alexametrics
Capa do Álbum: Antena 1
ANTENA 1A RÁDIO ONLINE MAIS OUVIDA DO BRASIL

    Ministro do Turismo vai ao STF para suspender investigação em MG sobre 'laranjal do PSL'

    Placeholder - loading - news single img

    1520

    Publicada em  

    Por Ricardo Brito

    BRASÍLIA (Reuters) - O ministro do Turismo, Marcelo Álvaro Antônio, entrou no Supremo Tribunal Federal (STF) com um recursos para suspender investigação feita pelo Ministério Público de Minas Gerais que tem como objetivo apurar eventuais irregularidades com a distribuição de recursos públicos para custear candidaturas do PSL naquele Estado.

    Álvaro Antônio pede na ação que a apuração fique paralisada até que se decida se o caso vai permanecer na corte, em razão do fato de o ministro deter foro privilegiado, ou com o MP de Minas.

    O ministro, que foi presidente do PSL mineiro e deputado federal mais votado no Estado, está no centro de uma polêmica após reportagem da Folha de S.Paulo ter apontado que Álvaro Antônio teria patrocinado um esquema de candidaturas-laranjas, todas abastecidas com recursos do PSL. Ele nega irregularidades.

    No recurso ao STF, Álvaro Antônio alega que a investigação do MP de Minas --a cargo da promotoria eleitoral-- 'viola frontalmente' a decisão do Supremo tomada no julgamento que restringiu o alcance do foro privilegiado.

    'A dissonância entre o comportamento ministerial e o entendimento dessa corte é flagrante, afinal, diga-se à exaustão, os fatos investigados teriam sido cometidos durante o exercício do mandato parlamentar e seriam intrinsecamente ligados ao cargo público', disse a defesa dele, protocolada na sexta-feira passada no STF e que tem o ministro Luiz Fux como relator.

    Além do pedido de liminar para suspender a investigação em Minas, os advogados do ministro querem que, no julgamento do mérito, se remeta a apuração para ser conduzida pelo Supremo.

    Mais cedo em entrevista à Rádio Gaúcha, o ministro da Casa Civil, Onyx Lorenzoni, descartou por ora a demissão do ministro do Turismo e espera o desdobramento das investigações.

    Onyx fez questão de diferenciar a demissão do ex-ministro da Secretaria-Geral da Presidência Gustavo Bebianno --também envolvido em supostos casos de candidaturas-laranjas-- do caso de Antônio. Segundo ele, Bebianno foi demitido por uma questão de quebra de confiança na relação com o presidente Jair Bolsonaro e não pela investigação em si.

    “A questão de Minas Gerais está sendo apurada. O governo observa. É preciso dar tempo que esclarecimentos apareçam e se tiver alguma coisa o presidente vai tomar uma decisão”, disse Onyx na entrevista.

    Escrito por Thomson Reuters

    1. Home
    2. noticias
    3. ministro do turismo vai ao …

    Este site usa cookies para garantir que você tenha a melhor experiência.