Capa do Álbum: Antena 1
A Rádio Online mais ouvida do Brasil
Antena 1
    Veja todas as Notícias.

    Bolsonaro pede que ministro da Defesa deixe cargo e amplia mudanças em ministérios

    Placeholder - loading - news single img
    08/03/2020 REUTERS/Marco Bello

    Publicada em  

    Atualizada em  

    Por Lisandra Paraguassu

    BRASÍLIA (Reuters) - O presidente Jair Bolsonaro pediu o cargo do ministro da Defesa, Fernando Azevedo e Silva, em um movimento que deve dar início a uma reforma ministerial que inclui mudanças na Casa Civil e na articulação política do governo.

    A demissão de Azevedo e Silva pegou parlamentares e mesmo ministros de surpresa. A saída do ministro, no entanto, não é fato isolado e foi o início de uma reforma ministerial mais ampla, decidida nas últimas horas por Bolsonaro.

    O advogado-geral da União, José Levi, divulgou carta com pedido de demissão. Segundo uma fonte do governo, no entanto, assim como Azevedo, foi o presidente quem pediu o cargo.

    O Palácio do Planalto ainda não se manifestou oficialmente sobre a troca na Defesa e as outras que devem ser anunciadas em breve.

    De acordo com uma fonte palaciana, o atual ministro da Casa Civil, Walter Braga Netto, deve assumir a Defesa. Já a Casa Civil poderá ir para Luiz Eduardo Ramos, atual ministro da Secretaria de Governo, enquanto esse cargo, que faz a articulação política do governo, poderia ir para as mãos de um parlamentar do centrão.

    Mais cedo, o ministro das Relações Exteriores, Ernesto Araújo, apresentou pedido de demissão, que ainda não foi oficialmente aceito pelo presidente. De acordo com uma fonte, Bolsonaro pretende ter o nome de seu substituto decidido antes de fazer o anúncio das trocas.

    Ao sair de um encontro com Bolsonaro e a bancada de Santa Catarina, o senador Jorginho Mello (PL-SC) disse a jornalistas que o presidente havia dito a eles que trocas ministeriais seriam anunciadas ainda nesta segunda.

    'Ele falou que vai fazer uma trocas até hoje à noite e nós vamos ficar sabendo em breve', disse o senador.

    De acordo com duas fontes ouvidas pela Reuters, o presidente decidiu pedir o cargo de Azevedo e Silva em uma rápida reunião no início da tarde desta segunda. A demissão foi comunicada pelo próprio ministro em uma nota, em que enfatizou ter preservado as Forças Armadas como instituições de Estado.

    'Agradeço ao presidente da República, a quem dediquei total lealdade ao longo desses mais de dois anos, a oportunidade de ter servido ao país, como ministro de Estado da Defesa. Nesse período, preservei as Forças Armadas como instituições de Estado', afirmou Azevedo na nota oficial.

    Escrito por Reuters

    1. Home
    2. noticias
    3. ministro da defesa fernando …

    Este site usa cookies para garantir que você tenha a melhor experiência.