Capa do Álbum: Antena 1
A Rádio Online mais ouvida do Brasil
Antena 1
    Ícone seta para a esquerda Veja todas as Notícias.

    Bolsonaro diz ter exagerado ao falar que botaria cara no fogo por Ribeiro, mas defende ex-ministro

    Placeholder - loading - Presidente Jair Bolsonaro e então ministro da Educação, Milton Ribeiro REUTERS/Adriano Machado
    Presidente Jair Bolsonaro e então ministro da Educação, Milton Ribeiro REUTERS/Adriano Machado

    Publicada em  

    BRASÍLIA (Reuters) - O presidente Jair Bolsonaro afirmou nesta quinta-feira que 'exagerou' ao afirmar que acreditava no então ministro da Educação Milton Ribeiro ao ponto de colocar a cara no fogo por ele, mas reiterou sua confiança no antigo auxiliar e creditou a prisão do ex-subordinado a uma tentativa de desgastar o governo.

    O presidente, que tem entre seu eleitorado mais fiel o setor evangélico, afirmou que não se pode levantar suspeitas de forma 'leviana' sobre o ex-ministro, que é pastor evangélico e é investigado em caso de suspeita de corrupção envolvendo verbas da educação.

    'Continuo acreditando no Milton, se aparecer alguma coisa, responda pelos seus atos', disse o presidente na tradicional live semanal nas redes sociais.

    'Eu falei lá atrás que botava a cara no fogo por ele, né. Eu exagerei, mas eu boto a mão no fogo pelo Milton, tá?', acrescentou.

    Para Bolsonaro, seu ex-ministro 'nem deveria ter sido preso'. Ribeiro foi solto nesta quinta-feira por ordem do Tribunal Regional Federal da Primeira Região (TRF-1), um dia após ser detido pela Polícia Federal.

    O presidente argumentou que o tipo de corrupção a que Ribeiro é acusado não se compara a casos de governos anteriores por se tratar de suposto tráfico de influência na liberação de recursos da pasta a prefeituras por intermediação de dois pastores a quem Bolsonaro teria pedido tratamento especial.

    Bolsonaro minimizou a movimentação financeira atípica identificada entre a esposa do ex-ministro e a filha de um pastor, que teria ocorrido por conta da venda de um carro, segundo o presidente.

    'Cada um pode ter 50 mil na sua conta, 100 mil reais na sua conta. Se você vender um imóvel hoje, você pode ter 200 mil na sua conta, qual o problema?', disse.

    Para Bolsonaro, a prisão do aliado não tinha materialidade, 'mas serviu para desgastar o governo, para fazer uma maldade com a família do Milton', afirmou.

    'E você pode ver, não foi corrupção da forma que está acostumado a ver em governos anteriores, obras superfaturadas. Nada disso. Foi de história de fazer tráfico de influência.'

    (Reportagem de Maria Carolina Marcello)

    Escrito por Reuters

    Últimas Notícias

    1. Home
    2. noticias
    3. bolsonaro diz ter exagerado …

    Este site usa cookies para garantir que você tenha a melhor experiência.