alexametrics
Capa do Álbum: Antena 1
ANTENA 1A RÁDIO ONLINE MAIS OUVIDA DO BRASIL

    Se exercitar pouco ou se exercitar demais é ruim para a saúde mental

    Segundo estudo recente, publicado na revista Time, se exercitar demais talvez não seja uma boa ideia caso seu foco seja a saúde mental.

    Por Letícia Furlan

    Placeholder - loading - news single img

    É certo que o exercício físico pode melhorar a saúde mental e até aliviar ou prevenir a depressão. Mas o quanto é o suficiente para perceber uma mudança? Uma nova pesquisa, publicada no Lancet Psychiatry, diz que apenas duas horas de qualquer forma de atividade física a cada semana já causam um impacto significativo.

    "Uma das coisas boas é a acessibilidade disso", diz o coautor do estudo, Adam Chekroud, professor assistente de psiquiatria da Universidade de Yale. "Parece que alguns dos benefícios são bastante acessíveis para a maioria das pessoas." 

    Segundo testes, duas a seis horas de exercícios por semana podem ser o ponto ideal para a saúde mental. Aqueles que se exercitam mais ou menos acabam tendo, em um mês, mais dias do que os pesquisadores denominaram “baixa saúde mental”.

    “Algumas pessoas ficam obcecadas pelo exercício. Você pode definitivamente ver porque alguém que está se exercitando muito, ou talvez obsessivamente, pode ter pior saúde mental ”, diz Chekroud. 

    Por outro lado, o pesquisador afirma que as pessoas que não se exercitam podem perder os efeitos de melhora do humor, que ele diz serem realmente capazes de mudar a maneira como o cérebro funciona. 

    "Há muita literatura sugerindo que as pessoas que estão deprimidas e tomando antidepressivos que também se exercitam geralmente se saem melhor do que as pessoas que tomam apenas antidepressivos", diz ele.  

    E enquanto praticamente qualquer forma de atividade física é boa para o seu corpo e cérebro, os pesquisadores descobriram que certos tipos de exercício foram associados a benefícios de saúde mental um pouco mais do que outros. Os esportes coletivos lideraram o grupo com uma redução de 22,3% na carga de saúde mental, seguida pelo ciclismo (21,6%) e exercícios aeróbicos/ginástica (20,1%). Em uma análise separada, Chekroud e seus colegas também descobriram que exercícios de atenção plena, como yoga, proporcionam melhores benefícios para a saúde mental do que muitos outros tipos de exercício.  

    Mas, enquanto isso, ele diz que os resultados do estudo devem ser encorajadores para quem quer fazer uma mudança de estilo de vida saudável. “Muitas pessoas se exercitam para benefícios de saúde física ou perda de peso”, diz Chekroud, “mas o conceito de exercício para benefícios de saúde mental, explicitamente, é muito estimulante”. 

    Para ler mais notícias, curta a página Antena 1 News no Facebook!

     

    1. Home
    2. /
    3. noticias
    4. /
    5. se exercitar pouco ou se …
    6. /

    Este site usa cookies para garantir que você tenha a melhor experiência.