Capa do Álbum: Antena 1
A Rádio Online mais ouvida do Brasil
Antena 1
    Veja todas as Notícias.

    Brasil tem recordes de mortes e casos de coronavírus; mais de 2.000 óbitos no total

    Placeholder - loading - news single img
    Fuzileiro, com máscara de proteção, patrulha lado de fora de hospital em Manaus 17/04/2020 REUTERS/Bruno Kelly

    Publicada em  

    Atualizada em  

    (Reuters) - No dia que marca um mês da primeira morte confirmada por Covid-19 no país, o Brasil registrou nesta sexta-feira recorde diário de vítimas fatais da doença, com 217, e o total de óbitos ultrapassou a marca de 2 mil, chegando a 2.141, mostraram dados do Ministério da Saúde.

    O país também registrou a marca recorde de 3.257 novos casos confirmados em 24 horas, o que elevou o total para 33.682, de acordo com a plataforma online da pasta, no momento em que hospitais da rede pública de cidades como São Paulo e Fortaleza já começam a enfrentar problemas de lotação por causa da doença.

    O recorde anterior de mortes registradas em um único dia havia ocorrido tanto na última terça quanto na quarta-feira passada, quando 204 óbitos foram computados em cada um desses dias. Também na quarta foi registrado o recorde anterior de aumento de casos, de 3.058.

    Os recordes diários nos números de mortes e casos confirmados por coronavírus no Brasil foram divulgados no primeiro dia de trabalho de Nelson Teich à frente do Ministério da Saúde. Pela manhã, ele tomou posse no comando da pasta em substituição a Luiz Henrique Mandetta, que vinha acumulando atritos com o presidente Jair Bolsonaro e acabou demitido na véspera.

    Ao contrário do que vinha ocorrendo diariamente antes da saída de Mandetta, não houve entrevista coletiva nesta sexta-feira de representantes do ministério para tratar da situação da pandemia no país.

    Bolsonaro e Mandetta divergiam da estratégia de contenção da propagação do coronavírus. Enquanto o ex-ministro defendia o isolamento social como estratégia para frear a doença, como preconiza a Organização Mundial da Saúde (OMS), o presidente apregoa que apenas os integrantes do grupo de risco --idosos e portadores de comorbidades-- devem ficar isolados, liberando os demais para retornarem ao trabalho.

    Teich, que em artigos já defendeu o chamado 'isolamento horizontal' criticado por Bolsonaro, disse na quinta-feira em pronunciamento ao lado do presidente que não fará medidas bruscas em relação ao distanciamento social, defendeu que saúde e economia são complementares e afirmou estar completamente alinhado a Bolsonaro.

    De acordo com os dados do ministério, São Paulo segue sendo de longe o Estado com maior número de casos e de mortes pela Covid-19 --12.841 e 928, respectivamente--, seguido pelo Rio de Janeiro. Ceará, Amazonas e Pernambuco são outros Estados que já registraram mais de 100 mortes confirmadas por coronavírus, de acordo com os dados do ministério.

    (Por Eduardo Simões, em São Paulo)

    Escrito por Reuters

    1. Home
    2. noticias
    3. brasil tem recorde diario de …

    Este site usa cookies para garantir que você tenha a melhor experiência.