Capa do Álbum: Antena 1
A RÁDIO ONLINE MAIS OUVIDA DO BRASILANTENA 1
    Veja todas as Notícias.

    Confira entrevista exclusiva com Jeffrey Paradise, do Poolside

    Artista afirmou ser um grande fã do Brasil!

    Placeholder - loading - news single img
    Jeffrey Paradise, do Poolside afirmou ser um grande fã do Brasil!

    Publicada em  

    O Poolside começou em Los Angeles, Califórnia em 2010 e desde então vem ganhando notoriedade pelas apresentações em festivais de destaque como FYF, Primavera Sound e Coachella.

    A banda foi originalmente formada por Jeffrey Paradise e Filip Nikolic, mas atualmente é composta por Jeff e membros adicionais Mattie Safer, Brijean Murphy e Casey Butler, para apresentações ao vivo.

    Veja também: Around The Sun, do Poolside, é o lançamento da semana!

    No início do ano ocorreu o lançamento do terceiro álbum do grupo, Low Season, que conta com o single “Around The Sun”, a música faz parte da nossa programação e tem feito muito sucesso entre nossos ouvintes!

    Em uma conversa divertida e descontraída, Jeff nos contou um pouco sobre sua inspiração para música e outras curiosidades interessantes. Confira a entrevista completa:

    Antena 1: Fomos a primeira rádio a tocar no Brasil “Around The Sun”, qual foi a inspiração para a música?

    Jeffrey Paradise: A inspiração para a música é uma celebração da vida em serviço e um reconhecimento dos elementos agridoces da vida, em particular, isso foi escrito em um quarto de hotel no meu aniversário. Acordei em turnê sozinho no meu quarto e tudo com a banda e a música estava muito bem, ainda assim acordei sozinho em um quarto de hotel no seu aniversário. Então nem sempre são momentos felizes quando você está em turnê. Essa é uma música muito boa e eu realmente gosto disso. Esse é o tipo de momento da vida em que tudo é realmente bom e triste ao mesmo tempo.

    Antena 1: Os singles da banda proporcionam uma sensação de nostalgia, quais os artistas ou bandas que mais inspiraram vocês?

    Jeffrey Paradise: Sabe, essa é uma pergunta difícil, porque há muita música boa! Eu acho que Neil Young é certamente um deles, realmente amo as composições que ele consegue criar, músicas simples que ainda são muito criativas e complicadas de certas maneiras. David Byrne e o Talking Heads são outros grandes sucessos para mim, eu realmente admiro o trabalho deles e todas as músicas. Serge Gainsbourg é outro que eu realmente gosto! Você sabe, são tantos para nomear, T-Rex, The Withers são outros grandes, realmente sinto que eles podem pegar um tema sobre o qual você normalmente não escreveria e apenas torná-lo realmente poderoso.

    Antena 1: Vocês já participaram de vários festivais, tem algum que marcou a banda de uma forma especial?

    Jeffrey Paradise: Sabe, quando eu era criança no colégio crescendo, eu ia para o Coachella e sempre quis tocar lá desde quando eu era jovem, então, nunca pensei que fosse chegar a esse ponto um pouco fora de alcance. Por algum motivo, eu tinha uma crença limitada em torno do que parecia meio misterioso, do que torna a banda popular para mim, continua tendo para ser honesto! Mas tocar lá é um momento real para mim, porque eu sempre quis isso. O Primavera Sound em Barcelona, foi realmente bom, é outro festival que eu sempre mantenho reservas e é realmente muito bem organizado, por isso foi uma verdadeira honra. Outside Lands, é outro que tocamos em 2017 e foi apenas um verdadeiro destaque de nossa performance, realmente chegamos à ocasião em que acreditamos ter 30.000 ou mais pessoas nos assistindo, foi realmente tão grande quanto os outros.

    Antena 1: Tem algum festival que ainda não participaram, mas querem?

    Jeffrey Paradise: Eu meio que vou dizer não haha, já estive em muito festivais e tenho certeza de que existem muitos, mas não há um que eu precise ir no momento. Então eu acho que a resposta é um pouco diferente, existem muitos pequenos festivais que eu não conheço e sempre que vou para algum, eu fico super animado, porque eu realmente amo festivais pequenos e íntimos e eu realmente quero me tornar fã de novas bandas e conhecer novos amigos, coisas que apenas se faz em um pequeno festival. Estive em um pequeno festival em Oaxaca, México e foi realmente um bom tempo, muito especial! Então eu diria que só não conheço estes festivais ainda!

    Antena 1: Qual a maior dificuldade que a banda já enfrentou?

    Jeffrey Paradise: Oh Cara, a maior dificuldade, eu penso que são muitas, só ser um músico é colocar toda sua vida nisso, é realmente difícil, um desafio às vezes! É um passeio de montanha russa realmente, não há muita estabilidade, você não consegue realmente ter uma vida “normal”, é um pouco do que foi falado na primeira pergunta sobre “Around The Sun”, é uma espécie de cerca que se manifesta como crise, é apenas o desafio permanente de ser um músico, dedicar sua vida a isso, com altos e baixos, ir junto com a falta de certeza sobre como será o próximo mês, eu acho que essa é a maior dificuldade.

    Antena 1: E qual a maior conquista?

    Jeffrey Paradise: Eu olho para a realização de uma maneira que eu poderia responder com uma frase ou uma coisa que você sabe. A verdade é, eu acho que colocar para fora a música que eu estou orgulhoso e eu realmente foquei nisso, a Poolside focou nisso, nós nunca tentamos mudar para nos encaixar, nos dirigimos em volta do navio e colocar para fora três álbuns de música que eu me orgulho é uma grande conquista!

    Antena 1: A banda pretende realizar shows no Brasil? Como imaginam que seria?

    Jeffrey Paradise: Não tenho um plano definitivo para isso. Estivemos uma vez em São Paulo, como DJs e foi realmente divertido, estava indo para um show de DJs, foi realmente muito divertido, uma boa vibe. Eu amaria ir e tocar mais no Brasil e estou muito aberto a essa possibilidade.

    Antena 1: Como imaginam que seria?

    Jeffrey Paradise: Em geral os fãs na América do Sul e no México, eu quero dizer são diferentes lugares, mas são fora dos Estados Unidos, estive no Chile e em Bogotá algumas vezes, e eles são fãs muito apaixonados, que amam música, então imagino que fazer shows no Brasil, seria parecido! Sinto que a música brasileira é tão rica, realmente amo e me inspiro na percussão, nos vários ritmos e musicalidade. Eu amo a Língua Portuguesa particularmente a do Brasil haha, então sim, sou um grande fã do Brasil e gostaria da tocar mais aí.

    1. Home
    2. noticias
    3. confira entrevista exclusiva …

    Este site usa cookies para garantir que você tenha a melhor experiência.