alexametrics
Capa do Álbum: Antena 1
A RÁDIO ONLINE MAIS OUVIDA DO BRASILANTENA 1
    Veja todas as Notícias.

    Dólar segue em disparada próximo de R$4,75 em meio a aversão a risco e apesar de atuação do BC

    Placeholder - loading - news single img
    28/08/2018 REUTERS/Marcos Brindicci

    Publicada em  

    Atualizada em  

    Por Luana Maria Benedito

    SÃO PAULO (Reuters) - O dólar era negociado em disparada acentuada contra o real nesta segunda-feira, chegando a superar 4,79 reais na máxima do dia em meio à onda de aversão a risco global, apesar das tentativas do Banco Central de frear a disparada recente da moeda norte-americana.

    Às 10:06, o dólar avançava 2,17%, a 4,7351 reais na venda, e chegou a tocar a máxima recorde de 4,7950 nos primeiros negócios. Enquanto isso, o dólar futuro saltava 2,45%, a 4,747 reais.

    'O mundo está de pernas para o ar', disse à Reuters Ricardo Gomes da Silva, superintendente da Correparti Corretora. 'O movimento do real acompanha o exterior em meio a uma crise de confiança generalizada.'

    Segundo ele, a queda acentuada dos preços do petóleo ajudava a estressar os mercados, ainda abalados pelo surto de coronavírus. A Arábia Saudita sinalizou no fim de semana que elevará a produção para ganhar participação no mercado, que já está com sobreoferta devido aos efeitos do coronavírus sobre a demanda.

    'Esse é mais um episódio com consequências imprevisíveis sobre as economias', afirmou Gomes da Silva.

    No exterior, o dólar ganhava contra boa parte das divisas arriscadas, como rand sul-africano, lira turca, peso mexicano e dólar australiano, enquanto perdia contra o iene japonês, moeda considerada segura que entra em demanda em tempos de tensões financeiras ou geopolíticas.

    No cenário doméstico, segundo Gomes da Silva, 'independentemente do acontece lá fora, estamos numa crise política e institucional interna'. 'Temos que esperar para ver as decisões do presidente (Jair) Bolsonaro sobre o Congresso e a movimentação do dia 15', afirmou.

    Em meio à disparada recente do dólar o Banco Central vem intervindo nos mercados com leilões de swap cambial tradicional e agora de dólar à vista, numa tentativa de injetar liquidez nos mercados.

    'Hoje é um dia complicado, e o caminho do dólar depende de como o Banco Central vai lidar com isso', disse Alvaro Bandeira, economista-chefe do banco digital Modalmais. 'O BC tem reservas suficientes pra gerar liquidez, mas não sabemos o quanto de liquidez que precisa gerar e nem se está disposto a fazer isso.'

    O BC realizou nesta segunda-feira leilão de venda de dólar à vista de até 3 bilhões de dólares, em que vendeu o total da oferta, depois de ter cancelado o anúncio de venda de até 1 bilhão feito na sexta-feira.

    Além disso, nesta segunda-feira, o diretor de política monetária da autarquia, Bruno Serra, estava no foco dos investidores à medida que falava em evento da Bloomberg. Ele disse que a conjuntura permite ao BC utilizar todos os instrumentos no mercado de câmbio e que tem instrumentos mais do que suficientes para contrapor o momento de crise, o que tirava alguma pressão do real.[nL1N2B20AQ]

    (Edição de Camila Moreira)

    Escrito por Reuters

    1. Home
    2. noticias
    3. dolar chega perto de r48 na …

    Este site usa cookies para garantir que você tenha a melhor experiência.