alexametrics
Capa do Álbum: Antena 1
A RÁDIO ONLINE MAIS OUVIDA DO BRASILANTENA 1

    Setor de serviços do Brasil volta a crescer em 2019 pela 1ª vez em 5 anos

    Placeholder - loading - news single img
    Ônibus enfileirados no Viaduto do Chá, em São Paulo 06/09/2019 REUTERS/Rahel Patrasso

    Publicada em  

    Atualizada em  

    Por Rodrigo Viga Gaier e Camila Moreira

    RIO DE JANEIRO/SÃO PAULO (Reuters) - O volume do setor de serviços brasileiro recuou em dezembro pelo segundo mês seguido, mas ainda assim encerrou o ano passado com crescimento pela primeira vez em cinco anos.

    Em dezembro, o setor de serviços apresentou queda de 0,4% na comparação com novembro, informou nesta quinta-feira o Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE).

    Esse é o resultado mais fraco para um mês de dezembro desde 2015, quando o setor encolheu 0,7%, e a perda foi mais forte do que a expectativa em pesquisa da Reuters de recuo de 0,3%.

    Na comparação com o mesmo mês de 2018, houve alta de 1,6%, em linha com a expectativa e o melhor dezembro em seis anos nessa base de comparação.

    Apesar da fraqueza nos últimos meses do ano, o setor terminou o quarto trimestre com alta de 1,4%, mostrando que a atividade ganhou força ao longo de 2019 após contração no primeiro e segundo trimestres (-0,3% e -0,2% respectivamente) e alta de 0,9% entre julho e setembro.

    Assim, 2019 ficou no azul após estabilidade em 2018 e três anos de queda, registrando recuperação em um ambiente de inflação fraca no país e retomada da atividade econômica e do emprego, ainda que de forma lenta.

    'Entre 2015 e 2017 a perda acumulada foi de 11% e o ganho em 2019 foi de apenas 1%. Como houve crescimento entra 2012 e 2014, é como se o setor de serviços voltasse ao patamar de 2012', disse o gerente da pesquisa no IBGE, Rodrigo Lobo.

    Entre as cinco atividades pesquisadas, quatro tiveram taxas positivas no ano passado, além de 55,4% dos 166 tipos de serviços avaliados.

    Os Serviços de informação e comunicação subiram 3,3% em 2019 e exerceram o principal impacto positivo sobre o índice, devido em grande parte ao aumento da receita das empresas que atuam nos segmentos de Portais, provedores de conteúdo e outros serviços de informação na Internet e outros serviços em tecnologia da informação.

    Também registraram avanços Outros serviços (5,8%), de Serviços prestados às famílias (2,6%) e de Serviços profissionais, administrativos e complementares (0,7%). Na outra ponta, Transportes, serviços auxiliares aos transportes e correio tiveram queda de 2,5% no volume.

    Em dezembro ante novembro, foi o setor de Transportes, serviços auxiliares aos transportes e correio que se destacou com recuo de 1,5%, pressionado principalmente pelo segmento de Transporte terrestre (-3,7%).

    'Isso tem a ver com o desempenho de queda do setor de transporte, de carga e ferroviário, muito em função das perdas observadas na indústria', explicou Lobo.

    O setor de serviços do Brasil acompanhou as vendas varejistas, que terminaram 2019 com crescimento pelo terceiro ano seguido, embora no ritmo mais fraco nesse triênio. Por outro lado, a indústria fechou o ano no vermelho após dois anos seguidos de ganhos.

    'Para o setor de serviços crescer mais, que é mais complexo que comércio e indústria, é necessário haver um impulso no investimento do país. A queda do setor de transportes, o único que caiu em 2019, indica o ritmo da atividade e ambiente', completou Lobo.

    'Não sabemos se a perda de fôlego do fim do ano vai continuar em 2020. Ainda não dá para falar em reversão de trajetória de crescimento.'

    Escrito por Reuters

    1. Home
    2. noticias
    3. setor de servicos do brasil …

    Este site usa cookies para garantir que você tenha a melhor experiência.