupo de partidos pode até fechar uma aliança formal com o ex-governador de São Paulo, afirmaram à Reuters fontes envolvidas diretamente nas negociações.

    'Alckmin está na frente agora', admitiu um presidente de um partido do blocão à Reuters, sob a condição do anonimato, ao ser questionado se a disputa estaria empatada.

    Pela manhã, o dólar chegou a superar 1 por cento de valorização ante o real ainda sob influência de declarações otimistas sobre a economia norte-americana do chairman do Federal Reserve, Jerome Powell, que reforçaram as expectativas de investidores sobre a força do dólar a longo prazo e de aumento dos juros.

    À tarde, no entanto, o dólar perdeu força após o presidente dos Estados Unidos, Donald Trump, dizer que não estava 'feliz' com a decisão do Fed de elevar a taxa de juros, já que esses aumentos podem colocar os EUA em 'desvantagem' enquanto banco central do Japão e o Banco Central Europeu (BCE) mantêm sua política monetária frouxa.

    O Banco Central brasileiro ofertou e vendeu integralmente 14 mil swaps tradicionais, equivalentes à venda futura de dólares, rolando 9,10 bilhões de dólares do total de 14,023 bilhões de dólares dos contratos que vencem em agosto.

    1. Home
    2. noticias
    3. apos subir mais de 1 dolar …

    Este site usa cookies para garantir que você tenha a melhor experiência.