alexametrics
Capa do Álbum: Antena 1
ANTENA 1A RÁDIO ONLINE MAIS OUVIDA DO BRASIL

    Kremlin nega tuíte de Trump sobre suposta retirada da Venezuela

    Placeholder - loading - news single img
    Presidente russo, Vladimir Putin, e presidente da Venezuela, Nicolás Maduro 05/12/2018 REUTERS/Maxim Shemetov

    20

    Publicada em  

    Por Andrew Osborn e Tom Balmforth

    MOSCOU (Reuters) - O Kremlin disse nesta terça-feira que não sabe de onde o presidente dos Estados Unidos, Donald Trump, tirou a ideia de que a Rússia retirou a maioria de seus especialistas militares da Venezuela, e disse que eles continuam a trabalhar no país sul-americano aliado.

    Trump tuitou na segunda-feira que a Rússia disse aos EUA que retirou 'a maioria de seu pessoal' da Venezuela, onde o governo russo mantém laços militares e econômicos estreitos com o presidente socialista Nicolás Maduro.

    O comentário causou espanto porque, se for verdade, marcaria um revés considerável para Maduro, que os EUA estão determinados a afastar e que o Kremlin vem defendendo com firmeza.

    Mas o porta-voz do Kremlin, Dmitry Peskov, disse a repórteres que Moscou não manteve contato com Trump sobre o tema, e que Trump aparentemente obteve a informação de reportagens de jornais, o que autoridades russas já negaram, ou de outro local.

    'Julgando pela aparência, é uma referência circunstancial a fontes de informação de jornais, porque não houve mensagem oficial sobre isso do lado russo e não poderia haver uma', disse Peskov a respeito do comentário de Trump.

    'Realmente há especialistas (russos) fazendo manutenção de equipamentos que foram entregues anteriormente, e esse processo corre de acordo com o plano'.

    O tuíte de Trump veio na esteira de um artigo publicado pelo Wall Street Journal no domingo segundo o qual a prestadora de serviço de defesa estatal russa Rostec reduziu seu pessoal na Venezuela a somente algumas dezenas, citando uma pessoa próxima do Ministério da Defesa russo.

    A Rostec disse que a reportagem exagerou o número de funcionários que tem na Venezuela 'dúzias de vezes', que o número de funcionários permanente não muda há anos e que o corpo técnico faz rodízio no país para oferecer manutenção e consertos em equipamentos militares.

    A empresa ainda disse que recentemente especialistas técnicos terminaram de fazer manutenção em uma série de aeronaves e que continua comprometida a aprofundar sua cooperação com o Ministério da Defesa venezuelano e a honrar seus compromissos com Caracas.

    Peskov disse nesta terça-feira que o Kremlin não sabe o que Trump quis dizer quando afirmou que a Rússia retirou parte do pessoal militar da Venezuela e que não faz ideia a que informação estava reagindo.

    (Reportagem adicional de Maxim Rodionov)

    Escrito por Reuters

    1. Home
    2. noticias
    3. kremlin nega tuite de trump …

    Este site usa cookies para garantir que você tenha a melhor experiência.