alexametrics
Capa do Álbum: Antena 1
ANTENA 1A RÁDIO ONLINE MAIS OUVIDA DO BRASIL

    Paquistão prende suspeito de ordenar ataques de 2008 em Mumbai

    Placeholder - loading - news single img
    Hafiz Muhammad Saeed, chefe do Lashkar-e-Taiba 20/07/2016 REUTERS/Caren Firouz

    2354

    Publicada em  

    Atualizada em  

    Por Mubasher Bukhari

    LAHORE, Paquistão (Reuters) - Autoridades do Paquistão prenderam nesta quarta-feira Hafiz Saeed, o suposto mentor de um ataque militante de quatro dias à cidade indiana de Mumbai em 2008, sob acusações de financiamento do terrorismo, disse um porta-voz do governo da província de Punjab.

    A prisão ocorreu dias antes de uma visita a Washington do primeiro-ministro paquistanês, Imran Khan, que prometeu reprimir grupos militantes que operam no Paquistão.

    Saeed, designado pelos Estados Unidos e pela Organização das Nações Unidas (ONU) como terrorista, é o fundador do Lashkar-e-Taiba (LeT), ou Exército dos Puros, grupo militante que os EUA e a Índia culpam pelos ataques em Mumbai que mataram mais de 160 pessoas.

    Ele negou qualquer envolvimento e disse que sua rede, que inclui 300 seminários e escolas, hospitais, uma editora e serviços de ambulância, não tem laços com grupos militantes.

    Um porta-voz do governador do Punjab, Shahbaz Gill, disse que Saeed foi preso perto da cidade de Gujranwala, no centro do Paquistão.

    'A principal acusação é que ele está arrecadando fundos para organizações proibidas, o que é ilegal', disse o porta-voz.

    O Departamento de Contraterrorismo do Punjab disse em um comunicado que Saeed foi preso quando ia a um tribunal de Gujranwala para pedir uma fiança pré-prisão, mas que foi mantido sob custódia.

    O Paquistão, que consta de uma lista da Força-Tarefa de Ação Financeira, uma agência que combate a lavagem de dinheiro e o financiamento do terrorismo, sofre uma pressão crescente para parar de custear grupos militantes.

    Mas uma autoridade do governo indiano disse que simplesmente prender Saeed não basta e que ele deveria ser levado a julgamento e condenado.

    'Queremos uma ação real, não estes tipos de medidas que são reversíveis. Uma corte ordena sua prisão, outra o liberta', disse o funcionário, que tem conhecimento profundo de questões diplomáticas com o Paquistão.

    Ele disse que o sentimento em Nova Délhi é o de que o Paquistão está tomando medidas como estas por causa da viagem de Khan aos EUA, que ofereceram uma recompensa de 10 milhões de dólares por informações que levem à condenação de Saeed pelos ataques em Mumbai.

    Em 2017, autoridades paquistanesas colocaram Saeed em prisão domiciliar e mais tarde o libertaram, já que ele foi absolvido das acusações que recebeu -- o que provocou críticas fortes de Washington e de Nova Délhi.

    (Reportagem adicional de Sanjeev Miglani em Nova Délhi)

    Escrito por Reuters

    1. Home
    2. noticias
    3. paquistao prende suspeito de …

    Este site usa cookies para garantir que você tenha a melhor experiência.