alexametrics
Capa do Álbum: Antena 1
ANTENA 1A RÁDIO ONLINE MAIS OUVIDA DO BRASIL

    EXCLUSIVO-Governo mantém leilão da Cepisa em 26/7; licitará outras empresas da Eletrobras em 30/8, diz Colnago

    Por Thomson Reuters

    Placeholder - loading - news single img

    Por Belén Carreño

    MADRI (Reuters) - O governo manterá o leilão da Cepisa, distribuidora de energia elétrica da Eletrobras no Piauí, para o próximo dia 26 de julho, e prorrogará para 30 de agosto o leilão das outras cinco distribuidoras subsidiárias da estatal que seriam originalmente ofertadas no fim deste mês, disse à Reuters em Madri o ministro do Planejamento, Esteves Colnago, nesta segunda-feira.

    'Nós tínhamos duas opções: prorrogar as seis, esperando a lei passar ou, que é o que a gente está optando, manter o leilão das Centrais Elétricas do Piauí agora no dia 26', disse Colnago, acrescentando que 'as outras cinco vão ficar para um leilão no dia 30 de agosto'.

    O novo prazo deve-se à necessidade de aguardar a aprovação no Senado de um projeto de lei visto como importante para viabilizar a venda das distribuidoras que operam na Região Norte e a uma decisão judicial específica que trava a venda da empresa que opera no Alagoas, a Ceal.

    Na sexta-feira passada, a Advocacia-Geral da União e o Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES) recorreram ao Tribunal Regional Federal da 2ª Região (TRF-2) para tentar derrubar decisão liminar da 19ª Vara Federal do Rio de Janeiro que suspendeu o leilão de venda da Amazonas Energia, Ceron, Ceal, Boa Vista Energia, Eletroacre e Cepisa. [nL1N1U91QS]

    Na avaliação do ministro, que participa da conferência Infraestrutura para a Integração da América Latina na Espanha, há 'vários grupos' interessados na Cepisa que, dentre as seis companhias, foi a teve 'maior procura', inclusive pelos espanhóis.

    PARÂMETROS ECONÔMICOS

    O ministro também afirmou que o governo publicará na próxima quinta ou sexta-feira sua nova grade de parâmetros econômicos para 2018. Sem detalhar números, ele afirmou que a previsão de expansão para o Produto Interno Bruto (PIB) ficará próxima à do mercado, hoje em torno de 1,5 por cento.

    Colnago também disse que a greve dos caminhoneiros limou um trimestre de crescimento econômico do país, retirando de 0,7 a 0,8 ponto percentual da expectativa para a atividade que o governo tinha anteriormente.

    O próprio Ministério da Fazenda, que chegou a falar em crescimento de 3 por cento neste ano, agora calcula expansão de 1,6 por cento, mesmo cenário do Banco Central.

    Após o Congresso ter derrubado do projeto de Lei de Diretrizes Orçamentárias (LDO) de 2019 trecho que proibia a concessão de novos aumentos ao funcionalismo público no ano que vem, Colnago afirmou que o governo irá propor que os aumentos já autorizados sejam postergados em um ano dentro de esforço fiscal para o próximo exercício.

    'O que eu vou propor para o presidente (Michel Temer) é para aqueles que já havia uma proposição de aumento, você não dá em 2019, dá em 2020', disse.

    (Reportagem adicional de Marcela Ayres, em Brasília)

    1. Home
    2. noticias
    3. exclusivo governo mantem …

    Este site usa cookies para garantir que você tenha a melhor experiência.