Capa do Álbum: Antena 1
A Rádio Online mais ouvida do Brasil
Antena 1
    Veja todas as Notícias.

    Governadores pedirão 'múltiplas vacinas' contra Covid-19 em encontro com Pazuello

    Placeholder - loading - Ministro da Saúde, Eduardo Pazuello, em Brasília 09/06/2020 REUTERS/Adriano Machado
    Ministro da Saúde, Eduardo Pazuello, em Brasília 09/06/2020 REUTERS/Adriano Machado

    Publicada em  

    Por Ricardo Brito

    BRASÍLIA (Reuters) - Governadores pedirão na terça-feira ao ministro da Saúde, Eduardo Pazuello, que o governo federal adquira 'múltiplas vacinas' para o enfrentamento à Covid-19 e inicie um plano nacional de vacinação em massa, disse o presidente do Consórcio Nordeste e coordenador do tema da vacina no Fórum Nacional de Governadores, o governador do Piauí, Wellington Dias (PT).

    Segundo a assessoria de Dias, ele conversou na manhã desta segunda por telefone com Pazuello e acertaram uma reunião para às 11h de terça para discutir esses assuntos. Ainda não está fechado se apenas o governador do Piauí, como representante dos governadores, vai participar do encontro ou se os demais foram chamados a participar.

    'Se uma vacina é aprovada pela agência reguladora, é segura, é eficiente e evita Covid-19, essa é a boa vacina. Queremos múltiplas vacinas. Quanto mais laboratórios trabalhando na produção de vacinas, mais cedo nós saímos da crise da pandemia de Covid-19 e também da crise econômica, de desemprego, dessa situação indefinida do Brasil', disse o governador do Piauí.

    'O que desejamos dessa reunião com o ministro Pazuello é uma proposta completa: múltiplas vacinas no Plano Nacional de Imunização e um plano estratégico para que a gente possa rapidamente, quem sabe até abril no máximo julho, a gente possa sair dessa crise', completou ele, em vídeo distribuído pela assessoria.

    O anúncio da reunião ocorre no momento em que o governador de São Paulo, João Doria (PSDB), anunciou que a vacina da chinesa Sinovac, que está sendo testada e será produzida pelo Instituto Butantan, começará a ser aplicada no Estado em 25 de janeiro, com prioridade para pessoas de mais de 60 anos e profissionais de saúde. A CoronaVac, como é conhecida, entretanto, ainda não tem registro da Anvisa.

    O presidente Jair Bolsonaro vetou um acordo que estava sendo costurado com o Ministério da Saúde para aquisição da CoronaVac e chegou a alegar que essa vacina não transmitiria segurança à população por causa de sua origem.

    Escrito por Reuters

    Últimas Notícias

    1. Home
    2. noticias
    3. governadores pedirao …

    Este site usa cookies para garantir que você tenha a melhor experiência.