alexametrics
Capa do Álbum: Antena 1
ANTENA 1A RÁDIO ONLINE MAIS OUVIDA DO BRASIL

    PERFIL-Amado e odiado, Lula travará nos tribunais batalha para disputar Presidência pela 6ª vez

    Por Thomson Reuters

    Placeholder - loading - news single img

    Por Lisandra Paraguassu

    BRASÍLIA (Reuters) - Carismático e maior liderança popular da história do país para uns, símbolo maior da corrupção que assolou o Brasil nos últimos anos para outros, o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva travará da cadeia uma luta nos tribunais para disputar pela sexta vez a Presidência da República na eleição de outubro deste ano.

    Desde a última vez que esteve preso, há 38 anos, quando foi detido por enfrentar a ditadura militar com uma grande greve de metalúrgicos, o tempo passou para Lula, mas a garra e o apreço pelo confronto permaneceram.

    Em todas as suas manifestações feitas desde a prisão em abril --seja por meio de advogados, cartas ou artigos publicados na imprensa-- tem insistido na candidatura ao Planalto, mesmo diante da alta probabilidade de ser barrado da eleição pela Lei da Ficha Limpa.

    'Querem me derrotar? Façam isso de forma limpa, nas urnas. Discutam propostas para o país e tenham responsabilidade, ainda mais neste momento em que as elites brasileiras namoram propostas autoritárias de gente que defende a céu aberto assassinato de seres humanos', disse o ex-presidente em artigo publicado no jornal Folha de S.Paulo.

    O petista também tem rejeitado, desde as vésperas de sua prisão, aceitar tornozeleira eletrônica ou prisão domiciliar. 'Se é para ser preso, que seja de verdade', afirmou.

    Presidente que deixou o cargo com os mais altos níveis deaprovação e popularidade, Lula enfrentou nos últimos anos umcalvário de acusações que culminaram, por ora, na condenação a12 anos e 1 mês de prisão por corrupção passiva e lavagem dedinheiro, acusado de ter recebido um apartamento tríplex noGuarujá (SP) da empreiteira OAS em troca de benefícios àempresa em contratos com a Petrobras.

    Lula ainda é réu em outros cinco processos, dois deles --umsobre o sítio em Atibaia, outro que investiga a suposta doaçãode imóveis para o Instituto Lula pela Odebrecht-- estão emCuritiba, com o juiz Sérgio Moro, que o condenou em primeirainstância no caso do tríplex. Outros três na Justiça Federalde Brasília.

    Em um dos processos que tramitavam em Brasília, em que era acusado de tentar obstruir as investigações da Lava Jato e se baseava na delação premiada do ex-senador Delcídio do Amaral, Lula terminou absolvido.

    O petista, no entanto, colecionou derrotas na Justiça em sua luta contra a condenação no caso do tríplex e para deixar a prisão e garantir vaga na disputa eleitoral antes do recesso de meados do ano, embora o caso ainda esteja longe de um desfecho judicial.

    'Com tudo que aconteceu e está acontecendo, Lula serecuperou antes do PT. Lula sempre foi maior do que o PT, mashoje ele é muito mais que o PT', disse à Reuters uma fonte dealto escalão do partido.

    Mesmo abatido pelo impeachment da então presidente DilmaRousseff e as seguidas derrotas judiciais, sem contar o ladopessoal com a perda da segunda mulher, Marisa Letícia, Lula, naprática, continua a comandar o PT. Fontes próximas aoex-presidente ouvidas pela Reuters contam que ele acompanha cadapasso do partido, as eleições estaduais, cada candidatura.

    E justamente por ser maior que o partido que idealizou e fundou, Lula é parte central da estratégia do PT na eleição deste ano. A sigla irá concentrar esforços em eleger uma bancada de deputados federais numerosa e na disputa presidencial, insistindo na candidatura de Lula até quando for possível.

    Buscam, desta maneira, maximizar a capacidade de transferência de votos do ex-presidente caso seja necessário substituí-lo no pleito.

    Mais magro de quando estava na Presidência, Lula se gabava, antes de ser preso, de acordar todos os dias cedo para fazer ginástica.

    'Estejam certos de que o Lula de hoje, embora mais velhoestá muito mais motivado. Levanto todo dia às 5h da manhã, façoduas horas de ginástica todo dia e estou cheio de energia',disse em discurso na cidade de Palmeira das Missões, no RioGrande do Sul, durante caravana no Sul do país.

    De acordo com aliados, Lula tem mantido a rotina de exercícios mesmo no cárcere --conseguiu que a Justiça autorizasse a instalação de aparelhos de ginástica na Polícia Federal em Curitiba atendendo recomendações médicas para se exercitar. Além disso, de acordo com correligionários, Lula tem lido em escala industrial desde sua prisão em abril.

    RUMO AO PALÁCIO DO PLANALTO

    Nascido em Caetés, na época distrito de Garanhuns (PE), Lulatem uma biografia contada e recontada como parte do folclorepolítico brasileiro. Aos 7 anos, acompanhado da mãe, Lindu, e desete irmãos, enfrentou 13 dias em um pau-de-arara, caminhão detransporte precário e irregular, até chegar a São Paulo para afamília tentar uma vida melhor.

    Aos 14 anos vai trabalhar na antiga fábrica de parafusosMarte e surge a oportunidade de se inscrever num cursoprofissionalizante no Senai. De lá, foi trabalhar na MetalúrgicaIndependência, onde perdeu o dedo mínimo da mão esquerda em um acidente de trabalho aos 18 anos.

    Começou a carreira de líder sindical como suplente nadiretoria do Sindicato dos Metalúrgicos do ABC Paulista.

    Em plena ditadura militar, Lula comandou greves, negocioucom patrões e com a poderosa Federação das Indústrias do Estadode São Paulo (Fiesp), sendo preso pela primeira vez em 1980, por'incitação à desordem'. Chegou a ser condenado a 2 anos deprisão, mas foi inocentado na segunda instância --ao contráriodo que aconteceu agora.

    O ex-presidente tentou a via eleitoral pela primeira vez em1982, dois anos depois da criação do PT, ao concorrer paragovernador do Estado de São Paulo. Na ocasião, incorporou Lulaao Luiz Inácio da Silva.

    Bem antes das urnas eletrônicas, as cédulas de votação empapel não traziam o nome dos candidatos. Muito conhecido peloapelido, o petista queria que os votos que mencionassem apenasLula fossem validados. Terminou em quarto lugar, obtendo cercade 10 por cento dos votos.

    Depois de uma ativa participação na campanha pelas eleiçõesdiretas para presidente da República, foi o deputado federalconstituinte mais votado do país em 1986.

    Por três vezes tentou e chegou apenas em segundo lugar antesde ser eleito presidente pela primeira vez em 2002, quandofinalmente amainou o discurso radical de esquerda, afagou aelite econômica do país e aceitou alianças ao 'centro'.

    O 'Lulinha Paz e Amor' que surgiu naquela eleição perduroudurante todo o governo. A habilidade de negociar, surgida nasgreves e nas rodadas de negociação com empresários, foidesenvolvida ao longo dos anos no comando do Partido dosTrabalhadores e usada com afinco em seus oito anos de governo,em que conseguiu juntar partidos como PP e PCdoB na mesma mesa.

    Favorecendo o diálogo sobre o confronto --com sua voz graverouca sendo compensada pelo abundante carisma--, ele persuadiurepetidas vezes opositores políticos, importantes empresários,líderes estrangeiros e os eleitores.

    'Lula podia até não gostar da gente, mas a gente saía dasala tendo certeza que ele era nosso melhor amigo', disse certavez o senador Romero Jucá (MDB-RR), líder do governo Temer noSenado e que ocupou a mesma posição no governo Lula. Jucá, nocaso, comparava a ex-presidente Dilma Rousseff, tida comoirascível, com a capacidade de Lula em agregar políticos detodos os matizes.

    O presidente que saiu do poder com 87 por cento de aprovação--um recorde no país-- e elegeu como sua sucessora uma mulher,petista, pouco afeita à política e que nunca havia concorrido aum cargo eletivo, hoje ainda detém o quase milagre de ter cerca de 30 por cento de intenções de voto em um país dividido, em que parte da população credita a ele, e ao PT, toda a corrupção revelada no país nos últimos anos.

    'Não adianta eles acharem que vão fazer com que eu pare, eu não pararei, porque eu não sou mais um ser humano. Eu sou uma ideia. Uma ideia misturada com a ideia de vocês', disse Lula a simpatizantes, pouco antes de se entregar à Polícia Federal, em abril.

    1. Home
    2. /
    3. noticias
    4. /
    5. perfil amado e odiado lula …
    6. /

    Este site usa cookies para garantir que você tenha a melhor experiência.