alexametrics
Capa do Álbum: Antena 1
ANTENA 1A RÁDIO ONLINE MAIS OUVIDA DO BRASIL

    PF indicia ministro do Turismo em investigação sobre candidaturas-laranjas; Antônio segue no cargo

    Placeholder - loading - news single img
    Ministro Marcelo Álvaro Antônio 16/01/2019 REUTERS/Jake Spring

    4102

    Publicada em  

    Atualizada em  

    Por Ricardo Brito

    BRASÍLIA (Reuters) - A Polícia Federal indiciou o ministro do Turismo, Marcelo Álvaro Antônio, em uma investigação em que ele é alvo sobre uso de candidaturas-laranjas do PSL no Estado de Minas Gerais nas eleições passadas, de acordo com uma fonte que acompanha o caso, mas o ministro segue no cargo.

    Segundo o porta-voz da Presidência da República, Otávio do Rêgo Barros, 'o presidente (Jair Bolsonaro) aguardará o desenrolar do processo e o ministro permanece no cargo'.

    Antônio presidiu o diretório mineiro do PSL --partido do presidente Jair Bolsonaro-- e é suspeito de envolvimento na escolha de candidaturas de fachada com o objetivo de desviar recursos públicos do fundo eleitoral.

    Com a decisão da PF de indiciá-lo, o relatório com as conclusões da apuração será enviado ao Ministério Público que poderá denunciar o ministro, arquivar o caso por entender que não há elementos de envolvimento dele ou ainda pedir novas investigações.

    Em nota, o Ministério do Turismo afirmou que Antônio ainda não foi notificado oficialmente da decisão, mas reafirma sua confiança na Justiça e reforça sua convicção de que a verdade prevalecerá e sua inocência será comprovada.

    'Assim como vem declarando desde o início da investigação, que teve como base uma campanha difamatória e mentirosa, o ministro reitera que não cometeu qualquer irregularidade na campanha eleitoral de 2018', disse a nota.

    Ainda durante o governo de transição, Bolsonaro --que se elegeu ancorado em forte discurso de combate à corrupção-- chegou a dizer que afastaria qualquer ministro seu que fosse denunciado, se houvesse qualquer 'robustez' na denúncia. No caso de Antônio, no entanto, o presidente segue em compasso de espera. Chegou a dizer que tem de ter 'acusação grave' para retirá-lo do cargo.

    O ministro é presença constante no Planalto --na quinta-feira teve uma reunião com o presidente, segundo a agenda oficial de Bolsonaro-- e tem sido elogiado pelo presidente por seu trabalho à frente da pasta.

    (Reportagem adicional Lisandra Paraguassu)

    Escrito por Reuters

    1. Home
    2. noticias
    3. pf indicia ministro do …

    Este site usa cookies para garantir que você tenha a melhor experiência.