alexametrics
Capa do Álbum: Antena 1
ANTENA 1A RÁDIO ONLINE MAIS OUVIDA DO BRASIL

    NOTÍCIAS SOBRE ao

    Veja essas e outras notícias da Antena 1

    Placeholder - loading - Imagem da notícia Inflação em 12 meses da Venezuela supera 1.000.000% em novembro, diz Assembleia

    Inflação em 12 meses da Venezuela supera 1.000.000% em novembro, diz Assembleia

    CARACAS (Reuters) - Os preços ao consumidor da Venezuela subiram 1,3 milhão por cento no ano nos últimos 12 meses até novembro, informou nesta segunda-feira a Assembleia Nacional, que é controlada pela oposição, à medida que a hiperinflação e a recessão econômica vêm pressionando o país-membro da Opep.

    O Fundo Monetário Internacional (FMI) previu, no início deste ano, que a inflação superaria 1 milhão por cento em 2018 e 10 milhões no próximo ano. A inflação mensal desacelerou para 144 por cento em novembro, de 148 por cento no mês anterior e 233 por cento em setembro, informou a Assembleia Nacional em um relatório.

    O presidente socialista Nicolas Maduro aumentou no mês passado o salário mínimo mensal em 150 por cento, para 4,5 bolívares, menos de 10 dólares na taxa de câmbio do mercado negro. Os cidadãos reclamaram que não podiam pagar itens básicos, apesar de um aumento de 60 vezes no valor do salário mínimo em agosto.

    A Assembleia Nacional tornou-se a única fonte confiável de dados sobre preços ao consumidor desde que o governo parou de publicar indicadores econômicos anos atrás, já que a queda dos preços do petróleo causou um recuo na atividade. O FMI tem pressionado a Venezuela para fornecer dados econômicos oficiais, disseram fontes no mês passado.

    Maduro culpa uma 'guerra econômica' travada por interesses comerciais domésticos e os Estados Unidos pelos problemas da Venezuela. Os críticos apontam para suas políticas intervencionistas e impressão de dinheiro para financiar um amplo déficit fiscal como as causas da hiperinflação e escassez de produtos básicos.

    1

    0

    13

    1 M

    Placeholder - loading - Imagem da notícia Confiança da construção no Brasil sobe em novembro para maior nível em quase 4 anos, diz FGV

    Confiança da construção no Brasil sobe em novembro para maior nível em quase 4 anos, diz FGV

    SÃO PAULO (Reuters) - A confiança da construção no Brasil registrou em novembro sua terceira alta consecutiva e chegou ao maior nível em quase quatro anos, diante da expectativa de melhoria dos negócios após o fim do período eleitoral, informou a Fundação Getulio Vargas (FGV) nesta terça-feira.

    Após alta de 2,9 pontos, o Índice de Confiança da Construção (ICST) chegou a 84,7 pontos na comparação com outubro, o maior patamar desde janeiro de 2015.

    'Nos três últimos meses, as expectativas de recuperação da demanda e de melhoria dos negócios no curto prazo aumentaram a confiança dos empresários do setor, um movimento que foi impulsionado com o desfecho das eleições', afirmou em nota a coordenadora de projetos da construção da FGV/IBRE, Ana Maria Castelo.

    'Paralelamente, o indicador de atividade mostra uma retomada ainda muito lenta, mas que já começa a repercutir sobre o emprego', completou ela

    Os dados mostraram que em novembro houve uma melhora significativa nas perspectivas de curto prazo. O Índice de Expectativas (IE-CST) subiu 4,8 pontos, para 95,8 pontos, retornando ao nível de janeiro deste ano, com destaque para o indicador que mede o otimismo com a situação dos negócios nos próximos seis meses.

    O Índice da Situação Atual (ISA-CST), por sua vez, avançou 1,1 ponto, para 74,1 pontos, voltando ao nível atingido em junho de 2015, devido principalmente ao indicador que mede a percepção sobre momento atual.

    Na véspera, a FGV divulgou que a confiança do consumidor também demonstrou melhora ao atingir o melhor nível em quase quatro anos e meio em novembro.

    A FGV informou ainda nesta terça-feira, em nota separada, que a alta do Índice Nacional de Custo da Construção–M (INCC-M) desacelerou a alta a 0,26 por cento em novembro, de 0,33 por cento no mês anterior.

    (Por Stéfani Inouye)

    3

    0

    20

    1 M

    Placeholder - loading - Imagem da notícia Haddad recua após chamar general Mourão de torturador em sabatina

    Haddad recua após chamar general Mourão de torturador em sabatina

    BRASÍLIA/RIO DE JANEIRO (Reuters) - O candidato do PT à Presidência, Fernando Haddad, voltou atrás nesta sexta-feira depois de ter acusado o general Hamilton Mourão, candidato a vice-presidente na chapa de Jair Bolsonaro (PSL), de torturador, dizendo que tomou conhecimento de um 'esclarecimento' sobre o caso.

    Em sabatina para o grupo Globo, Haddad disse que sente medo como cidadão de possivelmente ter um vice-presidente da República acusado de tortura como Mourão, citando afirmação feita pelo cantor Geraldo Azevedo durante show no fim de semana de que Mourão foi um de seus torturadores quando foi preso durante a ditadura militar.

    A acusação do cantor pode ser vista em vídeos no Youtube, mas o músico se desculpou posteriormente em nota 'pelo equívoco', de acordo com o jornal O Estado de S. Paulo, o que levou Haddad a voltar atrás em sua acusação de que Mourão era um torturador.

    'O Geraldo Azevedo realmente foi torturado e realmente disse que tinha sido torturado pelo Mourão. Eu me solidarizo com ele, porque toda pessoa que foi torturada está sujeita a ter esse tipo de confusão. Ele foi alvo de violência extrema, me solidarizo com ele. O esclarecimento dele também tem que ser dado a público, para que não haja dúvida, mas o fato de ele ter soltado a nota de reconhecimento de que houve uma confusão foi uma oportunidade dele esclarecer', disse Haddad a jornalistas ao ser questionado sobre o esclarecimento de Azevedo.

    Mais cedo na sabatina, Haddad havia afirmado: 'Bolsonaro nunca teve nenhuma importância no Exército. Mas o Mourão foi, ele próprio, torturador. O Geraldo Azevedo falou isso. Ver um ditador como eminência parda de uma figura como Bolsonaro deveria causar temor em todos os brasileiros minimamente comprometidos com o Estado Democrático de Direito'.

    Apesar de ter recuado da acusação sobre Mourão ter sido um torturador, o candidato do PT criticou o general da reserva por enaltecer, segundo Haddad, 'o principal torturador' do regime militar, Brilhante Ustra.

    'Isso não muda o fato de que o Mourão, quando passou para a reserva, disse com todas as letras que o Ustra, que é um torturador, era uma das suas referências. Então, tanto o Bolsonaro quanto o Mourão têm o Ustra como referência, isso não muda', afirmou.

    Mourão, de 65 anos, entrou na Academia Militar das Agulhas Negras em 1972 e se formou aspirante-a-oficial em dezembro de 1975, aos 22 anos. De acordo com sua biografia, Geraldo Azevedo foi preso duas vezes, em 1969 e em 1974, e torturado.

    BURBURINHO

    Questionado na sabatina se havia razões concretas para que as pessoas tivessem medo de um governo Bolsonaro, Haddad afirmou que há 'burburinhos' sobre um possível golpe militar, mas que não é possível estimar a real probabilidade disso acontecer.

    'Uma minoria do Exército tem essa ambição? Tem. Aeronáutica e Marinha eu acho que não. A gente não sabe o tamanho desse burburinho, o potencial dele. É um risco que a gente não pode correr. Por isso ele (Bolsonaro) não pode ser eleito. Para quê correr o risco?', disse.

    O petista afirmou ainda que não teme o candidato em si, afirmando que Bolsonaro é 'um tolo', mas sim quem está por trás do capitão da reserva.

    'O que é líquido e certo é que ele (Bolsonaro) é uma pessoa vazia. Ele não tem uma ideia, ele não vem num debate comigo porque não é capaz de defender uma ideia. É uma coisa constrangedora. Agora, o problema é o que sai do porão com ele, que é o Mourão e outras pessoas', afirmou.

    REDES SOCIAIS

    Questionado sobre os erros na condução da campanha, Haddad admitiu que o partido cometeu a falha estratégica de não antecipar o uso das redes sociais para impulsionar conteúdo contra o PT, e citou fala do diretor do instituto Datafolha, Mauro Paulino, de que as notícias falsas disseminadas nas redes tiveram influência direta nas eleições no Rio de Janeiro e em Minas Gerais.

    'Acho que cometemos um erro estratégico porque não pensamos que eles iriam usar o WhatsApp para obter financiamento ilegal de campanha. Não contei com isso', disse.

    'Estamos falando do novo caixa 2. Estão driblando o velho caixa 2 e criando um novo', afirmou.

    (Por Lisandra Paraguassu em Brasília, Maria Clara Pestre e Pedro Fonseca no Rio de Janeiro)

    0

    0

    47

    2 M

    Placeholder - loading - Imagem da notícia PT prepara homenagem de despedida a Lula em programa eleitoral e logo dará início a transição para Haddad

    PT prepara homenagem de despedida a Lula em programa eleitoral e logo dará início a transição para Haddad

    Por Lisandra Paraguassu

    CURITIBA (Reuters) - O PT apresentará, na noite desta terça-feira, um programa eleitoral em homenagem ao ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva, em uma despedida da sua tentativa de se candidatar mais uma vez à Presidência, e começa na quinta-feira com um programa de transição que já colocará Fernando Haddad como o candidato petista à Presidência, informaram à Reuters fontes petistas.

    Na manhã desta terça-feira, Lula e seu substituto estão reunidos na Superintendência da Polícia Federa, onde Lula está preso, fazendo a última revisão na carta em que o ex-presidente anunciará ao país que desistiu de sua candidatura e Haddad assumirá o posto. Depois de meses de resistência, tendo perdido praticamente todos os recursos que tentou para manter sua candidatura, Lula aceitou desistir.

    No início da manhã, ao sair do hotel em que estava hospedado para visitar Lula mais uma vez, Haddad confirmou que será feito um 'pronunciamento' às 15h.

    No programa, contou uma das fontes, será apresentado um depoimento 'forte e emocionante' de Lula, falando de sua trajetória e suas ideias para o país. Será um encerramento de ciclo para que, na quinta-feira -próximo dia de programas eleitorais para Presidência- o partido apresente já Haddad como o candidato.

    Neste programa, segundo as fontes, será finalmente colocado o vídeo gravado por Lula apresentando Haddad, com elogios ao e-ministro da Educação de seu governo. O texto foi gravado ainda antes do ex-presidente ser preso. Apesar de duvidar da prisão, Lula deixou vários depoimentos, entre eles, elogios a seus possíveis substitutos.

    Nesta terça, o roteiro em Curitiba já foi traçado. Depois da reunião da Executiva do partido, os dirigentes irão para a frente da PF. Haddad, que estará com Lula até o último minuto, irá encontrá-los na vigília Lula Livre, em frente à PF. Lá, será lida a carta de Lula e Haddad fará seu primeiro discurso como candidato.

    0

    0

    11

    4 M

    Placeholder - loading - Imagem da notícia Confiança da construção do Brasil recua em agosto com piora expectativas, diz FGV

    Confiança da construção do Brasil recua em agosto com piora expectativas, diz FGV

    SÃO PAULO (Reuters) - A confiança da construção brasileira piorou em agosto diante da queda acentuada nas expectativas dos empresários do setor, mostrou nesta segunda-feira a Fundação Getulio Vargas (FGV).

    O Índice de Confiança da Construção (ICST) registrou neste mês recuo de 1,6 ponto e chegou a 79,4 pontos, devolvendo o avanço registrado em julho, apontou a FGV.

    'Em apenas três meses, o Índice de Expectativas retrocedeu ao patamar de agosto do ano passado. O resultado sugere uma piora mais definitiva no cenário de retomada vislumbrado anteriormente pelas empresas da construção', explicou em nota a coordenadora de Projetos da Construção da FGV/IBRE, Ana Maria Castelo.

    Em agosto, o Índice de Expectativas (IE-CST) recuou 3,5 pontos, para 87,5 pontos, atingindo o menor nível desde julho do ano passado, quando registrou 85,0 pontos.

    Ambos os quesitos que compõem o IE-CST apresentaram queda no mês --o indicador de demanda prevista caiu 3,2 pontos e o indicador de tendência dos negócios recuou 3,7 pontos.

    O Índice da Situação Atual (ISA-CST), por sua vez, avançou 0,3 ponto, para 71,7 pontos, em sua terceira alta consecutiva.

    A FGV informou ainda que e Nível de Utilização da Capacidade (NUCI) do setor teve queda de 0,5 ponto percentual e alcançou 65 por cento em agosto.

    A confiança da construção contradiz a do comércio, que voltou a melhorar em agosto após quatro recuos seguidos diante da melhora das expectativas, segundo os dados divulgados na sexta-feira pela Fundação Getulio Vargas.

    Em nota separada, a FGV informou ainda que o Índice Nacional de Custo da Construção–M (INCC-M) desacelerou a alta no mês a 0,30 por cento, de 0,72 por cento em julho.

    (Por Stéfani Inouye)

    0

    0

    20

    4 M

    Fique por dentro

    de tudo o que acontece nos bastidores do mundo da música, desde lançamentos, shows, homenagens, parcerias e curiosidades sobre o seu artista favorito. A vinda de artistas ao Brasil, cantores e bandas confirmadas no Lollapalooza e no Rock in Rio, ações beneficentes, novos álbuns, singles e clipes. Além disso, você acompanha conosco a cobertura das principais premiações do mundo como o Oscar, Grammy Awards, BRIT Awards, American Music Awards e Billboard Music Awards. Leia as novidades sobre Phil Collins, Coldplay, U2, Jamiroquai, Tears for Fears, Céline Dion, Ed Sheeran, A-ha, Shania Twain, Culture Club, Spice Girls, entre outros. Aproveite também e ouça esses e outros artistas no aplicativo da Rádio Antena 1, baixe na Apple Store ou Google Play e fique sintonizado.

    1. Home
    2. noticias
    3. tags
    4. ao

    Este site usa cookies para garantir que você tenha a melhor experiência.