alexametrics
Capa do Álbum: Antena 1
ANTENA 1A RÁDIO ONLINE MAIS OUVIDA DO BRASIL

    Dólar recua mais de 1% ante real acompanhando otimismo no exterior

    Placeholder - loading - news single img

    Publicada em  

    SÃO PAULO (Reuters) - O dólar encerrou em queda de mais de 1 por cento ante o real nesta terça-feira, refletindo otimismo no exterior, após acordo de parlamentares norte-americanos que pode evitar uma nova paralisação e expectativas para negociações entre EUA e China.

    O dólar recuou 1,31 por cento, a 3,7137 reais na venda. A moeda tocou 3,7032 reais na mínima e alcançou 3,7482 reais na máxima da sessão.

    O dólar futuro operava em queda de 1,2 por cento.

    Segundo o superintendente da Correparti Corretora, Ricardo Gomes da Silva, notícias sobre um acordo para tentar evitar nova paralisação do governo nos EUA e o andamento das negociações entre Washington e Pequim favoreceram ativos de risco.

    Nesse cenário, a divisa norte-americana, considerada um porto seguro, acabou sendo preterida.

    Parlamentares nos EUA selaram o acordo na noite de segunda-feira. O presidente Donald Trump disse que ainda não havia decidido sobre o pacto, mas acrescentou que outra paralisação parcial parece improvável.

    A guerra comercial entre EUA e China também esteve no foco de atenções, com o representante de Comércio e o secretário do Tesouro dos EUA desembarcando em Pequim para negociações comerciais com o objetivo de fechar um acordo antes de 1º de março, data em que está previsto um aumento das tarifas dos EUA sobre produtos chineses.

    Trump disse que poderá prorrogar o prazo se os dois países estiverem perto de um acordo completo, acrescentando que espera se reunir com o presidente chinês, Xi Jinping, para selar o pacto em algum momento.

    'O externo é o que mais está influenciando o nosso mercado, para o bem e para o mal. Há aquele impasse EUA e China, me parece que estão esculpindo a possibilidade de um grande acerto', avaliou o gerente de câmbio da Treviso Corretora, Reginaldo Galhardo.

    Internamente, a agenda econômica continuou no radar, com o mercado especulando sobre possíveis avanços relativos à reforma da Previdência, apostando que o presidente Jair Bolsonaro deixe o hospital nos próximos dias.

    O porta-voz da Presidência indicou que Bolsonaro poderá ter alta já na quarta-feira, mas que está dependendo de uma avaliação médica.

    'O mercado viu que Bolsonaro está saudável e voltando às atividades... Tem coisas que o pessoal não está tocando porque precisa dele, travou o governo. Há um projeto, mas quem vai dar início a esse projeto é o presidente. Esse é o ponto nefrálgico de todo o governo', afirmou Galhardo.

    Além da definição de Bolsonaro sobre o texto, o mercado também monitora a articulação política do governo para assegurar os votos necessários no Congresso.

    O BC vendeu 10,33 mil swaps cambiais tradicionais, equivalente à venda futura de dólares. Assim rolou 4,132 bilhões de dólares dos 9,811 bilhões que vencem em março.

    (Por Laís Martins)

    Escrito por Thomson Reuters

    1. Home
    2. noticias
    3. dolar recua mais de 1 ante …

    Este site usa cookies para garantir que você tenha a melhor experiência.