alexametrics
Capa do Álbum: Antena 1
ANTENA 1A RÁDIO ONLINE MAIS OUVIDA DO BRASIL

    Governo libera R$1 bi em emendas parlamentares em meio a negociações de reforma da Previdência

    Placeholder - loading - news single img

    59

    Publicada em  

    Atualizada em  

    BRASÍLIA/RIO DE JANEIRO (Reuters) - O governo do presidente Jair Bolsonaro liberou o pagamento de 1 bilhão de reais em emendas parlamentares, disse o líder do governo na Câmara, Major Vitor Hugo (PSL-GO), no que foi visto como um agrado a deputados que vão analisar em breve o projeto de reforma da Previdência enviado pelo Executivo ao Congresso Nacional.

    “Hoje foi liberado o recurso, deve ter sido liberado dentro dos ministérios e vai chegar para os beneficiários a partir da semana que vem ou da outra semana”, disse o líder a repórteres na noite de segunda-feira. “Atende praticamente todos os partidos, inclusive da oposição.”

    De acordo com Vitor Hugo, levantamento do governo mostrou que havia 3 bilhões de reais em emendas impositivas que não haviam sido pagas desde 2014, mas apenas parte delas —que representa cerca de 1 bilhão de reais— cumpria todos os requisitos para liberação.

    O líder do governo disse que foram pagas emendas individuais que somam pouco mais de 700 milhões de reais e emendas de bancada com valores que somam pouco menos de 300 milhões, o que abarca “quase todos os Estados”.

    A liberação de emendas é uma das formas tradicionais de negociação do Executivo com o Congresso. Bolsonaro, no entanto, negou que o pagamento tenha qualquer ligação com as negociações pela aprovação da reforma da Previdência.

    “Informo que não há verbas sendo liberadas para aprovação da Nova Previdência como veículos de informação vem divulgando”, disse o presidente no Twitter nesta manhã.

    “Seguimos o rito constitucional e obrigatório do Orçamento Impositivo, onde é obrigatório a liberação anual de emendas parlamentares”, acrescentou.

    Após negar pelo Twitter que o governo estaria negociando a liberação de emendas como parte da negociação para aprovar a reforma da Previdência, o presidente Jair Bolsonaro confirmou que os recursos, para emendas impositivas, serão liberados. Ressalvou, no entanto, que não há “negociações no nível que existia no passado”.

    “Vamos liberar as emendas impositivas, não temos como fugir delas, temos que pagá-las, porque são impositivas. Não tem negociações, no nível que existia no passado, não existirão no meu governo”, garantiu em entrevista no Palácio do Planalto, durante a visita do presidente do Paraguai, Mario Abdo Benítez.

    Bolsonaro mostrou otimismo com a tramitação da reforma no Congresso.

    'Por vezes as coisas no Congresso podem ser um pouco demoradas', disse. 'Mas dessa vez vai ter a agilidade que a matéria merece. Os meus colegas parlamentares vão colaborar.'

    Na mesma linha, o presidente da Câmara, Rodrigo Maia (DEM-RJ), argumentou que a liberação das emendas é algo previsto na lei orçamentária, ainda que esses recursos estivessem represados desde 2014.

    “A execução orçamentária não é questão de toma lá, dá cá, é questão de cumprimento da lei orçamentária aprovada pelo Legislativo e sancionada pela Presidência da República”, disse o deputado.

    (Por Maria Carolina Marcello e Pedro Fonseca)

    Escrito por Thomson Reuters

    1. Home
    2. noticias
    3. governa libera r1 bi em …

    Este site usa cookies para garantir que você tenha a melhor experiência.