alexametrics
Capa do Álbum: Antena 1
A RÁDIO ONLINE MAIS OUVIDA DO BRASILANTENA 1
    Veja todas as Notícias.

    Consumo de eletricidade no Brasil pode cair de 5% a 12% em 2020, diz consultoria

    Placeholder - loading - news single img
    Linhas de transmissão em Diadema, São Paulo 10/02/2015 REUTERS/Paulo Whitaker

    Publicada em  

    Atualizada em  

    Por Luciano Costa

    SÃO PAULO (Reuters) - O consumo de eletricidade, importante indicador da atividade econômica, pode ter queda de 5% a 12% no Brasil em 2020, em meio a impactos da pandemia de coronavírus sobre a demanda, apontou a consultoria especializada RegE, de um ex-diretor da Agência Nacional de Energia Elétrica (Aneel).

    A projeção, se confirmada, representaria um cenário bem pior que as últimas estimativas da estatal Empresa de Pesquisa Energética (EPE) e de outros órgãos técnicos do setor, que no início de maio revisaram suas perspectivas e sinalizaram retração de 2,9% no uso de energia neste ano.

    Até o final de março, as previsões de EPE, Operador Nacional do Sistema Elétrico (ONS) e Câmara de Comercialização de Energia Elétrica (CCEE) eram de recuo de apenas 0,9% no consumo.

    A consultoria RegE, que tem entre os sócios um ex-diretor da Aneel, Tiago de Barros, avaliou em relatório a clientes que a desaceleração da economia impactará fortemente o consumo de energia elétrica, que poderia cair 4,7% em cenário considerado 'otimista'.

    Em visão 'moderada', o recuo na demanda poderia ser de 7,9%, enquanto um cenário 'pessimista' poderia levar a um tombo de 12,3% no uso de eletricidade, segundo estimativas próprias da ReGe.

    Em um cenário 'normal', sem a pandemia, o consumo de eletricidade poderia ter crescido 4,5% no país em 2020 --número em linha com as estimativas de EPE, ONS e CCEE no final do ano passado.

    As projeções da consultoria levam em consideração uma queda de 3,6% no PIB brasileiro no cenário otimista e de 6,1% no moderado, enquanto a visão pessimista envolveria recuo de 9,5% na economia.

    Em sua última revisão de estimativas, EPE, ONS e CCEE levaram em conta expectativa de queda de 5% no PIB em 2020.

    A expectativa de analistas de mercado para o desempenho da economia brasileira neste ano é de uma queda de 5,89%, segundo boletim Focus publicado pelo Banco Central nesta segunda-feira, contra queda de 5,12% na semana anterior.

    Em meio à forte retração na demanda e também a um aumento da inadimplência com a pandemia, o governo tem negociado um pacote de apoio a distribuidoras de energia que deve envolver mais de 10 bilhões de reais em empréstimos de um grupo de bancos liderado pelo BNDES.

    A consultoria ReGe apontou ainda que a redução do consumo tem sido mais expressiva no mercado livre de eletricidade, no qual grandes clientes como indústrias negociam seu suprimento diretamente com geradores e comercializadores, o que será acompanhado por renegociações de contratos e até possível aumento da inadimplência nesse setor.

    Comercializadoras de energia esperam um impacto negativo de 5 bilhões de reais neste ano devido a esses pedidos de flexibilização e ao menor consumo por parte de seus clientes como consequência do coronavírus, conforme publicado pela Reuters em 20 de maio.

    Escrito por Reuters

    1. Home
    2. noticias
    3. consumo de eletricidade no …

    Este site usa cookies para garantir que você tenha a melhor experiência.