alexametrics
Capa do Álbum: Antena 1
A RÁDIO ONLINE MAIS OUVIDA DO BRASILANTENA 1

    Estudos avaliam qual a melhor bebida alcoólica para a saúde

    Alguns pesquisadores, no entanto, afirmam que nenhuma quantidade de álcool é segura.

    Placeholder - loading - news single img
    Taças de vinho (Foto: Pixabay)

    Publicada em  

    A partir da década de 1980, os pesquisadores notaram que os franceses apresentavam taxas abaixo do esperado de doenças cardíacas e morte prematura. E isso mesmo que eles, tipicamente, comam uma dieta com muitos alimentos com gordura saturada e colesterol.

    Alguns chamaram esse fenômeno de "paradoxo francês" e começaram a trabalhar para descobrir uma explicação. O vinho emergiu como um candidato principal.

    O consumo moderado de vinho é um componente das dietas tradicionais do Mediterrâneo, que a pesquisa associa a taxas mais baixas de doenças e mortalidade. Um estudo de 1992 no The Lancet encontrou evidências de que beber vinho e outros tipos de álcool poderia prevenir ou reduzir bloqueios arteriais. Outra pesquisa da época descobriu que as pessoas que bebiam vinho, em comparação à cerveja, apresentavam menores riscos de mortalidade.

    Trabalhos posteriores se concentraram em um grupo de compostos encontrados nas uvas, chamados polifenóis - e, em particular, resveratrol - como a fonte mais provável dos benefícios à saúde do vinho. O vinho tinto, mais do que o branco, é rico em resveratrol. E a crença de que ele é mais saudável do que outras bebidas alcoólicas criou raízes.

    Um estudo de 2006 sobre compras de supermercado na Dinamarca descobriu que as pessoas que compravam vinho também tendiam a comprar mais frutas, vegetais e outros alimentos saudáveis do que as pessoas que compravam cerveja. Este estudo levou a especulações de especialistas de que o consumidor médio de vinho pode comer mais saudável do que o consumidor médio de cerveja. Se for verdade, isso poderia explicar muitas das vantagens para a saúde associadas ao vinho.

    Pesquisas mais recentes que controlaram a dieta e outras variáveis do estilo de vida concluíram que beber quantidades moderadas de cerveja - geralmente definidas como uma por dia para mulheres e duas para homens - oferece os mesmos benefícios à saúde do coração que uma quantidade semelhante de vinho.

    Enquanto isso, estudos descobriram que o queijo e algumas outras fontes de gordura saturada e colesterol podem não aumentar o risco de uma pessoa ter doenças cardíacas e morte prematura. Isso enfraquece o fenômeno do “paradoxo francês” que levou o vinho ao estrelato da saúde em primeiro lugar.

    Demóstenes Panagiotakos é professor do Departamento de Nutrição e Dietética da Universidade Harokopio, na Grécia, e estudou os efeitos a longo prazo do vinho e da cerveja na saúde do coração. Sua pesquisa sugere que vinho e cerveja são mais ou menos iguais quando se trata de reduzir os riscos de doenças cardíacas de uma pessoa. "O vinho tinto tem sido a bebida alcoólica mais estudada", diz ele. "No entanto, estudos epidemiológicos e ensaios clínicos recentes revelam relações semelhantes para a cerveja".

    Algumas das evidências mais recentes descobriram que alguns tipos de cerveja podem ser ainda mais saudáveis que o vinho tinto. Um estudo de 2016 no Journal of Wine Economics analisou os hábitos de compras e os resultados de saúde de mais de 30 mil americanos. Após controlar a qualidade da dieta, o estresse e outras variáveis, o estudo constatou que a incidência de doenças cardíacas e diabetes tipo 2 foi menor entre os bebedores moderados que compraram cerveja artesanal em vez de outros tipos de álcool. "Esse efeito foi um pouco maior que o do vinho tinto", diz Michael McCullough, professor de agronegócio da California Polytechnic State University e um dos autores do estudo. Enquanto isso, o consumo de cerveja não artesanais foi associado a reduções muito menores no risco de coração e diabetes.

    McCullough diz que a cerveja artesanal geralmente não é pasteurizada e filtrada e, portanto, contém mais compostos vegetais, leveduras, bactérias, vitaminas, minerais e outros constituintes potencialmente saudáveis ??do que as cervejas macro. Mas ele diz que a pesquisa comparando os efeitos na saúde de vários tipos de álcool é incompleta. Ele está concluindo um estudo no qual as primeiras descobertas sugerem que as pessoas que bebem cerveja não artesanais parecem ser tão saudáveis ??quanto os que bebem cerveja artesanal.

    Mas ideia de que qualquer bebida alcoólica deve ser considerada "saudável" é controversa; alguns estudos recentes - notavelmente um artigo de 2018 no The Lancet - concluíram que nenhuma quantidade de álcool é segura. Mas nem todos os especialistas concordaram com as conclusões desse estudo e grande parte da pesquisa até o momento, incluindo a de McCullough, descobriu que o consumo baixo ou moderado de álcool está associado a melhores resultados para a saúde.

    Embora ainda seja possível que um tipo de álcool seja mais saudável que outro, ainda é muito cedo para coroar um campeão.

    As informações são da revista norte-americana Time

    1. Home
    2. noticias
    3. estudos avaliam qual a melhor …

    Este site usa cookies para garantir que você tenha a melhor experiência.