alexametrics
Capa do Álbum: Antena 1
ANTENA 1A RÁDIO ONLINE MAIS OUVIDA DO BRASIL

    Dados comerciais da China em janeiro superam expectativas, mas sustentabilidade é dúvida

    Placeholder - loading - news single img

    1513

    Publicada em  

    Atualizada em  

    Por Stella Qiu e Kevin Yao

    PEQUIM (Reuters) - As exportações da China voltaram a crescer inesperadamente em janeiro após recuo no mês anterior enquanto as importações caíram muito menos do que o esperado, mas analistas disseram que a força deve-se provavelmente a fatores sazonais e preveem nova fraqueza à frente.

    As exportações em janeiro avançaram 9,1 por cento em relação ao ano anterior, mostraram dados da alfândega, contra expectativas de economistas de queda de 3,2 por cento e após contração em dezembro de 4,4 por cento.

    As importações caíram 1,5 por cento, em um resultado melhor do que as estimativas de recuo de 10 por cento e ante perda de 7,6 por cento em dezembro.

    Isso deixou o país com um superávit comercial de 39,16 bilhões de dólares no mês.

    Embora as leituras pareçam positivas à primeira vista, analistas alertaram que dados da China no começo do ano têm que ser tratados com cautela devido a distorções provocadas pelo feriado do Ano Novo Lunar, que começou em 4 de fevereiro deste ano.

    Muitas empresas apressam carregamentos ou reabastecem seus estoques de matérias-primas antes do feriado.

    'Claramente, os números surpreenderam o mercado. Mas dada a desaceleração (de leituras industriais) globais e dados comerciais fracos da Coreia, pode ser prematuro concluir que as perspectivas de comércio melhoraram com base somente no número de janeiro', disse Tommy Xie, economista do OCBC Bank.

    O comércio também tem fraquejado globalmente em meio ao crescente protecionismo e perda de força em algumas importantes economias, mais destacadamente na Europa.

    O crescimento econômico da China desacelerou a 6,6 por cento em 2018, pressionado pelos crescentes custos de empréstimos e pela repressão a empréstimos mais arriscados.

    Escrito por Thomson Reuters

    1. Home
    2. noticias
    3. dados comerciais da china em …

    Este site usa cookies para garantir que você tenha a melhor experiência.